Citation
SBE Antropoespeleologia

Material Information

Title:
SBE Antropoespeleologia
Series Title:
SBE Antropoespeleologia
Alternate Title:
SBE Antropoespeleologia: Boletim Eletrônico da Seção de História da Espeleologia da SBE
Publisher:
Sociedade Brasileira de Espeleologia
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
serial ( sobekcm )

Notes

General Note:
Pesquisadores descobrem 18 sítios arqueológicos no Jalapão - Tocantins - Guerra da Bósnia transformou os Bálcãs - Grutas de Cascais reabrem em Portugal - Maraú, Bahia - Israelenses descobrem tesouro da época do Império Romano - Urso mata dois militares muçulmanos na Caxemira - Foto do Leitor: Lapa Nova de Maquiné (MG-243).
Restriction:
Open Access - Permission by Publisher
Original Version:
Vol. 2, no. 26 (2009)
General Note:
See Extended description for more information.

Record Information

Source Institution:
University of South Florida Library
Holding Location:
University of South Florida
Rights Management:
All applicable rights reserved by the source institution and holding location.
Resource Identifier:
K26-03371 ( USFLDC DOI )
k26.3371 ( USFLDC Handle )
8625 ( karstportal - original NodeID )
1982-3630 ( ISSN )

USFLDC Membership

Aggregations:
Karst Information Portal

Postcard Information

Format:
Serial

Downloads

This item has the following downloads:


Full Text
Description
Pesquisadores
descobrem 18 stios arqueolgicos no Jalapo Tocantins -
Guerra da Bsnia transformou os Blcs Grutas de Cascais
reabrem em Portugal Mara, Bahia Israelenses descobrem
tesouro da poca do Imprio Romano Urso mata dois militares
muulmanos na Caxemira Foto do Leitor: Lapa Nova de Maquin
(MG-243).



PAGE 1

R S B E S B E Antropoespeleologia Boletim Eletrnico da Seo de Histria da Espeleologia da SBE Ano 3 N 26 15/1 1/2009 ISSN 1982-3630 1 S B E S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a PESQUIS ADORES DESCOBREM 18 STIOS ARQUEOL"GICOS NO JAL APO TOCANTINS Eduar do L obo Em apenas duas semanas de pesquisa de campo em maro deste ano foram descobertas 18 ocorrncias arqueolgicas entre assentamentos pr-cermicos stios litocermicos e pontos com arte rupestre na regio do Jalapo no L este do T ocantins At ento desconhecidas pela arqueologia brasileira as ocorrncias demonstram o alto potencial arqueolgico do Jalapo conforme especialistas O assunto tema desta primeira das cinco matrias da srie Riqueza Escondida Agora alm do rico potencial para o turismo de aventura e ecolgico a regio revela-se um grande stio arqueolgico de alto valor histrico cultural e com informaes que ainda podem ser desvendadas sobre os povos da pr-histria (a fase da histria que precede a escrita) que habitavam a rea dizem os arquelogos A rea est situada no territrio de quatro municpios: Novo Acordo Lizarda So Flix do T ocantins e Rio Sono respectivamente a 112, 317, 227 e 143 quilmetros de P almas que fazem parte da sub-bacia do Rio do Sono formada por este e outros rios As descobertas foram realizadas por uma equipe de pesquisadores do L aboratrio de Arqueologia Etnologia e Etno-histria da Universidade F ederal da Grande Dourados (Etnolab-UFGD), do Estado do Mato Grosso do Sul A pesquisa decorrente de uma parceria entre a empresa Scientia Consultoria e o Etnolab-UFGD Conforme o professor doutor do Etnolab-UFGD Jorge Eremites de Oliveira as descobertas surgiram de um trabalho rpido de duas semanas “ Tnhamos que verificar se existiam stios arqueolgicos nessa rea que podem ser afetados com a construo da Usina Hidreltrica de Novo Acordo (no municpio de Novo Acordo)”, revela A riqueza arqueolgica do Jalapo formada por alinhamentos de pedras e seixos no cho e gravaes rupestres feitas simbolizando pegadas de animais tringulos e vrias outras formas geomtricas em paredes de cavernas e formaes rochosas As formas conforme os pesquisadores so caractersticas tpicas da tradio conhecida como geomtrica meridional que era comum em vrios grupos tnicos pr-histricos F azem parte das descobertas smbolos que conforme os pesquisadores podem ser referncias astronmicas Com as descobertas os pesquisadores informam que preciso ampliar os estudos para definir as caractersticas das sociedades pr-histricas que habitaram a regio OCUP AO Segundo os pesquisadores o estudo revelou que os povos pr-histricos da regio preferiam ocupar reas prximas a crregos e rios de menor porte afluentes do Rio do Sono P ara os arquelogos a opo poderia ser em funo de os pequenos crregos facilitarem a pesca com “armadilha ou arco e flecha ” e pela fonte de gua Constatou-se a existncia de stios arqueolgicos s margens dos rios Monte Santo e V ermelho bem como dos crregos Espingarda Caracol R apadura Olimpo F ormosa e Brejo Conforme Eremites de Oliveira e o professor doutor em Antropologia e Arqueologia R odrigo Aguiar que realizou o trabalho de campo no Jalapo importante frisar que embora o perodo de pesquisa tenha sido pequeno mostrou que a regio possui um enorme potencial arqueolgico no conhecido “ algo to grande e desconhecido que ficamos surpresos um grande potencial e atesta a necessidade do aprofundamento das pesquisas ”, aponta Aguiar Ele diz que as tcnicas de pesquisa na regio foram especficas com varreduras em reas prximas de cursos de gua e com a ajuda de imagens de satlites Jornal do T ocantins

