Conexão Subterrânea

Citation
Conexão Subterrânea

Material Information

Title:
Conexão Subterrânea
Series Title:
Conexão Subterrânea
Creator:
Redespeleo (Brazil)
Publisher:
Redespeleo (Brazil)
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Subjects / Keywords:
Regional Speleology ( local )
Genre:
serial ( sobekcm )
Location:
Brazil

Notes

General Note:
Bulletin of Redespeleo Brazil.
Restriction:
Open Access
Original Version:
No. 72 (2009)
General Note:
See Extended description for more information.

Record Information

Source Institution:
University of South Florida Library
Holding Location:
University of South Florida
Rights Management:
All applicable rights reserved by the source institution and holding location.
Resource Identifier:
K26-01176 ( USFLDC DOI )
k26.1176 ( USFLDC Handle )
12567 ( karstportal - original NodeID )
1981-1594 ( ISSN )

USFLDC Membership

Aggregations:
Added automatically
Karst Information Portal

Postcard Information

Format:
serial

Downloads

This item has the following downloads:


Full Text

PAGE 1

Nmero 72, 28 de janeiro de 2009AChapada Diamantina, em especial os municpios de Iraquara, Seabra e Palmeiras, abriga uma das mais importantes reas crsticas do Brasil. Nela esto inseridas cavidades como a Lapa Doce, Torrinha, Pratinha, que se destacam pela beleza, grandiosidade e importncia cientfica. A regio tem sido foco da ateno de diversos grupos de espeleologia (nacionais e estrangeiros) desde a dcada de 80 revelando ao longo destes anos centenas de cavidades. Dezenas destas foram exploradas e topografadas, sendo em algumas desenvolvidos estudos cientficos, principalmente nas reas de geologia, biologia e paleontologia. A visitao turstica tambm uma tradicional atividade associada a vrias cavidades, gerando renda para muitas famlias e fazendo deExpedio Chapada Diamantina 2009 Iraquara um dos mais importantes plos tursticos da Bahia. Praticamente todo habitante da regio rural tem uma ligao com as cavernas (seja com o turismo, captao de gua etc), reconhece a sua importncia e necessidade de preservao. Contudo, em alguns casos, este assdio ao meio subterrneo tem contribudo para danos irreversveis ao patrimnio espeleolgico. Alm disso, pode-se observar que a crescente ocupao urbana e atividades agrcolas avanam de forma descontrolada sobre o carste, comprometendo no s a preservao ambiental, mas tambm a prpria segurana das edificaes. O objetivo principal do projeto resgatar e padronizar os levantamentos espeleolgicos realizados ao longo dos ltimos 20 anos, principalmente com relao localizao e mapeamento de grutas parcialmente exploradas ou sem mapa. A partir destes novos dados, pretende-se elaborar um novo banco de dados e uma base cartogrfica da regio contendo informaes sobre todas as grutas, localizao das entradas, principais caractersticas fsicas, topografias existentes e situao das exploraes. A primeira etapa do projeto foi realizada entre os dias 25 de dezembro a 4 de janeiro de 2009 e contou com a participao de 28 espelelogos do Bambu (Belo Horizonte, So Paulo, Braslia, Rio de Janeiro, Bahia e Sua), GPME (So Paulo) e GREGEO (Braslia). Foram verificadas as coordenadas das entradas de mais de 100 cavidades sendo vrias delas ainda inexploradas. Tambm foi dada continuidade ao mapeamento da Lapa Doce II (que superou a marca de 16.500 metros, passando a ser a 3 maior caverna do Brasil), da Gruta Manoel de Ioi e Jos Antnio. Esta ltima, depois da transposio de uma passagem de mais de 100 metros em meio a um catico abatimento, foi conectada Gruta Fazenda Morais somando atualmente 5,5 km. Mas isso outra histria...ISSN 1981-1594Por Ezio Rubbioli Ezio Rubbioli Ezio Rubbioli

