SBE Notícias

Citation
SBE Notícias

Material Information

Title:
SBE Notícias
Series Title:
SBE Notícias
Alternate Title:
SBE Notícias: Boletím Eletrônico da Sociedade Brasileira de Espeleologia
Publisher:
Sociedade Brasileira de Espeleologia
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
serial ( sobekcm )

Notes

General Note:
Speleocongreso 2007: II Circular - Palestra na SBE sobre fotografia na natureza - Tijuco Alto: está aberto o prazo para a realização de audiências públicas - Custo da energia solar deve cair - Desativando represas - Caverna chinesa guarda informações sobre a dispersão do homem moderno - Simbologia de superície para o carste: lista oficial da UIS - Concurso da UIS recebe doze bandeiras - Sibea tem novo portal - Foto do Leitor: Gruta das Andorinhas (PR-52).
Restriction:
Open Access - Permission by Publisher
Original Version:
Vol. 2, no. 47 (2007)
General Note:
See Extended description for more information.

Record Information

Source Institution:
University of South Florida Library
Holding Location:
University of South Florida
Rights Management:
All applicable rights reserved by the source institution and holding location.
Resource Identifier:
K26-03428 ( USFLDC DOI )
k26.3428 ( USFLDC Handle )
8682 ( karstportal - original NodeID )
1809-3213 ( ISSN )

USFLDC Membership

Aggregations:
Added automatically
Karst Information Portal

Postcard Information

Format:
serial

Downloads

This item has the following downloads:


Full Text
Description
Speleocongreso 2007:
II Circular Palestra na SBE sobre fotografia na natureza -
Tijuco Alto: est aberto o prazo para a realizao de
audincias pblicas Custo da energia solar deve cair -
Desativando represas Caverna chinesa guarda informaes sobre
a disperso do homem moderno Simbologia de supercie para o
carste: lista oficial da UIS Concurso da UIS recebe doze
bandeiras Sibea tem novo portal Foto do Leitor: Gruta das
Andorinhas (PR-52).



