Conexão Subterrânea

Citation
Conexão Subterrânea

Material Information

Title:
Conexão Subterrânea
Series Title:
Conexão Subterrânea
Creator:
Redespeleo (Brazil)
Publisher:
Redespeleo (Brazil)
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Subjects / Keywords:
Regional Speleology ( local )
Genre:
serial ( sobekcm )
Location:
Brazil

Notes

General Note:
Nesta edição você saberá mais sobre os seguintes assuntos: - Expedição Chapada 2004 - Exploração e topografia nos parques nacionais de Ubajara, Ceará e Sete Cidades, Piauí - Resenha: Gruta de Ubajara - Beleza Magistral do Brasil - EGB fornece cursos para formação/preparação de espeleólogos - Morte e resgate de turistas em caverna tailandesa após tsunami - Sertão do nordeste já foi coberto por florestas
Restriction:
Open Access
Original Version:
No. 16 (2005)
General Note:
See Extended description for more information.

Record Information

Source Institution:
University of South Florida Library
Holding Location:
University of South Florida
Rights Management:
All applicable rights reserved by the source institution and holding location.
Resource Identifier:
K26-01232 ( USFLDC DOI )
k26.1232 ( USFLDC Handle )
12623 ( karstportal - original NodeID )
1981-1594 ( ISSN )

USFLDC Membership

Aggregations:
Added automatically
Karst Information Portal

Postcard Information

Format:
serial

Downloads

This item has the following downloads:


Full Text

PAGE 1

Nmero 16, 30 de janeiro de 2005 Omunicpio de Iraquara (juntamente com Palmeiras, Seabra, Andara e Itaet) no centro da Bahia, destaca-se no cenrio espeleolgico nacional pela quantidade, importncia cientfica, beleza cnica e grandiosidade de suas cavernas. As primeiras exploraes na regio comearam em 1986 quando uma equipe de franceses em parceria com espelelogos do Cear realizaram a topografia do Sistema Santa Rita, formado por duas cavidades principais: a Lapa Doce I e II com 9,7 e 6,5 km respectivamente. Alm disso, uma ampla prospeco na regio revelou importantes cavidades como a Pratinha, Torrinha e Gruta Azul. Em 1991 uma nova expedio internacional, desta vez organizada pelo Groupe Mandres de Rouen Frana descobriu a continuao da Gruta da Torrinha elevando a sua extenso para mais de 6 km. O Grupo Bambu tem visitado a regio desde 1987, sendo que a partir de 1989 comeou um trabalho sistemtico de prospeco e mapeamento. Na ocasio, os esforos foram direcionados principalmente Gruta do Ioi (4,1 km) e Gruta do Impossvel (4,8 km). No final dos anos 90, a Unio Paulista de Espeleologia UPE e posteriormente o Fundao Brasileira de Documentao Subterrnea FBDS, comearam os trabalhos de retopografia da Lapa Doce e da Torrinha adotando uma metodologia sofisticada, visando uma grande preciso e detalhamento cartogrfico. A dcada de 90 tambm foi marcada por intensas pesquisas cientficas nas reas biolgica e geolgica.Expedio Chapada 2004 Por Ezio Luiz Rubbioli Grupo Bambu de Pesquisas Espeleolgicas Novas espcies de peixes troglbios foram descobertas e estudos sobre os depsitos caverncolas revelaram aspectos importantes sobre a gnese e evoluo do carste local. Alm dos cientistas, Iraquara tambm atraiu a ateno dos turistas que, literalmente, invadiram suas cavernas. Vrias cavidades passaram a ter uma visitao sistemtica, e foram includas definitivamente nos circuitos tursticos do Parque Nacional da Chapada Diamantina. Preocupados com as questes ambientais (alm do turismo, o crescimento urbano, a agricultura e at mesmo o abastecimento de gua tem ligao direta com as cavernas) o IBAMA e o CRA tentaram criar mecanismos de proteo como a APA Marimbus-Iraquara e a portaria do IBAMA de 2001 que regulamenta o uso turstico das cavernas da regio. Diga-se de passagem, estas atitudes tiveram poucos efeitos prticos, uma vez que depois de mais de 10 anos da criao da APA, muito pouco foi feito para a proteo efetiva das cavernas. Dentro deste contexto, foi idealizada a Expedio Chapada 2004, com o objetivo de retopografar as trs maiores grutas da regio: Lapa Doce I e II e Torrinha. Em primeiro plano, ficaria a continuidade dos levantamentos topogrficos, aproveitando os mapeamentos produzidos pela UPE/FBDS. Tambm seria mais uma boa oportunidade para integrar grupos de vrias partes do Brasil, trocar experincias e ao mesmo tempo desfrutar um pouco dos encantos da Chapada Diamantina. A expedio ocorreu entre os dias 26 de dezembro a 8 de janeiro, contando com a participao de 48 espelelogos de Minas Gerais, So Paulo, Paran, Braslia e Bahia. Os trabalhos de topografia acabaram se concentrando somente no Sistema Santa Rita (Lapa Doce I e II) e somaram 24 km de visadas (incluindo detalhamento de sales, dolinas e feies externas). Pudemos verificar que a maioria das galerias topografadas nesta expedio j eram conhecidas, embora muitas no estavam sequer indicadas nos mapas anteriores. O objetivo deste trabalho, a produo de um mapa muito mais detalhado e completo, que poder servir de base para os futuras pesquisas e at mesmo para o plano de manejo turstico da caverna. Leda ZogbiLeda Zogbi

