SBE Antropoespeleologia

Citation
SBE Antropoespeleologia

Material Information

Title:
SBE Antropoespeleologia
Series Title:
SBE Antropoespeleologia
Alternate Title:
SBE Antropoespeleologia: Boletim Eletrônico da Seção de História da Espeleologia da SBE
Publisher:
Sociedade Brasileira de Espeleologia
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
serial ( sobekcm )

Notes

General Note:
Gruta com "marca de pés" é atração em Mato Grosso - Meu escritório é uma caverna - Caverna monastério restaurada em Belgrado - Patrimônio cultural negligenciado na Índia - Cavernas Kanheri, Índia - Centro de facilitação para compreender as pinturas e esculturas em cavernas - Após ordem judicial, começa a restauração das cavernas Jogeshwari - Cavernas indígenas sagradas - Sobre a matéria dos moradores de cavernas palestinas - Foto do Leitor: Castelo de Socerb (Eslovênia).
Restriction:
Open Access - Permission by Publisher
Original Version:
Vol. 1, no. 3 (2007)
General Note:
See Extended description for more information.

Record Information

Source Institution:
University of South Florida Library
Holding Location:
University of South Florida
Rights Management:
All applicable rights reserved by the source institution and holding location.
Resource Identifier:
K26-03351 ( USFLDC DOI )
k26.3351 ( USFLDC Handle )
8605 ( karstportal - original NodeID )
1982-3630 ( ISSN )

USFLDC Membership

Aggregations:
Added automatically
Karst Information Portal

Postcard Information

Format:
serial

Downloads

This item has the following downloads:


Full Text
Description
Gruta com "marca de
ps" atrao em Mato Grosso Meu escritrio uma caverna -
Caverna monastrio restaurada em Belgrado Patrimnio cultural
negligenciado na ndia Cavernas Kanheri, ndia Centro de
facilitao para compreender as pinturas e esculturas em
cavernas Aps ordem judicial, comea a restaurao das
cavernas Jogeshwari Cavernas indgenas sagradas Sobre a
matria dos moradores de cavernas palestinas Foto do Leitor:
Castelo de Socerb (Eslovnia).



PAGE 1

R SBE SBE GRUTA COM “MARCA DE PS” A TRAO EM MATO GROSSO An trop oesp eleo logi a 1 SBE SBE Antropoespeleologia Boletim Eletrnico da Seo de Histria da Espeleologia da SBE Ano 1 N 03 15/12/2007 A regio de Garas Brancas repleta de histrias msticas, a maioria de origem indgena. O presidente da Associao Mato-grossense de Pesquisas Ufolgicas e Psquicas (AMPU), Atade Ferreira da Silva Neto, cita as lendas dos ndios Bororos e Xavantes que relatam histrias de semi-deuses que seriam criaturas pequenas de mais ou menos 1,20 m, com a cabea desproporcional ao corpo. Alguns teriam trs, outros quatro e outros seis dedos nos ps. “Eles viveriam em cavernas e viriam das estrelas. O relato semelhante lenda dos ndios do Xingu, na Amaznia. Existem outras lendas indgenas que citam uma carruagem de fogo que veio do cu, ensinou algumas culturas a eles e voltou novamente para as estrelas”, afirma. O curioso, segundo o presidente da AMPUP que no Parque Estadual da Serra Azul em Barra do Garas, existe uma caverna com o sugestivo nome de Gruta dos Pezinhos, isso porque em toda a extenso da caverna existem supostas marcas de ps petrificadas no teto, no cho e na parede. “Pode ser lenda indgena, mas muita coincidncia haver uma caverna com pegadas petrificadas”, diz. A gerente do Parque Estadual da Serra Azul, Daniela Barros falou que a entrada na Gruta dos Pezinhos restrita porque o local de difcil acesso, sendo necessria a presena de um guia do parque. O visitante que desejar visitar a gruta deve apresentar um ofcio com antecedncia. Sobre a origem das supostas pegadas na gruta, o coordenador de Unidades de Conservao da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), Elder Monteiro Antunes, falou que no existe nenhum estudo cientfico para comprovar como foram formadas as pegadas. “Pretendemos fazer futuramente um estudo arqueolgico para saber como foram formadas essas pegadas. Se foi pela natureza ou alguma tribo indgena h milhares de anos que fez os desenhos na gruta. Existem milhares de explicaes, mas nenhuma comprovada”, destacou ele. Uma outra lenda indgena a Lagoa Encantada, que fica dentro da reserva indgena Xavante, prximo do municpio de Nova Xavantina. Essa lenda conta que a lagoa seria a entrada das moradas dos deuses, onde luzes mergulham e depois saem da gua em direo s estrelas. “Eles tomam banho na lagoa, mas tem medo de mergulhar no fundo, pois acreditam que uma fora invisvel pode pux-los para o fundo. Um mistrio que existe nessa lagoa a ausncia de vida, s que as pessoas no sabem dizer o porqu”, indaga o presidente da AMPUP Atade Ferreira. 14/10/2007 s 13:08,Ter ra / Paraiba.com.br MEU ESCRIT"RIO UMA CAVERNA A empresa em questo um parque industrial subterrneo que emprega cerca de 120 trabalhadores. Muitos podem ser encontrados em Kansas City ou prximos a ela. Foram construdos em cavernas artificiais de calcrio nos anos 50 quando da construo da estrada inter-estadual 70. Os trabalhadores intencionalmente extraram a rocha de forma a “construir” enormes sales. Quando terminadas as operaes,o cho foi coberto com concreto e os espaos alugados a preos atrativos. Atualmente,a empresa de Kathy Bennett fabrica caixas enrugadas e mostrurios similares aos encontrados em lojas como o Wal-MartI. P ode ainda fabricar placas de papel para uma caneta ou um carro. No ano passado a empresa teve lucro anual de cerca de 30 milhes de dlares. A umidade e temperatura constantes so condies ideais para o trabalho com a matria-prima de papel utilizada pela empresa de Bennet. 04/10/2007, CNN Money .com ISSN 1982-3630