PAGE 1

ISSN 1809-3213 R SBE SBE c s N o t i a c s N o t i a c s N o t i a c s N o t i a Boletm Eletrnico da Sociedade Br asileir a de Espeleologia 1 t s N o c ia t s N o c ia Ano 2 N 47 1 1/04/2007 PALESTRA NA SBE SOBRE FOTOGRAFIA NA NATUREZA Dia 21 de abril (sbado) a SBE r ealizar em sua sede o “XIX SBE de P ortas Abertas” com a palestra: “F otografia na Natur eza” apr esentada por R en de Souza (SBE 0562) fotgrafo e membr o do GESMAR (Grupo Est. Amb. Serra do Mar G027). R en vai apr esentar as tcnicas de fotografia na natur eza, abor dando assuntos como: fotografia de cachoei-ras, animais, plantas e cavernas; a utilizao de equipamentos apr opriados; composio fotogrfica; anlise de foto-grafias para estudos; etc. Aps a parte terica, os participantes faro um "Safri F otogrfico" pelo P ar que T aquaral, colocando em prtica os conceitos apr esentados. Esta palestra est sendo r ealizada pela segunda vez no pr ojeto SBE de P ortas Abertas, atendendo a inmer os pedidos. V eja como foi a primeira paletra de F otografia em: Compar ea e traga sua mquina fotogrfica de qualquer mar ca ou modelo (com filme ou digital)! L ocal: P ar que T aquaral P orto 2 Campinas SPData: 21/04/2007Horrio: 09h30Entrada gratuita Saiba mais sobr e o pr ojeto em: SBE Notcias n9 Sede da SBE www .sbe.com.br/aberta.asp Preos das inscries : US$350,00 at 30 /04/2007;US$375,00 de 01/05 a 15/07/2007;US$400,00 aps 15/07/2007. Em r elao ao valor da inscrio, haver exceo para aqueles que esto com o pr ocesso de visto em andamento. Se voc r eceber sua confirmao aps alguma das datas limite, ficar isento do aumento. F avor enviar uma cpia escaneada de seu visto junto com o pagamento. O pr eo inclui todos os benefcios indicados no site do congr esso. No haver descontos para alojamentos fora das depen-dncias do CECADER Lamentamos informar que, por razes de logstica de alimen-tao, segurana e r egulamento da Universidade de P orto Rico, no sero aceitas inscries par ciais (um dia ou dois, por exemplo). Acompanhantes : Em 30 dias, no mximo, divulgar emos no site do congr esso uma lista de opes de pr ogramas para os acompanhantes dos congr essistas. Site do congresso com problemas : No momento o site do congr esso no est funcionando por que a empr esa que nos ofer ecia o ser vio per deu seu cr edenciamento e teve que encerrar suas operaes. P edimos desculpas a todos pelos inconvenientes. Nosso web mster Carlos Cruz, est trabalhando ar duamente para transportar todo o site para uma nova empr esa. O ender eo continua o mesmo: Esperamos que tudo esteja normalizado o mais br eve possvel. Enquanto isso, solicitamos que utilize o ender eo abaix o: Preguntas : F avor envi-las para: Contamos com sua pr esena em Aguadilla, P orto Rico. www .speleocongr eso2007.or g host451.ipower web.com/~speleoco enlacepr@caribe.net II Circular 01 de abril de 2007 T empo : F altam menos de quatr o meses para o incio do V Congr esso da FEALC e I Congr esso da F ederao Espeleolgica de P orto Rico FEPUR que ser r ealizado nas dependncias da Universidade de P orto Rico, municpio de Aguadilla. V oc pr ecisa de visto para viajar e ainda no o solicitou? J fez sua inscrio e pagou? Resumos de T rabalhos : A data para r eceb-los j se encerr ou. R ecebemos mais de 85 r esumos orais, inscritos nas mais diversas r eas da cincia espeleolgica, pr ometendo uma jornada bastante inter essante. Alm disso, ter emos quatr o palestras especiais, uma em cada dia de apr esentao de trabalhos. Espeleofesta : J temos cer ca de oito horas de vdeos, documentrios e outr os meios audiovisuais. Vrias fotografias e mapas de cavernas foram pr ometidos. Quer emos lembrar que ainda estamos aceitando tra-balhos para a Espeleofesta (para mais infor-maes, visite o site do congr esso). Convites e vistos : Os convites pessoais j foram enviados, tanto para ajudar na solici-tao de visto de entrada em P orto Rico (visto americano) quanto para aqueles que o necessitam para apr esentar no trabalho. Alm disso, temos um carta oficial do Departamento de Estado de P orto Rico em apoio ao seu pedido de visto para viajar ao congr esso. Se voc pr ecisa de uma carta para o visto ou para seu trabalho, favor nos mandar uma mensagem o mais rpido possvel com as informaes necessrias para o envio. Os trmites para o visto tomam bastante tempo. No deixe para a ltima hora. Inscries : Quer emos r elembrar que o pr ocesso de inscrio para o V Congr esso da FEALC e I Congr esso FEPUR j comeou. R ecomendamos que se inscr eva agora para apr oveitar os descontos. O fotgraf o em ao V C o n g r e s s o d e E s p e l e o l o g i a d a A m r i c a L a t i n a e C a r i b e I C o n g r e s s o d a F e d e r a o E s p e l e o l g i c a d e P o r t o R i c o A g u a d i l l a P o r t o R i c o 2 9 d e j u l h o a 0 4 d e a g o s t o d e 2 0 0 7