PAGE 2

2 S B E S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a Brunelli Duar te D i f c i l c h e g a r d i f c i l d e i x a r A p l a c a l o g o n a estrada resume bem como u m a v i s i t a P e n n s u l a d e Mara, que faz parte da rota da Costa do Dend, na Bahia R u a s s e m a s f a l t o b a r e s charmosos hotis rsticos e sofisticados lagoa e praias de tirar o flego Assim Mara, um verdadeiro paraso com cerca de 50 quilmetros de mar para desbravar Q u e m p e g a u m a l a n c h a o u u m b a r c o e m C a m a m u c o m d e s t i n o P ennsula de Mara vai passar por ilhas que so literalmente parada obrigatria Uma das mais famosas a da P edra F urada No por acaso A ilha t e m r o c h a s q u e f o r m a m verdadeiras esculturas naturais A mais bonita um portal que se formou com a eroso e virou uma verdadeira janela para o mar azul da baa d e C a m a m u. i m p o s s v e l passar pela estrutura rochosa sem parar e ficar admirando a vista por alguns minutos No local tambm h uma gruta digamos mgica Bom pelo menos a histria que corre pela regio E os moradores garantem que verdade Dizem que quem passar pela primeira vez pela gruta e fizer um pedido o desejo ser realizado M a s o m e l h o r v e m d e p o i s : q u a n d o v o c a t r a v e s s a a g r u t a v a i s e deparar com um jardim cheio de muito verde de espcies nativas e ar puro Sem contar q u e h e m t o d a a i l h a pedrinhas porosas cheias de furinhos que do nome ao local Adaptado de Gazeta On Line MARA, BAHIA GUERRA D A B"SNIA TRANSFORMOU OS BLCS Amauri Arrais Os restos mortais de 19 corpos encontrados numa gruta vertical na localidade de Bisina no dia 23 de outubro de 2009, trouxeram super fcie mais um trecho de um dos episdios mais sangrentos ocorridos desde a Segunda Guerra Mundial As ossadas muitas com sinais de mos amarradas e os olhos vendados so de muulmanos mortos na matana de Srebrenica que em poucos dias de 1995 dizimou cerca de 8 mil pessoas durante a Guerra da Bsnia D e s d e e n t o d e a c o r d o c o m o I n s t i t u t o B s n i o d e P e s s o a s Desaparecidas j foram identificadas mais de de 5.600 vtimas exumadas de cerca de 70 ossrios ou valas comuns descobertos nos arredores da cidade Nesta semana no T ribunal de Haia comea o julgamento do ex -lder sr vio Ra d o v a n K a r a d z i c a p o n t a d o c o m o r e s p o n s v e l p e l o g e n o c d i o e m Sreberenica e por outros crimes de guerra P ara entender o conflito que eclodiu em 1992, preciso regredir um pouco no tempo Em 1914, o arquiduque F rancisco F ernando herdeiro do trono da ustria e sua esposa a duquesa de Hohemberg foram assassinados em Sarajevo por um estudante ser vo-bsnio A ustria declarou guerra Sr via o que desencadeou a P rimeira Guerra Mundial >>> G1; Globo.com L eia mais GRUT A S DE CA SCAIS REABREM EM PORTUGAL As Grutas do P oo V elho em Cascais reabrem ao pblico pela segunda vez este ano com uma visita guiada por tcnicos municipais e com entrada livre T ais grutas que pela referncia histrica e preocupao em preser var o patrimnio s recebem visitas em datas especiais apresentam-se de cara lavada, aps uma inter veno de reabilitao que devolveu luz e brilho ao espao fechado h 40 anos Em declaraes L usa a chefe de diviso do patrimnio histricocultural da Cmara Municipal de Cascais explicou que a requalificao efetuada passou pela recuperao do espao exterior da gruta Mais precisamente atravs da limpeza dos grafites que manchavam as paredes e limpeza do espao urbano , referiu Jacinta Bugalho As grutas estavam esquecidas desde que foram fechadas h 40 anos O que fizemos foi pintar as paredes e construir uma estrutura exterior para garantir segurana de forma a tornar o espao mais atrativo , afirmou ainda a responsvel Jacinta Bugalho sublinhou que a nvel de interior foi feita a reabilitao da instalao eltrica j existente e a construo de degraus para criar maior conforto aos visitantes. T udo pronto portanto para que as grutas voltem a abrir portas desta vez no mbito das Jornadas Europias do P atrimnio Isto depois de terem recebido o pblico em Abril deste ano na comemorao do Dia Internacional dos Monumentos O P oo V elho trata-se de uma grande necrpole em gruta com vrias galerias comunicantes entre si por pequenos corredores e com pequeno lago salgado Utilizadas principalmente como necrpole no Neoltico e sua ocupao prolongou-se pela Idade do Bronze e pelo perodo visigtico estando o seu esplio (cilindros de calcrio/dolos placas de xisto elementos de adorno e utenslios variados) exposto nos museus dos Ser vios Geolgicos de P ortugal e dos Condes Castro Guimares www .iol.pt ; http://www .lifecooler .com/P ortugal/natureza/GrutadoP ocoV elho