PAGE 2

Um ano aps a sua criao, ocorrida em dezembro de 2007, o Instituto do Carste acabou de finalizar uma importante etapa da sua implantao, com o lanamento de seu novo site, localizado em: www.institutodocarste.org.br Neste primeiro ano de existncia, as idias do Instituto foram difundidas junto a uma parcela da comunidade tcnico cientfica, e foram idealizados e elaborados todos os formulrios e o modo de funcionamento da organizao. O programa "Jornadas Carste" foi lanado em maro de 2008, com a promoo da visita de Alexander Klimchouk ao Brasil. Maior especialista mundial em cavernas hipognicas, Klimchouk Instituto do Carste lana site e inicia nova fasetambm responsvel pela organizao da explorao do maior abismo atualmente conhecido no mundo, o Krubera, localizado na Ucrnia. Artigos cientficos j foram produzidos sob a gide do Instituto. Alm disso, diversos pesquisadores apresentaram os primeiros projetos, que foram devidamente aprovados pela diretoria, e includos no site do Instituto, que est sendo lanado com 27 projetos envolvendo 14 pesquisadores. Mas o incio de fato do Instituto do Carste se d agora, com o lanamento de seu site. Neste possvel ter uma idia geral do que o Instituto do Carste, seu modo de funcionamento, os projetos em andamento, objetivos, e muito mais. O site ainda est em produo e muito mais ser inserido ao longo do tempo. Todos os projetos tambm podem ser acompanhados pelo site e notcias sobre cada projeto sero constantemente veiculadas, para dar uma idia da evoluo de cada um deles. Esto tambm disponveis os trs programas atualmente organizados pelo Instituto do Carste: o programa "Divulgando a Espeleologia para as Comunidades do Carste", o programa "Jornadas Carste" e o programa "Fundo de Incentivo ao Jovem Espelelogo". O Instituto do Carste constitui um novo tipo de organizao voltada para o estudo das cavernas e do carste, com enfoque tcnico cientfico. Pretende compor uma interface pr-ativa com os grupos espeleolgicos, j que estes respondem pelo trabalho bsico de explorao e mapeamento, to essencial para todos os estudos posteriores. H muito ainda o que estudar no carste brasileiro, e acreditamos que o Instituto do Carste pode ser uma alternativa vivel para todos aqueles que possuem um interesse nas cincias do carste. Por fim, gostaramos de convidar a todos para conhecer o site e participar conosco dessa nova iniciativa, encaminhando seus projetos tcnicos ou cientficos ou ainda participando como scio contribuinte. Para outras informaes sobre o Instituto do Carste, basta escrever para: secretaria@institutodocarste. org.br Visitem o nosso site e sejam bem vindos! Por Augusto Auler DivulgaoEstado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentvel, por intermdio do Instituto Estadual de Florestas (IEF). Segundo IEF, a fauna, a flora e os monumentos naturais que compem a rea protegida da Gruta do Rei do Mato esto sob a tutela do Estado de Minas Gerais, conforme determina a Lei 8.670, de 1984. Tambm esto protegidos os vestgios paleoamerindios, as grutas e abrigos contendo esses vestgios, as jazidas arqueolgicas ou pr-histricas de qualquer natureza existentes no interior de seus limites. De acordo com o IEF, desde a poca da lei, vrias administraes encarregaram-se da direo desta rea de proteo especial, deixando as marcas de suas intervenes. Ainda segundo a justificativa, com o advento do Sistema NacionalFoi protocolada na Assemblia Legislativa de Minas Gerais, na ltima quarta-feira (21/01/09), mensagem do governador Acio Neves encaminhando projeto de lei que define nova categoria de manejo para a rea de Proteo Especial da Regio da Gruta do Rei do Mato, no municpio de Sete Lagoas. A mensagem deve ser oficialmente recebida na primeira Reunio Ordinria de Plenrio de 2009, no dia 3 de fevereiro. Em sua justificativa, o governador destaca que "o projeto se insere no contexto de uma srie de realizaes que o governo, por meio das polticas pblicas de Meio Ambiente, vem implementando no Estado". Ainda na mensagem, o chefe do Executivo apresenta os motivos pelos quais o projeto importante, de acordo com a Secretaria deProjeto define nova categoria de proteo para Gruta Rei do Mato de Unidades de Conservao (SNUC), disposto na Lei Federal 9.985, de 2000, surgiu a oportunidade de se redefinir a antiga categoria de manejo para uma nova, que "melhor combine com os atuais objetivos de preservao com os do passado". Alm de definir que a rea est no grupo de proteo integral, na categoria monumento natural estadual, o projeto de lei estabelece que ela passa a se denominar Monumento Natural Estadual Gruta Rei do Mato. Tambm determina, entre outras, que cabe ao IEF implantar e administrar o local, promover a desapropriao de pleno domnio dos imveis, alm de constituir o Conselho Consultivo. Fonte : Assessoria de Comunicao da Assembia Legislativa de MG.