PAGE 2

TIJUCO ALTO : EST ABERTO O PRAZO PARA A REALIZAO DE AUDINCIAS PBLICAS CUSTO DA ENERGIA SOLAR DEVE CAIR 2 t s N o c ia t s N o c ia Adaptado por Marcelo Rasteiro (SBE 1089) Atualmente existem cer ca de 800 mil r epr esas em todo o mundo, sendo 45 mil de grande porte, ou seja, com pr ofundidade superior a 15 metr os. A maioria foi construda no sculo passado, principalmente aps a Segunda Guerra Mundial. Apesar de apr esentar em clar os benefcios como suprimento de ener gia r enovvel, fornecimento de gua para irrigao, lazer etc, isso tem um pr eo salgado. As r epr esas desalojam famlias e causam cada vez mais contr ovrsia nos pases em desenvolvimento. As estruturas elimi-nam paisagens, r etm sedimentos (necessrios aos deltas, mar gens de rio e praias), bloqueiam a passagem de peixes migrat-rios e destr oem ecossistemas dentr o e ao r edor de cursos d’gua. Conser vacionistas h muito se opem sua construo e, mais r ecentemente, tm lutado pela desativao de antigas r epr esas. Nos Estados Unidos, onde as hidr o eltricas devem r enovar sua licena em perodos que vo de 30 a 50 anos, o rtimo de desativao de r epr esas excedeu o de construo na ltima dcada. S nos lti-mos dois anos, cer ca de 80 r epr esas foram demolidas e acr edita-se que elas continuaro sendo destrudas, principalmente as pequenas. Embora os Estados Unidos sejam lder es nessa iniciativa, outr os pases como a F rana, A ustrlia, Canad e Japo tambm destruram r epr esas ou esto planejando r emov-las. Na maioria dos lugar es onde as r epr esas foram eliminadas, a limpidez da gua e o nvel de o xignio aumentaram, insetos aquticos e espcies de peixes que pr efer em guas geladas e rpidas voltaram aos rios e as pessoas a tirar pr oveito dos mesmos. Contudo a liberao dos sedimentos r etidos na r epr esa pode obstruir os canais, enlameando o meio ambiente e destruindo insetos e algas. Os sedimentos que no so levados pela corr enteza tambm podem secar e formar um solo frtil para espcies exticas. Quando o sedimento contm altos nveis de poluentes ou se o escoamen-to pequeno, ainda necessrio a desativa-o em estgios ou r emoo do material. Alm disso, o maior pr oblema o que fazer com o gigantesco acmulo de sujeira e entulho. Assim, devemos pensar na futura desativao de um pr ojeto ao inici-lo. L eia o texto original em: Fonte: Scientific American Brasil 04/2007 O custo de pr oduo da ener gia solar cair at o final da dcada, equiparando -se ao custo da eletricidade gerada pelo car vo, o que informa um r elatrio r ealizado pela empr esa eur opia Photon Consulting. Entr etanto, a r eduo dos custos de pr oduo no iro acarr etar pr eos substancialmente mais baratos para os consu-midor es, devido a dinmica atual do mer cado, que indica que o aumento da demanda vai superar o fornecimento. O r elatrio pr ev que em 2010 a ener gia solar ter um custo de 10 a 12 centavos de dlar por quilowatt hora (kWh) na Espa-nha, praticamente o mesmo pr eo da pr oduo de eletricidade com car vo. No sul da Alemanha, o custo cair para 18 centavos de dlar/kWh pela pri-meira vez abaix o do pr eo atual da ener gia da r ede para consumidor es (de 20 centavos de dlar/kWh). Na Califrnia, o custo deve cair para 13 centavos de dlar/kWh. O estudo, chamado “ Os ver