PAGE 2

Aps a expedio conjunta para retopografia da Lapa Doce, Chapada Diamantina, cinco espelelogos dos grupos Bambui e Pierre Martin rumaram para o norte, com o objetivo de conhecer as grutas dos parques nacionais de Ubajara e Sete Cidades. O parque Nacional de Ubajara, localizado na Serra de Ibiapaba, Cear, foi criado em 1959 e consideravelmente ampliado em 2002, possuindo atualmente 563ha. Ainda assim, trata-se do nosso menor parque nacional. A principal caracterstica da regio que o calcrio metamorfizado e dobrado do grupo Ubajara, foi recoberto posteriormente por uma camada de arenito. A eroso retirou essa capa de arenito do vale e nesses locais aflora o calcrio, na forma de pontiagudos macios repletos de lapis, que se destacam na densa vegetao da serra. A cidade de Ubajara e a sede do parque se encontram em cima dessa plataforma arentica e para facilitar o acesso s grutas, foi instalado um telefrico, pois a entrada da gruta de Ubajara, principal atrao do parque, se encontra no vale, mais de 300m abaixo. O clima ameno, no alto da Serra contrasta radicalmente do clima trrido do vale (mais de 10 de diferena). Com o apoio da diretoria do parque (IBAMA), foram visitadas as grutas: Furna do Araticum, Furna do Alto, Gruta do Morcego Branco, Gruta do Pendurado, Gruta do Urso Fssil e a Gruta de Ubajara, maior e mais representativa gruta da regio. Com padroExplorao e topografia nos parques nacionais de Ubajara, Cear e Sete Cidades, PiauPor Leda Zogbi Grupo Pierre Martin de Espeleologia Resenha Este pequeno livro, vendido pessoalmente pelo autor na entrada do Parque Nacional de Ubajara, no Cear, versa sobre a clebre gruta de mesmo nome. A primeira parte da obra apresenta informaes sobre aspectos histricos da caverna e da regio. A segunda parte descreve alguns dos principais sales alm de apresentar lendas relacionadas gruta. A terceira parte define alguns tipos de espeleotemas e fornece uma breve descrio de outras grutas no entorno. A obra apresenta ainda algumas poucas fotografias em tamanho reduzido e a planta da caverna produzida pelo Centro Excursionista Universitrio em 1978. uma obra bastante bsica que deixa a desejar em relao a informaes tcnicas. A impresso, efetuada em impressora jato de tinta, no de boa qualidade. Esta obra tambm pode ser encontrada em verses para o francs, ingls e alemo.G r u t a d d e U U b a j a r a B B e l e z a M a g i s t r a l d d o B B r a s i l G r u t a d d e U U b a j a r a B e l e z a M M a g i s t r a l d d o B r a s i l 2004. Henrique Hlder Fernandes Moreira. Edio do autor. Ubajara, 45 p. Vendido na portaria do Parque Nacional de Ubajara a R$7,00.Por Augusto Auler labirntico e condutos freticos, a gruta bastante ornamentada e possui um trecho turstico iluminado de 400m. A visitao turstica feita com acompanhamento de guias e a gruta recebe anualmente cerca de 60.000 visitantes (estatstica de 2003). O parque possui plano de manejo. O Parque Nacional de Sete Cidades, no Piaui engloba uma rea de 6.221ha, dos municpios de Piracuruca e Piripiri. Sua principal caracterstica a ocorrncia de sete grandes afloramentos rochosos ruiniformes, em arenito. A rocha assumiu formas originais e inusitadas, como altas torres e arcos imponentes, que lembram realmente cidades de pedra, da o nome de "Sete Cidades". Nos paredes, muitas inscries rupestres denotam a ocupao de populaes pr-colombianas. No parque, foram plotadas e topografadas as grutas da Pedra do Descanso (15m), Furna do Indio (6m), Gruta do Catirina (7m) e Gruta do Pag (10m), todas em arenito. Por fim, a equipe foi checar uma referncia no municpio de So Joo da Fronteira, a uns 70km do parque de Sete Cidades. Foi localizado o Buraco do Aurlio, gruta em arenito ferruginoso, caracterizada por uma entrada redonda e vertical de 2,40m de profundidade, que d acesso a uma sala de teto baixo, recoberto por milhares de baratas formando um verdadeiro tapete sobre todo o solo e paredes da gruta. O calor sufocante, o cheiro intolervel de guano e as baratas, impediram uma topografia mais detalhada da gruta, mas foi feito um levantamento expedito do salo principal da gruta, que apresenta continuidade em duas galerias de teto baixo. Uma eventual topografia da gruta, tida pela populao local como o "respiro de Ubajara" demandar preparo e uma boa dose de sangue frio e vontade.Divulgao Leda Zogbi Leda Zogbi Toca do Indio, Sete Cidades Ubajara (bondinho)