PAGE 3

ponto para frente, a caverna continua num percurso extremamente meandrante, acompanhando as sinuosas curvas do Rio. Realmente uma belssima caverna. Em dois dias de atividade, as equipes mapearam aproximadamente 1000 m de linha de trena, mas no houve tempo suficiente para terminar toda a topografia da caverna. Acreditamos, pelo que pudemos observar, que deve haver no mnimo mais 400 m de condutos a serem mapeados. Alm da peculiaridade da sua morfologia, a caverna possui, sem dvida, uma grande importncia histrica, tanto com relao passagem de Lund, como tambm pela extrao de salitre. Em uma sala superior prxima entrada da caverna, encontramos grandes peas e ferramentas em ferro. Uma nova expedio dever ser agendada to logo as chuvas dem uma trgua, pois o trecho que falta mapear se encontra num local onde o conduto se estreita bastante, e a topografia dever ser feita dentro da gua, possivelmente com a ajuda de bias. Ficamos muito animados com a caverna e com os resultados dessa primeira investida. dois desenhos extremamente detalhados, tanto de fora para dentro como de dentro para fora da boca da caverna. Realmente, o desenho extremamente fiel, e possvel reconhecer perfeitamente diversos detalhes que permanecem ali. Aps essa imponente entrada, a caverna de prolonga por um conduto seco, com uns 10 ou 12 m de largura e uns 8 m de altura, que uns 100 m adiante encontra o leito do rio, que na verdade entra na caverna por outro conduto paralelo ao principal. DesseNo contexto do projeto do Instituto do Carste intitulado "O Grande Roteiro de Peter Lund", que tem por objetivo reencontrar as cavernas descritas por Peter Lund, remape-las, e identificar a sua importncia histrica, nos dias 29 e 30 de Novembro de 2008 foi realizada uma expedio Lapa do Mosquito, uma das maiores cavernas descritas por Lund. A expedio foi organizada via lista virtual Meandros, e contou com a participao de dois espelelogos paulistas e quatro mineiros, e tambm com a presena de Xavier Prous, bilogo e espelelogo que j conhecia o local por ter feito pesquisas cientficas na cavidade. A caverna se encontra no municpio mineiro de Curvelo, e no recebe visitao turstica regular. Seu acesso bastante complicado, pois h diversos atoleiros a serem transpostos na estrada, e depois de deixar o carro, ainda preciso andar um trecho por uma pequena mata, onde nuvens de pernilongos perseguem os intrusos. O primeiro impacto ao chegar na caverna reconhecer o prtico de entrada, retratado por Brandt emRemapeamento da Lapa do Mosquito, em Curvelo, MG Leda Zogbi Divulgao Por Leda Zogbi Instituto do CarsteIlustrao: Brandtessa taxa quando se prestam "servio de rastreio, salvamento e resgate de pessoas em dificuldades como conseqncia de emergncias ou acidentes de trfico, ateno em cavernas (espeleosocorro e resgate vertical), subsidncias ou deslizamentos de edifcios e inundaes. A norma fixa o custo desses servios em 1.639 Euros por cada hora de utilizao do helicptero de Proteo Civil; 500 Euros por 6 horas de assistncia do equipamento de espeleosocorro, mais outros 100 Euros por cada hora adicional at o fim do resgate; e 100 Euros pelo estabelecimento de um dispositivo de busca e resgate, mais outros 50 Euros por cada hora adicional. Alm disso, se estabelece que cada hora ou frao de trabalho de umaOServio de Proteo Civil do Governo da Cantbria, provncia situada no norte da Espanha, cobrar, a partir deste ano, os resgates em acidentes de montanhismo ou de espeleologia, caso a pessoa que sofreu o acidente no tenha observado anteriormente os dados metereolgicos, que incrementam os riscos inerentes a estas atividades. Nos ltimos anos, o Governo da Cantbria introduziu algumas mudanas na legislao para cobrar o custo dos resgates nos acidentes decorrentes da negligncia de seus protagonistas, ou por se tratar de uma atividade que requeria uma permisso oficial, no solicitada aos rgos responsveis. A lei habilita o Governo de Cantbria para cobrarProteo Civil espanhola cobrar por resgate dotao completa de um Parque de Emergncias custar 328 Euro. A Proteo Civil da Provncia de Cantbria atende a qualquer emergncia sem custo algum para o interessado, se for um caso fortuito ou de fora maior em que no houve negligncia por parte do acidentado. Fonte : Eldiariomontanes.es 06/01/09.