dadeir os custos da ener gia solar ” (The T rue Costs of Solar P ower) analisou somente o custo da pr oduo de ener gia solar com a utilizao de clulas cristalinas fotovoltaicas. O r elatrio alerta que a queda contnua dos pr eos para os fornecedor es no levar a uma r eduo dos pr eos aos consumidor es, pelo menos nos prximos anos. A principal razo para que os pr eos permaneam altos o fato de que o fornecimento no dar conta da demanda. Difer ente dos combustveis fsseis, as ener gias solar elica e hdrica so fontes de ener gia r enovveis, ou seja, no envolvem a emisso de gases do efeito estufa quando utilizadas para pr oduzir eletricidade. Fonte: Carbono Brasil 09/04/2007 DESATIVANDO REPRESAS O prazo para a solicitao de audincias pblicas para discutir o Estudo de Impacto Ambiental (EIA/Rima) da Usina Hidr eltrica de Tijuco Alto, planejada para o rio Ribeira de Iguape, foi aberto no dia 30 de maro por meio de edital publicado no Dirio Oficial da Unio. Os inter essados devem enviar ao Ibama o pedido de r ealizao das audincias, que deve estar assinado por uma asso-ciao civil ou por 50 ou mais cidados, at o dia 14 de maio. A r ealizao das audincias no significa que a obra j esteja apr ovada P elo contrrio, elas so r ealizadas para que as pessoas saibam quais os possveis impactos da obra e para que o Ibama conhea a opinio das pessoas e comunida-des que sero dir eta ou indir etamente impactadas pelo empr eendimento. tambm nas audincias que qualquer cidado pode apr esentar obser vaes sobr e os estudos r ealizados ou mesmo novos estudos indicando pr oblemas que no foram pr evistos no EIA/Rima. Apenas depois das audincias que o Ibama deve decidir se autoriza ou no a construo da obra. O local e data das audincias ainda no foram decididos, pois dependem das cidades que queiram sedi-las. Como a hidr eltrica vai pr ejudicar mais de uma cidade, muito pr ovvel que cada uma r ealize pelo menos uma audincia. No caso de Tijuco Alto, com certeza haver audin-cias em Cerr o Azul (PR) e em Ribeira (SP), municpios que seriam dir etamente afetados pela barragem. P ara as outras cidades do V ale do Ribeira, situadas rio abaix o, s haver uma audincia se houver solicitao de muita gente, embora algumas delas – como Iporanga, Itaca e Eldorado venham a ser dir etamente impactadas pelas outras barragens pr ojetadas para o rio Ribeira. Quem quiser discutir o pr ojeto em sua cidade deve or ganizar um abaix o assinado, com mais de 50 assinaturas, e envi-lo Dir etoria de Licenciamento Ambiental do Ibama (SCEN T r echo 2 Ed. Sede Bloco "C" 1 andar Cx.P ostal n 09870 Asa Norte Braslia DF) at o dia 14 de maio. Muito possivelmente as audincias sero r ealizadas na ltima quinzena de maio, embora a lei no diga nada a r espeito. Com as audincias, comea a fase decisiva do pr ocesso de Tijuco Alto. nelas que as dvidas sobr e o pr ojeto devem ser sanadas, e que os possveis pr oblemas devem ser apontados. P odem ser feitas manifestaes orais ou entr ega de documentos escritos. com base em tudo isso que o Ibama vai decidir sobr e a viabilidade ambiental do empr eendimento. P or isso a participao ativa de todos os inter essados de grande importncia. Fonte: Notcias Socioambient ais 04/04/2007 I S A Par ticipe dest a Campanha!