PAGE 3

C o m i s s o E E d i t o r i a l : Adriano Gambarini, Augusto Auler, Ericson C. Igual, Ezio Rubbioli, Leda Zogbi, Luis Fernando S. Rocha, Marcos O. Silvrio, Toni Cavalheiro. D i a g r a m a o : Carlos H. Maldaner. L o g o t i p o : Daniel Menin. Artigos assinados so de responsabilidade dos autores. Artigos no assinados so de responsabilidade da comisso editorial. A reproduo de artigos aqui contidos depende de autorizao dos autores e deve ser comunicada REDESPELEO BRASIL ( conexao@redespeleo.org ). Conexo Subterrnea pode ser repassado, desde que de forma integral, para outros e-mails ou listas de discusso. Caso no queira receber futuras edies do Conexo Subterrnea, favor enviar um email para: remover@redespeleo.org Expediente Otsunami que atingiu a costa da Tailndia fez duas vtimas na caverna Emerald Cave. Esta caverna uma popular atrao turstica na qual os visitantes tem que mergulhar para atingir um salo iluminado por uma clarabia. Mais de 80 turistas estavam visitando o local quando foram atingidos pelo tsunami que os empurrou para o interior da ca-verna. Os turistas, em sua maioria tailandeses, japoneses, chineses e taiwaneses, se agarraram s pedras pedindo socorro. Devido s fortes ondas as equipes de resgate levaram mais de 5 horas para retirar os j exaustos turistas da caverna. Um casal da Malsia, no entanto, faleceu aps ser jogado de encontro s pedras. Trs crianas, filhos do casal, conseguiram sobreviver. F o n t e : ABC News Online 27/12/04.Morte e resgate de turistas em caverna tailandesa aps tsunami Dando incio s atividades de 2005, o EGB Espeleo Grupo de Braslia, ofereceu nos dias 11 e 12 de janeiro, um curso de Introduo Espeleologia, com a participao de scios (novatos e veteranos), interessados e amigos, totalizando 19 participantes. O curso foi ministrado pela scia Cristina Bicalho, e foi dividido em dois mdulos, o primeiro tratando do histrico da espeleologia, gnese e origem das cavernas, e o segundo discorrendo sobre os diversos tipos de espeleotemas, os trabalhos do espelelogo e dicas de segurana para cavernas horizontais. O curso culminou com uma visita ao Buraco das Andorinhas, caverna localizadaEGB fornece cursos para formao/ preparao de espelelogosPor Rodrigo Bulhes Espeleo Grupo de Braslia a 120 Km de Braslia, no municpio de Formosa, GO, no dia 15 de janeiro. Continuando com suas atividades, em 18 de janeiro foi apresentada uma palestra sobre espeleo mergulho pelo instrutor Eduardo Macedo, que tambm scio do EGB. O grupo ainda tem agendada uma palestra sobre bioespeleologia para o dia 1 de fevereiro, a ser ministrada pelo scio Flvio Santos e, aguardando datas a serem confirmadas, esto previstos um curso de topografia de cavernas, a ser ministrado pelo scio