PAGE 4

Fonte : http://elviajero.elpais.com/ 20/12/2008. nante diversidade de formas e cores", disse Nabil Haddad, gerente geral da caverna. "Esta uma oportunidade histrica para o Lbano mostrar este segredo nico para o mundo". O complexo compreende duas cavernas em calcrio, com galerias superiores e uma inferior onde corre um rio subterrneo. A caverna tem cerca de 10 quilmetros de desenvolvimento e possui uma das maiores estalactites do mundo, com aproximadamente 8,2 metros, a partir do teto. Fonte : http://speleo.blogspot.com 06/01/09.Os libaneses esto votando num majestoso complexo de cavernas, como cadidato a uma das Sete Maravilhas Naturais do Mundo, numa competio online que cadastra/seleciona belezas naturais pelo mundo afora. A gruta de Jeita, no vale do rio Nar el-Kalb (Rio do Co), perto da capital, Beirute, atualmente a 24 classificada, dentre as 77 que constam na lista de candidatos, elaborada pelos organizadores do concurso: “New 7 Wonders of Nature ". "A caverna Jeita considerada uma das maiores e mais belas cavernas do mundo, com uma impressio-Caverna libanesa pode se tornar uma das 7 maravilhas da natureza"Cueva Pintada". Os excursionistas receberam vrias picadas e a jovem Luz Mara Rivelo, 25 anos, foi reportada como em estado grave pelos servios mdicos que a atenderam. Os feridos foram levados pela Cruz Vermelha Mexicana ao Hospital Geral do porto de Veracruz, onde recebem ateno especializada. Fonte : www1.folha.uol.com.br/ 09/01/09.Um homem de 72 anos morreu e dez pessoas ficaram feridas no Mxico aps serem atacadas por um enxame de abelhas africanas no municpio de Paso de Ovejas, no Estado de Veracruz, a cerca de 400 quilmetros ao leste da Cidade do Mxico. Os feridos, um grupo de excursionistas, contrataram o campons Pablo Lara Lpez como seu guia turstico para apreciar as pinturas rupestres que se encontram na grutaAtaque de abelhas no leste do Mxico deixa um morto e dez feridos Cavalos Rupestres cavalgam em uma das paredes da caverna de Tito Bustillo, reproduzido no Parque da Pr-Histrica em Teverga.AGeomorfologia montanhosa do norte da Espanha permitiu que o homem primitivo se refugiasse nas cavernas e abrigos naturais de Astrias. Entre 10.000 e 25.000 anos antes do presente, o homo sapiens, se converteu no primeiro artista da terra. O resultado: 41 cavernas e stios pr-histricos com arte paleoltica; 21 com pinturas rupestres de alto valor. Foram catalogados como Patrimnio Mundial, cinco destes conjuntos parietais (Tito Busillo, la Pea, el Pindal, Llonn e Covaciella). Mesmo no tendo sido catalogadas pela Unesco, em Astrias seUnesco Cataloga pinturas rupestres de Astrias como Patrimnio Mundial pode visitar outras duas cavernas: El Buxu, em Cangas de Ons, e La Loja, que est situada a 400 metros do povoado de El Mazo (Peamellera Baja), Descoberta em 1908, as cavernas contm manifestaes artsticas que foram datadas entre os perodo dos Magdalenianos e Perigordianos. Alm disso, o Parque da Prhistria (Teverga) possui galerias subterrneas artificiais, com rplicas das melhores pinturas pr-histricas e reprodues de utenslios e figuras encontradas na Espanha, Frana, Alemanha, ustria, Repblica Tcheca e Rssia. Caverna em Chamas h mais de 35 anos!Uma caverna no Uzbequisto conhecida no mundo todo como "A Porta Para o Inferno" esta queimando h dezenas de anos. Alguns gelogos estavam fazendo perfuraes no local e encontraram sem querer uma caverna subterrnea cheia de gs. Para continuar com a explorao da caverna, os gelogos decidiram queimar o gs. Eles acenderam uma chama e esperaram o fogo queimar todo o gs. Para surpresa de todos o gs nunca acabava. Alis, no acabou at hoje. J faz 35 anos e no d sinais de que vai acabar to cedo. Ningum sabe quantas toneladas de gs foram queimadas at hoje, nem por quanto tempo ir durar. Fonte : Planetim DivulgaoDivulgao