PAGE 2

CAVERNA MONASTRIO RESTAURADA EM BELGRADO CAVERNAS KANHERI, NDIA 2 SBE SBE Antropoespeleologia Kirill Bessonov Um Monastrio subterrneo do sculo XVII foi restaurado na regio oeste de Belgrado. Esse enorme complexo subterrneo, que foi saqueado e destrudo durante a Revoluo de Outubro, foi novamente santificado pelo Arcebispo local. A Caverna Monastrio de Santo Incio localiza-se abaixo de uma colina prxima ao Rio Oskol. A extenso total da caverna possui cerca de 650 m e assemelha-se a um labirinto. A poro central, no entanto, igual a qualquer Igreja Catlica Ortodoxa. O ambiente do monastrio seco e a temperatura de 6C em seu interior se mantm constante durante o ano. Historiadores afirmam que o monastrio foi fundado no sculo XVII. No sculo XIX, tornou-se importante plo religioso. Durante a Revoluo de Outubro, os monges foram obrigados a abandonar o complexo e vrias cavernas locais foram ocupadas por gangues anarquistas. Aps a chegada dos Bolcheviques ao poder, a destruio do monastrio foi ordenada. A restaurao iniciada em 2005 foi realizada por inmeros voluntrios de Belgrado e membros de Grupos de Estudo de Histria. O Arcebispo premiou aqueles que participaram dos trabalhos. A primeira missa a ser celebrada no local, aps a restaurao, o ser a do Natal. 27/09/2007, Moscow News, n 38 Neste exemplo de outra caverna, pxima a Barcelona, Santo Incio de Loyola experienciou profunda presena divina. As Cavernas Kanheri esto entre os stios culturais mais bem preservados de Bombaim. Escondidas na densa floresta do Parque Nacional de Sanjay Gandhi, em Borivali, as cavernas desenvolvem-se em basaltos em meio a um cenrio de verdes montanhas entremeadas por rios. Entretanto, enquanto essa proteo natural ajuda a manter as cavernas intactas, leva apenas 2 entre 10 turistas a visit-las, por considerarem que uma excurso ao local seja insegura. A estrada de 6 km que leva s cavernas encontra-se em pssimo estado de conservao Existem cerca de 109 clulas encravadas na rocha, os chaityas com stupas (monumento arredondado) destinados prtica religiosa. Intricadas esculturas Budistas so encontradas nas paredes das cavernas. O salo principal possui duas esttuas de Buda com sete metros de altura e cerca de 34 pilares trabalhados na rocha. Algumas poucas esttuas encontram-se desfiguradas, mas a grande maioria est intacta. As Cavernas Kanheri so tambm um timo exemplo de como os monges armazenavam a gua da chuva por vrias geraes. Os 86 tqnques de armazenamento possuem capacidade de 20 a 50 litros. Apesar das dificuldades de acesso, as cavernas recebem cerca de 5.000 turistas por final de semana. Em sua maioria, trabalhos escolares de campo 14/10/2007, ExpressIndia.com Entrada de um templo das Cavernas Kanheri. Foto: Nasser Lalljee Vista geral das Cavernas Kanheri. Foto: Nasser Lalljee “Stupa” e imagens de buda esculpidas na rocha (Foto: Nasser Lalljee) PA TRIMNIO CULTURAL NEGLIGENCIADO NA NDIA Sayli Udas-Mankikar Local para romances a dois, playground para crianas e ponto de encontro de viciados em drogas so algumas das funes de um lugar antes sagrado e destinado s prticas Budistas. As Cavernas Mahakal ou Cavernas Kondivita so um monumento nacional indiano de 22 cavernas e uma stupa central que, infelizmente, no se parecem mais com um Com cerca de 1500 anos o local sofre constantes agresses e descaso das autoridades. 08/10/2007, ExpressIndia.com

