Citation
SBE Antropoespeleologia

Material Information

Title:
SBE Antropoespeleologia
Series Title:
SBE Antropoespeleologia
Alternate Title:
SBE Antropoespeleologia: Boletim Eletrônico da Seção de História da Espeleologia da SBE
Publisher:
Sociedade Brasileira de Espeleologia
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
serial ( sobekcm )

Notes

General Note:
Escavaçães no Piauí podem revelar hiato da ocupação humana nas Américas - Canibalismo era comum entre homens da caverna na Europa, sugere estudo - Monastério de Geghard - Chinês vira 'homem das cavernas'- Escavação em Pains revela descoberta de dois sepultamentos indígenas - Talheres descartáveis - Antropólogos encontram restos do mais antigo banquete - Foto do Leitor: Maciço de Cerca Grande, Matozinhos (MG).
Restriction:
Open Access - Permission by Publisher
Original Version:
Vol. 3, no. 36 (2010)
General Note:
See Extended description for more information.

Record Information

Source Institution:
University of South Florida Library
Holding Location:
University of South Florida
Rights Management:
All applicable rights reserved by the source institution and holding location.
Resource Identifier:
K26-03381 ( USFLDC DOI )
k26.3381 ( USFLDC Handle )
8635 ( karstportal - original NodeID )
1982-3630 ( ISSN )

USFLDC Membership

Aggregations:
Karst Information Portal

Postcard Information

Format:
Serial

Downloads

This item has the following downloads:


Full Text
Description
Escavaes no Piau
podem revelar hiato da ocupao humana nas Amricas -
Canibalismo era comum entre homens da caverna na Europa, sugere
estudo Monastrio de Geghard Chins vira 'homem das
cavernas'- Escavao em Pains revela descoberta de dois
sepultamentos indgenas Talheres descartveis Antroplogos
encontram restos do mais antigo banquete Foto do Leitor:
Macio de Cerca Grande, Matozinhos (MG).