PAGE 5

ma tropical da Ilha de Java, local repleto de vulces. Desde que foi inaugurado h dois anos, o Aqurio de So Paulo tem espcies raras e curiosas e pretende ampliar sua exposio para alm dos animais aquticos. Em novembro de 2008, foram contabilizados 1.200 exemplares de 150 espcies diferentes. Segundo a biloga do aqurio, Laura Iplito, a instituio abrange vrios temas como Amaznia, dinossauros, plo sul, e a inteno fazer com que o visitante esteja imerso nesses contextos. "A idia desmistificar a imagem do morcego, que considerado praga urbana hoje em So Paulo e visto como smbolo de mau agouro" diz. "Existem mais de mil espcies de morcegos no mundo, mas apenas trs se alimentam de sangue. Queremos mostrar que eles so animais que comem frutas e que ajudam da disseminao de muitas plantas." Fonte : poca So Paulo 07/01/09.Desde o dia 2 de janeiro, sexta-feira, o Aqurio de So Paulo tem novos moradores ilustres. So seis exemplares de morcegos gigantes da Ilha de Java, na Indonsia, conhecidos como "raposas voadoras" e considerados os maiores morcegos do mundo. Encontrados apenas no sudeste da sia e desconhecido at ento nas Amricas, a espcie Pteropus Vampyrus vive em florestas e mangues, tem hbitos noturnos e dorme pendurada em rvores, de cabea para baixo e enrolada pelas asas. Mesmo quando filhotes, eles chegam a medir um metro de envergadura (de ponta a ponta da asa) e quando adultos, dois metros. Apesar do tamanho avantajado, eles so leves, pesando entre 500 gramas e um quilo. O viveiro preparado pelo aqurio para receber esses mamferos tem cerca de 40 metros quadrados, uma cascata de oito metros de altura (desenvolvida para gerar uma umidade especial) e foi inspirado no cli-Aqurio de So Paulo recebe morcegos gigantes Regularizao de Terra Ronca meta de 2009Entre os principais objetivos da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hdricos de Gois para 2009, esta concluir o processo de regularizao fundiria no Parque Estadual de Terra Ronca. J foram adquiridos 4.289 hectares de terras relativas ao parque, totalizando uma indenizao de R$ 1,7 milho. "E ainda temos mais R$ 3 milhes de convnios com o governo federal para pagar estas indenizaes", diz o secretrio Roberto Freire. Em outubro de 2008, foram liberados outros R$ 8 milhes pelo governo estadual. O Parque Estadual de Terra Ronca foi criado pela Lei 10.879 de 7 de julho de 1989 e fica nos municpios de So Domingos e Guarani de Gois, regio Nordeste do estado. O Parque tem uma rea de aproximadamente 57 mil hectares. Fonte : Gois Agora 31/12/2008. va. As pesquisas Arqueolgicas na caverna Wonderwerk comearam na dcada de 1940 e prosseguem at os dias de hoje. Fonte : Artsci.utoronto.ca 19/12/08.Uma equipe de investigao liderada pelo professor Michael Chazan, diretor do Centro de Arqueologia da Universidade de Toronto, Canad, descobriu as primeiras evidncias de habitao de nossos ancestrais em uma caverna na frica do Sul, chamada de Wonderwerk. Ferramentas rudimentares encontradas no nvel inferior da caverna, acredita-se que tenham 2 milhes de anos mostram que existiram ancestrais humanos nessa caverna, mais cedo do que se pensa-As primeiras evidncias de nossos ancestrais humanos Comisso Editorial: Helio Shimada, Karen P. Ramos. Reviso: Karen P. Ramos e Leda Zogbi. Diagramao: Carlos H. Maldaner. Logotipo: Daniel Menin. Artigos assinados so de responsabilidade dos autores. Artigos no assinados so de responsabilidade da comisso editorial. A reproduo de artigos aqui contidos depende de autorizao dos autores e deve ser comunicada REDESPELEO BRASIL pelo e-mail: conexao@redespeleo.org O Conexo Subterrnea pode ser repassado, desde que de forma integral, para outros e-mails ou listas de discusso.ExpedienteDivulgao DivulgaoDivulgaoDivulgao


Description
Bulletin of Redespeleo
Brazil.


printinsert_linkshareget_appmore_horiz

Download Options

close
Choose Size
Choose file type
Cite this item close

APA

Cras ut cursus ante, a fringilla nunc. Mauris lorem nunc, cursus sit amet enim ac, vehicula vestibulum mi. Mauris viverra nisl vel enim faucibus porta. Praesent sit amet ornare diam, non finibus nulla.

MLA

Cras efficitur magna et sapien varius, luctus ullamcorper dolor convallis. Orci varius natoque penatibus et magnis dis parturient montes, nascetur ridiculus mus. Fusce sit amet justo ut erat laoreet congue sed a ante.

CHICAGO

Phasellus ornare in augue eu imperdiet. Donec malesuada sapien ante, at vehicula orci tempor molestie. Proin vitae urna elit. Pellentesque vitae nisi et diam euismod malesuada aliquet non erat.

WIKIPEDIA

Nunc fringilla dolor ut dictum placerat. Proin ac neque rutrum, consectetur ligula id, laoreet ligula. Nulla lorem massa, consectetur vitae consequat in, lobortis at dolor. Nunc sed leo odio.