PAGE 3

CENTRO DE FACILIT AO PARA COMPREENDER AS PINTURAS E ESCULTURAS EM CAVERNAS 3 SBE SBE Antropoespeleologia A interpretao de esculturas e murais das Cavernas de Ajanta e Ellora (Patrimnios Culturais Mundiais) no mais sero problema aos turistas, com a criao de um “ Centro de Facilitao” prximo s cavernas. Equipado com rplicas e guias multimdia, o Centro j se encontra em construo, com previso de inaugurao no final de 2008. O Centro de Facilitao ser especialmente til aos turistas que no podem pagar os servios de um guia. Alm disso, as pinturas de 1500 anos no podem com a iluminao artificial e, por isso, o complexo de cavernas fechado a cada final de tarde. As Cavernas 1, 2, 16 e 17 do Complexo de Ajanta (um total de 30 cavernas) possuem a maioria das pinturas que sero recriadas no Centro. Um projeto similar est em andamento nas Cavernas de Ellora, famosas por sua arquitetura. O diretor do Maharashtra Tourism Development Corporation Bhushan Gagrani afirma, no entanto, que os Centros no substituiro as cavernas. Serviro como um local onde os turistas possam aprender sobre as cavernas, esculturas e pinturas antes de visitarem-nas 30/09/2007, The Hindu Esculturas nas Cavernas de Ellora. Abaixo e esquerda trs pessoas como escala na foto.Foto: Rasit B.Seth Vista geral das Cavernas e cavernas de Ajanta CAVERNAS INDGENAS SAGRADAS Em Santa Barbara, Califrnia, um clube de tiro perdeu sua licena de operao, de mais de 20 anos, por estar prximo s terras consideradas sagradas pela tribo norte-americana de ndios Chumash. O Departamento de Agricultura contrariou uma deciso oficial do Condado de Los Padres que permitia o uso da terra por parte do clube de tiro, com base nas alegaes de que as Cavernas Husahkiw-Chumash Windcaves e as montanhas da regio so sagradas para os ndios. 30/09/ 2007 Santa Barbara News-Press AP"S ORDEM JUDICIAL, COMEA A RESTAURAO DAS CAVERNAS JOGESHWARI Sayli Udas-Mankikar As Cavernas Jogeshwari, outrora abandonadas, receberam ateno especial. Cerca de 10 trabalhadores foram avistados colocando novas pedras na estrada de acesso. A Suprema Corte de Bombaim determinou ao Archaeological Survey of India (ASI) que fossem demolidas e removidas quaisquer construes no autorizadas no entorno das cavernas-templo. Membros do Comit, apontado pela Suprema Corte, se reunram na Caverna-templo “mais afetada” para decidir quais medidas a tomar em relao dificil situao em que se encontram as antigas Cavernas-templo Hindus e Budistas no entorno de Bombaim. Painel com a imagem de Ganesha, comum em cavernas-templo na ndia 14/10/2007, ExpressIndia.com