PAGE 3

3 S B E S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a ISRAELENSES DESCOBREM TESOURO D A POCA DO IMPRIO ROMANO A maior coleo de moedas raras j encontrada do perodo da revolta judaica de Bar -K okhba contra os romanos foi descoberta por pesquisadores da Universidade Hebraica de Jerusalm e da Universidade Bar -Ilan As moedas foram encontradas em trs lotes em uma caverna localizada na reser va natural das montanhas da Judia O tesouro inclui moedas de ouro prata e bronze assim como armas e cermica A descoberta foi feita durante a pesquisa e mapeamento da caverna realizada por Boaz L angford e Amos F rumkin da unidade de pesquisa de cavernas do departamento de geografia da Universidade Hebraica juntamente com Boaz Zissu e Hanan Eshel da Universidade Bar -Ilan Cerca de 120 moedas foram descobertas dentro de uma caverna que tem uma "ala escondida". A abertura dessa ala levou a uma pequena cmara que por sua vez se abre para uma sala que ser via de esconderijo para os combatentes judeus de Bar -K ochba A maior parte das moedas descobertas est em excelentes condies Elas eram prensadas por cima das moedas romanas pelos rebeldes As novas marcas mostram imagens judaicas e palavras (por exemplo a fachada do T emplo de Jerusalm e o slogan "para a liberdade de Jerusalm"). Outras moedas encontradas de ouro prata e bronze so moedas romanas do perodo e cunhadas em outras partes do imprio romano ou em Israel em caverna durante uma escavao cientfica Detalhes das moedas encontradas (Foto: EFE) Estado .com.br

PAGE 4

F oto do leitor F oto do leitor F oto do leitor 4 S B E S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a Antes de imprimir pense na sua responsabilidade com o meio ambiente S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a Comisso Editorial: L uiz Eduardo P T ravassos (Coordenador), Isabela Dalle V arela e R ose L ane Guimares R eviso : Delci Kimie Ishida T odas as edies esto disponveis em u m a p u b l i c a o e l e t r n i c a d a SBE Sociedade Brasileira de Espeleologia. T elefone/fax (19) 3296-5421. Contato : A reproduo deste per mitida, desde que citada a fonte. historia@sbe .com .br www .sbe .com .br L uiz T ravassos Filie-se SBE Sociedade Brasileira de Espeleologia Clique aqui para saber como se tor nar scio da SBE T el. (19) 3296-5421 Filiada R Unio Inter nacional de Espeleologia FEALC -Federao Espeleolgica da Amrica L atina e Caribe VENHA P ARA O MUNDO D A S CA VERNA S VENHA P ARA O MUNDO D A S CA VERNA S L AP A NO V A DO MA QUIN, CORDISBURGO (MG) 3 S B E S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a URSO MA T A DOIS MILIT ANTES MUULMANOS NA CAXEMIRA F oto : L .E .P T ravassos Um urso matou dois militantes muulmanos depois de encontr-los em sua toca na parte da Caxemira administrada pela ndia segundo informou a polcia nesta tera-feira Outros dois homens conseguiram fugir um deles gravemente ferido depois do ataque no distrito de K ulgam Os militantes tinham rifles mas foram pegos de surpresa Acredita-se que este seja o primeiro incidente do tipo desde que separatistas muulmanos pegaram em armas contra o governo indiano em 1989. Segundo o chefe da polcia F arooq Ahmed os militantes haviam se instalado em uma caverna que ser via de toca para o urso Os dois mortos foram identificados como sendo Mohammad Amin tambm conhecido como Qaiser e Bashir Ahmed apelidado de Saifullah Quando o militante ferido foi buscar ajuda mdica em um vilarejo prximo a polcia acabou sendo informada do ataque No esconderijo os policiais encontraram rifles e munio Bilogos afirmam que o conflito na Caxemira provocou o aumento da populao de ursos e leopardos na regio j que aps um levante de insurgentes as pessoas foram obrigadas a entregar suas armas polcia Com isso a caa diminuiu mas aumentaram os casos de incidentes entre homens e animais selvagens H trs anos moradores do vilarejo de Mandora no sul da Caxemira mataram a pauladas um urso pardo que invadiu o local BBC Brasil