PAGE 1

R S B E S B E Antropoespeleologia Boletim Eletrnico da Seo de Histria da Espeleologia da SBE Ano 3 N 36 15/09/2010 ISSN 1982-3630 1 S B E S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a ESCA V A'ES NO PIAU PODEM REVEL AR HIA TO D A OCUP AO HUMANA NA S AMRICA S A arqueloga e professora da UFMG Maria Jacqueline R odet e a mestranda DeborahDuarte analisam material proveniente de Buritizeiro Sepultamentos descobertos no P arque Nacional da Serra das Confuses (PI) podem reforar a busca por respostas para um hiato que marca as pesquisas sobre a ocupao humana nas Amricas H dcadas antroplogos se perguntam como teria ocorrido a suposta substituio de uma populao pr-histrica por outra no continente A tese surgiu com os estudos do crnio de L uzia descoberto nos anos 1970 e considerado como sendo da primeira brasileira alm de o primeiro fssil humano das Amricas A jovem mulher que viveu h aproximadamente 11 mil anos na regio crstica (tipo de relevo caracterizado pela corroso de rochas) de L agoa Santa (MG), tinha feies negroides e era provavelmente descendente da primeira migrao da sia com caractersticas distintas dos ndios modernos Equipes da F undao Museu do Homem Americano (F umdham) empreenderam prospeces em 2008 e 2009, que resultaram no cadastro de 110 stios arqueolgicos Em dois deles T oca do Enoque e T oca do Alto da Serra do Capim -, escavaes revelaram esqueletos de adultos e crianas e fragmentos de ossos humanos queimados A importncia da descoberta est nas primeiras dataes obtidas recentemente : entre cerca de 5 mil e 8 mil anos atrs justamente durante essa faixa cronolgica que os pesquisadores acreditam que uma populao com as caractersticas mongoloides dos povos indgenas brasileiros passou a habitar o continente Os estudos mais avanados nessa direo esto sendo coordenados por professores da Universidade F ederal de Minas Gerais (UFMG) a partir de esqueletos encontrados no stio Caixa D"gua em Buritizeiro no norte do Estado Descoberto no incio dos anos 1980, o stio teve a explorao encerrada em 2007. De l foram retirados 45 esqueletos adulto e encaminhados para o L aboratrio de Estudos Evolutivos Humanos da Universidade de So P aulo (LEEH/USP), responsvel por indicar as caractersticas mor folgicas desses antigos americanos "Quase no h esqueletos conhecidos no Brasil nessa faixa (entre 5 mil e 8 mil anos atrs). Existem esqueletos muito mais antigos que so aqueles da L agoa Santa geralmente entre 8 mil e 10 mil anos com uma mor fologia diferente dos ndios atuais", obser vou o arquelogo francs Andr P rous uma autoridade no assunto No incio dos anos 70, P rous integrou a Misso F rancoBrasileira que desenterrou na L apa V ermelha na cidade de P edro L eopoldo (MG), o crnio de L uzia "Buritizeiro e a Serra das Confuses esto preenchendo esse vazio . A arqueloga Gisele Daltrini F elice uma das responsveis pelas descobertas no sudoeste do P iau, ressalta que sero realizados os estudos especficos de antropologia fsica em todos os esqueletos humanos encontrados Anlises de DNA esto sendo realizadas na F rana para a verificao da existncia entre relaes de parentesco dos diversos indivduos encontrados Os recentes trabalhos arqueolgicos fazem parte de uma extenso do projeto Origem e Evoluo Migratria dos P rimeiros Grupos Humanos na regio antes concentrado no P arque Nacional da Serra da Capivara Nesse parque na T oca dos Coqueiros foi localizado um esqueleto com as mesmas caractersticas fsicas de L uzia datado entre 9 mil e 11 mil anos atrs "A importncia dos achados est na possibilidade de verificao do tipo fsico alm de se obter dados sobre diferentes rituais funerrios tanto para um mesmo grupo como para identificar diferentes ncleos que ocuparam as Serras da Capivara e das Confuses", disse Gisele "O interessante que na Serra das Confuses o tipo de enterramento muito diferente do que a gente tinha encontrado at agora . So F rancisco Os trabalhos sob a coordenao de Nide Guidon outra autoridade em pr-histria sul-americana -, projetam uma fronteira de pesquisas na R egio Nordeste do P as A partir do stio de Buritizeiro os cientistas esperam consolidar nos prximos anos um conjunto de importantes informaes a respeito da evoluo do homem pr-histrico no chamado Brasil Central (regio do Cerrado que compreende o centro-norte de Minas o sudoeste baiano T ocantins e Gois) e no povoamento do V ale do Rio So F rancisco durante o perodo mdio do holoceno (poca geolgica que comeou h cerca de 11 mil anos e se estende at hoje).T rabalhos interdisciplinares pretendem reconstruir no s as caractersticas fsicas mas o ambiente os costumes as tcnicas e o cenrio onde vivia o Homem de Buritizeiro como j foram apelidados os esqueletos encontrados na cidade mineira apesar de os pesquisadores torcerem o nariz para a denominao V estgios encontrados nas sepulturas indicam que essa populao que provavelmente vivia acampada margem do So F rancisco j dominava rsticas tcnicas de processamento de alimentos Nos sepultamentos as ossadas estavam acompanhadas de materiais lticos (rochas lascadas ou polidas) e pontas feitas de ossos de mamferos A suspeita dos cientistas que alm de caadores coletores e pescadores os habitantes dessa poca tambm dominavam tcnicas de navegao www .estadao.com.br