Gabriel Seraphim e outro de espeleologia vertical, a ser ministrado pelo scio lvaro Barros. As maiores cavernas brasileiras, a Toca da Boa Vista e a Toca da Barriguda, foram alvo de um importante estudo desenvolvido por pesquisadores brasileiros e americanos. A datao de espeleotemas nessas cavernas permitiu a delimitao dos perodos chuvosos por que passou o atual semi-rido nordeste brasileiro. Estes estudos, publicados em fins de 2004 na prestigiosa revista britnica Nature e no Journal of Quaternary Science, auferiram que o ltimo perodo pluvial se encerrou a 11.700 anos atrs. Os perodos chuvosos mostram uma notvel correlao com eventos frios e secos no hemisfrio norte. Alm das amostras de cavernas, os pesquisadores, que incluem os brasileiros Augusto Auler e Patrcia Cristalli, coletaram amostras de tufos calcrios nos arredores. Esses tufos encerram importanteSerto do nordeste j foi coberto por florestas Augusto Auler Mais informaes em breve!material fossilfero como folhas, troncos e razes calcificadas. Os fsseis foram identificados como pertencentes a vegetao de florestas, em nada semelhante atual vegetao de caatinga. A datao dos tufos, em conjunto com a idade dos espeleotemas, permite inferir que a regio do nordeste j foi coberta por florestas, talvez representando um elo de ligao entre a floresta amaznica e a mata atlntica. F o n t e : Folha On Line 10/12/2004.


Description
Nesta edio voc
saber mais sobre os seguintes assuntos: Expedio Chapada
2004 Explorao e topografia nos parques nacionais de
Ubajara, Cear e Sete Cidades, Piau Resenha: Gruta de
Ubajara Beleza Magistral do Brasil EGB fornece cursos para
formao/preparao de espelelogos Morte e resgate de
turistas em caverna tailandesa aps tsunami Serto do
nordeste j foi coberto por florestas


printinsert_linkshareget_appmore_horiz

Download Options

close
Choose Size
Choose file type
Cite this item close

APA

Cras ut cursus ante, a fringilla nunc. Mauris lorem nunc, cursus sit amet enim ac, vehicula vestibulum mi. Mauris viverra nisl vel enim faucibus porta. Praesent sit amet ornare diam, non finibus nulla.

MLA

Cras efficitur magna et sapien varius, luctus ullamcorper dolor convallis. Orci varius natoque penatibus et magnis dis parturient montes, nascetur ridiculus mus. Fusce sit amet justo ut erat laoreet congue sed a ante.

CHICAGO

Phasellus ornare in augue eu imperdiet. Donec malesuada sapien ante, at vehicula orci tempor molestie. Proin vitae urna elit. Pellentesque vitae nisi et diam euismod malesuada aliquet non erat.

WIKIPEDIA

Nunc fringilla dolor ut dictum placerat. Proin ac neque rutrum, consectetur ligula id, laoreet ligula. Nulla lorem massa, consectetur vitae consequat in, lobortis at dolor. Nunc sed leo odio.