PAGE 4

Fo to d o le ito r Foto do leitor Luiz Travassos Luiz Travassos Filie-se SBE S o c ie d a d e B r a s il e ir a d e E s p e le o lo g ia C liq ue a q ui p a ra sa b e r c o m o s e to rn a r s c io d a S BE T e l ( 1 9 ) 3 2 9 6 5 4 2 1 Filiada R Unio Internacional de Espeleologia FEALC -Fede rao Espe leolg ica da Am rica Latin a e C aribe VENHA PARA O MUNDO DAS CAVERNAS VENHA PARA O MUNDO DAS CAVERNAS 4 SBE SBE Antropoespeleologia Por Luiz Eduardo P anisset Travassos (1153) O Castelo de Socerb localiza-se prximo Caverna Santa (Sveta Jama), na Vila de Socerb, Sul da cidade italiana de Trieste Encravado em um macio calcrio de 300 metros de altura, o Castelo oferece uma belssima vista do Golfo de Trieste e de Koper A regio, que tem passado pr-histrico, romano e medieval pertenceu Repblica Veneziana por cerca de 500 anos e depois, monarquia austraca dos Hasburgos. Por sua posio privilegiada, j existia na forma de uma torre antes do ano de 948, quando o Rei Otto I a cedeu ao Bispo de Trieste. Posteriormente sofreu vrias modificaes sendo ocupado, desde o sculo XII, por diferentes famlias ao longo da histria. Em 1780 foi atingido por um raio e severamente danificado pelo incndio subseqente. Aps a Primeira Guerra Mundial, foi adquirido pelo Baro Demetrius Economo que o reformou gradualmente. Com o fim da Segunda Guerra Mundial, tornou-se propriedade da Iuguslvia. Atualmente, com o desmatelamento do territrio Iuguslvio, est em terras eslovenas funcionando como um restaurante detentor de uma belssima vista. O CASTELO DE SOCERB L u i z T r a v a s s o s L u i z T r a v a s s o s SOBRE A MATRIA DOS MORADORES DE CAVERNAS PALESTINAS No dia 20 de novembro, nossa Seo recebeu um email que fornecia correes ao artigo veiculado pela AFP e publicado no ltimo nmero do SBE Antropoespeleologia. Aproveitamos aqui para reproduzir as informaes corretas e agradecer ao Gelogo Edison Archela do Departamento de Geocincias da Universidade Estadual de Londrina-UEL: “No ltimo boletim da Antropoespeleologia n 2, na matria intitulada "MORADORES DE CAVERNAS PALESTINAS RESISTEM OCUP AO"notei uma pequena falha de informao, a qual passo a comentar: O texto refere-se s encostas rochosas do sul de West Bank (regioconhecida como Judia ou Samria). Entretanto, houve um perodo em que o povo Hebreu esteve dividido em dois reinos: o Reino do Norte conhecido como Israel, e o Reino do Sul conhecido como Jud. Samaria era uma cidade que se localizava dentro do Reino de Israel e, portanto, no era um reino ou regio para ser sinnimo de Judia ou de Israel, e muito muito menos relacionada Judia;estava assim, contida em Israel. Ant es d e im prim ir pen se n a su a resp ons abil idad e com o m eio amb ient e SBE Antropoespeleologia Comisso Editorial: Luiz Eduardo P Travassos (Coordenador), Isabela Dalle Varela e Rose Lane Guimares Reviso: Delci Kimie IshidaTodas as edies esto disponveis em uma publicao eletrnica da SBE Sociedade Brasileira de Espeleologia. Telefone/fax. (19) 3296-5421. Contato: A reproduo deste permitida, desde que citada a fonte. historia@sbe.com.br www.sbe.com .br


printinsert_linkshareget_appmore_horiz

Download Options

close
Choose Size
Choose file type
Cite this item close

APA

Cras ut cursus ante, a fringilla nunc. Mauris lorem nunc, cursus sit amet enim ac, vehicula vestibulum mi. Mauris viverra nisl vel enim faucibus porta. Praesent sit amet ornare diam, non finibus nulla.

MLA

Cras efficitur magna et sapien varius, luctus ullamcorper dolor convallis. Orci varius natoque penatibus et magnis dis parturient montes, nascetur ridiculus mus. Fusce sit amet justo ut erat laoreet congue sed a ante.

CHICAGO

Phasellus ornare in augue eu imperdiet. Donec malesuada sapien ante, at vehicula orci tempor molestie. Proin vitae urna elit. Pellentesque vitae nisi et diam euismod malesuada aliquet non erat.

WIKIPEDIA

Nunc fringilla dolor ut dictum placerat. Proin ac neque rutrum, consectetur ligula id, laoreet ligula. Nulla lorem massa, consectetur vitae consequat in, lobortis at dolor. Nunc sed leo odio.