PAGE 2

2 S B E S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a Homens da caverna que habitavam a Europa cerca de 800 mil anos atrs praticavam o canibalismo de forma rotineira sugere um novo estudo sobre o assunto Uma anlise de ossos fossilizados na Espanha mostra que o canibalismo fazia parte da rotina dos primeiros humanos que habitaram a Europa Os ossos analisados foram encontrados na caverna de Gran Dolina na Espanha e mostra sinais de cortes e outras marcas que foram feitas por ferramentas primitvas de pedra Entre os ossos de bises veados carneiros selvagens e outros animais os cientistas descobriram os restos de pelo menos 11 crianas e adolescentes humanos Os ossos mostravam sinais de esmagamento e evidncias apontam que os crebros das vtimas tambm eram comidos segundo estudo publicado na edio de agosto da revista centfica Current Anthropology De acordo com Jos Maria Bermdez de Castro autor do estudo marcas sobre a base do crnio tambm indicam que os seres humanos teriam sido decapitados mas o fato de os ossos humanos terem sido descartados juntos aos de outros animais sugere que no houve significncia religiosa na prtica Os cientistas do Centro Nacional de P esquisa da Evoluo Humana de Burgos na Espanha acreditam que os homens da caverna comiam outros humanos para satisfazer suas necessidades nutricionais e para controlar a populao de tribos inimigas Atacar os jovens e crianas menos capazes de se defender "representava um risco menor para os caadores e seria mais eficaz na estratgia de controlar a populao de tribos rivais", explica Bermdez de Castro National Geographic Os ossos de seres humanos que foram vtimas de canibalismo se estendem por um perodo de cerca de cem mil anos indicando que a prtica no era apenas limitada a momentos em que a comida era escassa Globo.com CANIBALISMO ERA COMUM ENTRE HOMENS D A CA VERNA NA EUROP A SUGERE ESTUDO Equipe de pesquisador es r ealiza escavaes na Espanha MONA STRIO DE GEGHARD O M o n a s t r i o d e Geghard na P rovncia de K o t y a k A r m n i a f o i p a r c i a l m e n t e e s c u l p i d o a m o n a s M o n t a n h a s d e Basalto P or isso inicialmente recebeu o nome Mosteiro da Caverna O local foi fundado no Sculo IV CHINS VIRA “HOMEM D A S CA VERNA S” Os brasileiros vo entender bem o que levou o mineiro aposentado Chen Xinnian a voltar no tempo e se tornar um “ homem das cavernas ”. O chins decidiu construir sua nova casa seis metros abaixo do cho para se livrar de pagar impostos Xinnian queria viver em uma casa maior mas no queria gastar dinheiro Se ele juntasse suas economias e comprasse uma casa maior os tributos do novo imvel seriam muito altos Ento h quatro anos ele colocou em prtica sua experincia profissional cavando uma espcie de tnel embaixo de sua casa Assim ele conseguiu mais espao sem ter que pagar mais A caverna bem maior do que a casa anterior do chins e apesar da escurido a famlia de Xinnian est gostando da novidade Costumo cantar e danar com minha esposa no subsolo muito legal l embaixo T enho duas filhas que brigam para ver quem vai dormir no subsolo . Outra vantagem da nova casa a segurana: a caverna pode resistir at a um terremoto Noticias.r7.com

PAGE 3

3 S B E S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a O Municpio de P ains (MG) conhecido pela diversidade de cavernas e um nmero impressionante de stios arqueolgicos est passando por mais um momento histrico O Museu Arqueolgico do Carste do Alto So F rancisco (MAC) est realizando sua primeira escavao oficial O trabalho revelou a descoberta de dois sepultamentos indgenas que podem ter de 3 a 8 mil anos o que ser apurado no laboratrio A equipe coordenada pelo Curador do MAC e doutorando pela Universidade de So P aulo (USP), Gilmar Henriques P inheiro Jnior mais dois arquelogos tambm pela USP um doutorando e uma mestre alm de uma acadmica em histria pela F undao Educacional de Divinpolis (FUNEDI) e um auxiliar de pesquisas do MAC j retirou um dos achados que foi levado para o Museu Arqueolgico onde ser preparado para compor o acer vo De acordo com Henriques o stio arqueolgico que estava sendo tragado devido ao impacto de uma dolina parece ter sido usado como ritual de sepultamento triplo " impressionante como se v nitidamente o corpo deitado", explica o arquelogo que pesquisa a regio h mais de dez anos Fonte:ASSCOM P ains ESCA V AO EM P AINS REVEL A DESCOBERT A DE DOIS SEPUL T AMENTOS INDGENA S T ALHERES DESCARTVEIS ANTROP"L OGOS ENCONTRAM RESTOS DO MAIS ANTIGO BANQUETE Michael Marshall (da New Scientist) A descoberta dos cascos mostra que banquetes ocorreram 2.500 anos mais cedo que pensado anteriormente em um estgio decisivo na transio da vida de caa e coleta nmade para a de agricultura Os restos do banquete foram encontrados na caverna de Hilazon T achtit em Israel por Natalie Munro da Universidade de Connecticut e L eore Grosman da Universidade Judaica em Jerusalm Na rea destinada para enterros esto os ossos de 28 pessoas As cascas de tartarugas foram enterradas em um poo de 12 mil anos fechada com uma laje calcrea junto com o corpo de uma mulher idosa "Ela tinha muitos problemas de sade e provavelmente mancava", diz Munro "Ela foi enterrada com uma coleo de estranhas partes animais como a plvis de um leopardo . Estes itens foram provavelmente smbolos de status e podem indicar que ela eram uma xam --sacerdote com atribudos poderes sobrenaturais em transe Munro acredita que as tartarugas foram comidas durante o funeral da mulher E m u m segundo poo da mesma poca os pesquisadores encontraram outro enterro este acompanhado pelos ossos de trs animais de gado selvagem Isto indica que podem ter ocorrido dois banquetes de funeral separados Na poca a regio era habitada pelo povo natufiano que estava comeando a se estabelecer em comunidades fixas "De repente voc tem centenas de pessoas vivendo no mesmo lugar pela maior parte do tempo e que trabalha com atrito de objetos", diz Alan Simmons da Universidade de Nevada L as V egas Banquetes podem ter ajudado os indivduos a suavizar as coisas e ajuntar as comunidades diz ele Entretanto o arquelogo Brian Hayden da Universidade F raser em Burnaby Colmbia Britnica Canad, argumenta que banquetes tendem a ser usados por lderes polticos para consolidar seu poder "Eles convertem o alimento excedente em coisas teis como dbitos e suporte poltico", diz ele A pesquisa foi divulgada no peridico "PNA S" (P roceedings of the National Academy of Sciences). http://www1.folha.uol.com.br Caverna de Hilazon T achtit, em Israel, local em que foram encontrados sinais de banquete e funeral de 12 mil anos A r q u e l o g o s d a Universidade de T el A viv Israel e n c o n t r a r a m t a l h e r e s d e s c a r t v e i s e m e s c a v a o em uma caverna prxima a capital israelense Os objetos estima-se tm idade aproximada de 200 mil anos As informaes so da agncia AP possvel que sejam os objetos com funo de faca mais antigos j encontrados Seu formato lembra o de uma p a l h e t a u s a d a p r a t o c a r guitarra Os arquelogos acreditam que eram usadas para cortar a carne pois foram encontradas prximas a ossos Estes ossos foram usados para calcular a idade dos objetos As facas eram descartveis segundo os arquelogos pois passavam a no estar afiadas Alm disso eram feitas por material reciclado com partes de outros materiais maiores que ser viam para caar animais www .ter ra.com.br

PAGE 4

F oto do leitor F oto do leitor F oto do leitor S B E S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a Antes de imprimir pense na sua responsabilidade com o meio ambiente S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a u m a p u b l i c a o e l e t r n i c a d a SBE Sociedade Brasileira de Espeleologia. T elefone/fax (19) 3296-5421. Contato : A reproduo deste per mitida, desde que citada a fonte. historia@sbe .com .br Comisso Editorial: L uiz Eduardo P T ravassos (Coordenador), Isabela Dalle V arela e R ose L ane Guimares R eviso : Delci Kimie Ishida T odas as edies esto disponveis em www .sbe .com .br L uiz T ravassos Filie-se SBE Sociedade Brasileira de Espeleologia Clique aqui para saber como se tor nar scio da SBE T el. (19) 3296-5421 Filiada R Unio Inter nacional de Espeleologia FEALC -Federao Espeleolgica da Amrica L atina e Caribe VENHA P ARA O MUNDO D A S CA VERNA S VENHA P ARA O MUNDO D A S CA VERNA S MA CIO DE CERCA GRANDE, MA TOZINHOS, MINA S GERAIS 4 S B E S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a P rof Dr Altino Caldeira Barbosa