PAGE 3

CAVERNA CHINESA GUARDA INFORMA'ES SOBRE A DISPERSO DO HOMEM MODERNO SIMBOLOGIA DE SUPERFCIE PARA O CARSTE: LISTA OFICIAL DA UIS 3 t s N o c ia t s N o c ia Mandbula encontr ada na Caverna de T ianyuan Os smbolos de superfcie para r epr esentao cartogrfica do carste (ambiente onde ocorr em cavernas e ouras formaes especficas), usados principalmente por geomorflogos, so portador es de importantes informaoes nos mapas de estudo de determinada r ea crstica. At r ecentemente, estes smbolos estavam, apenas, par cialmente padr onizados, ainda assim, mais em funo de um senso comum do que uma definio oficial de uma entidade, o que, por vezes dificultava a clara interpr etao de alguns mapas. Assim sendo, a International Union of Speleology ( ) entidade que or ganiza a espeleologia mundial em conjunto com a International Geographics Union (IGU), desenvolveu um trabalho de padr onizao destes smbolos, contando com a colabora-o de geomorflogos de todo o mundo. No Brasil, coube ao P r of MSc. Rubens Har dt (SBE 0495) r epr esentar o pas na discusso. Aps diversas colocaes, tr ocadas atravs da internet pelos diversos envolvi-dos, a simbologia oficial foi votada pelos r epr esentantes de cada pas nos meses de maro a julho de 2006. Como r esultado, obteve-se uma coleo de smbolos a ser em utilizados em mapeamento geomorfolgico de superfci-es crsticas, uma importante ferramenta para a classe espeleolgica. A simbologia completa pode ser encontrada na pgina: Fonte: Rubens Hard t 01/03/2007 UIS www .sghbern.ch/surfacesymbols/ symbol1.html CONCURSO DA UIS RECEBE DOZE BANDEIRAS O concurso para eleio da bandeira oficial da Unio Internacional de Espeleolo-gia ( ), divulgado no (p.3), r ecebeu 12 pr opostas, dentr e elas algumas do Brasil. A UIS, entidade a qual a SBE filiada, or ganiza a espeleologia mundial e vai apr esentar sua nova bandeira (uma das inscri-tas) no15 Congr esso Internacional de Espeleologia (ICS) a se r ealizar em julho de 2009 na cidade Kerr ville, T exas, Estados Unidos. O julgamento das pr opostas ser na r eunio da UIS, durante o V Congr esso da FEALC (CEALC) em P orto Rico nos meses de julho e agosto de 2007. Os nomes dos autor es e a naciolidade de cada pr oposta no foram divulgados para no influenciar no julgamento, mas os pr ojetos de bandeiras que foram r ecebidos j podem ser visualizados na pgina abaix o: UIS SBE Notcias n40 www .hawaiiflow .com/ sailing/uis_flags.html A frica o bero da humanidade. Mas, de acor do com um novo estudo feito por pesquisador es chineses e norteamericanos, a maneira como o homem saiu do continente africano para povoar o r estante do planeta pr ecisa ser r evista, pois mais complexa do que se imaginava. O estudo, publicado dia 17/04 na r evista descr eve a anlise de 34 pedaos de fsseis com idade estima-da de 35 mil anos, descobertos na caver-na de Tianyuan, na China. As peas for mam o mais antigo esqueleto humano encontrado at hoje no leste da sia. Segundo o grupo, coor denado por Erik T rinkaus, da Universidade de W ashington em Saint L ouis, nos Estados Unidos, os detalhes, na maioria, guar dam semelhanas com o homem moderno, mas alguns esto mais prximos dos humanos ar caiP r oceedings of the National Academy of Sciences (P nas) cos, como a pr oporo entr e os dentes anterior es e posterior es. Com base nos r esultados, os cientistas apontam que “uma disperso simples dos humanos modernos a partir da frica impr ovvel”. Segundo eles, o esqueleto de Tianyuan suger e que a disperso se deu a partir de movimentos em difer entes perodos e a partir de outras r egies do continente africano que no apenas o leste, como o oeste e sul. Os autor es do estudo apontam que o esqueleto, agora analisado, fornece dados sobr e muitos aspectos a r espeito de sua biologia que sero teis para r econstruir a transio dos huma-nos ar caicos para os modernos no leste da sia. L eia o artigo de Erik T rinkaus em formato PDF An early modern human fr om Tianyuan Cave, Zhouk oudian, China Fonte: Agncia F APESP 03/04/2007 Exemplo de smbolos utilizados P n a s h o r i z o n t a l s p r i n g ( c a v e p e n e t r a t i o n ) h o r i z o n t a l p o n o r ( c a v e p e n e t r a t i o n ) h o r i z o n t a l d r y c a v e SIBEA TEM NOVO PORTAL O Ministrio do Meio Ambiente colocou no ar dia 04 de abril, o novo portal eletrnico do Sistema Brasileir o de Informaes sobr e Educao Ambiental (Sibea). O portal conta com um banco de dados com 200 mil informaes sobr e educao ambiental. Nele, os usurios tero acesso s informaes sobr e especialistas, instituies e grupos que atuam na pr eser vao do meio ambiente. Segundo o dir etor -substituto de Educao Ambiental do Ministrio do Meio Ambiente, Jos V icente de F r eitas, o portal visa pr omover a educao ambiental para o desenvolvimento de uma cultura compr ometida com a defesa do planeta. "Esse o nosso grande desafio, fazer com que cada cidado desse pas possa se transformar num educador ambiental e, na sua r ea de atuao, possa empr eender alguma ao que auxilie nesse pr ocesso de superao da crise", disse. O Sibea pode ser acessado no ender eo abaix o e os especialistas podem se cadastrar no banco de dados: sibea.mma.gov .br/dcsibea Fonte: V oz do Brasil 05/04/2007

PAGE 4

4 sbe@sbe.com.br : www .sbe.com.br SBE Notcias Comisso Editorial uma publicao eletrnica da SBE-Sociedade Brasileira de Espeleologia T el/fax. (19) 3296-5421 Contato: Marcelo A. R asteiro e Barbara E. P F R odrigues T odas as edies esto disponveis em A reproduo deste permitida, desde que citada a fonte. Antes de imprimir pense na suaresponsabilidadecom o meioambiente Apoio: Visite Campinas e conhea a Biblioteca Guy-Christian Collet Sede da SBE. Filie-se SBE S o c i e d a d e B r a s i l e i r a d e E s p e l e o l o g i a C l i q u e a q u i p a r a s a b e r c o m o s e t o r n a r s c i o d a S B E T e l ( 1 9 ) 3 2 9 6 5 4 2 1 Filiada t s N o c ia t s N o c ia R Unio Internacional de Espeleologia FEALC-Federao Espeleolgica da Amrica Latina e Caribe 19 a 26/07/2009 15 Congresso Internacional de Espeleologia UIS K err ville, T exas, EU A www .ics2009.us 21/04/2007 P alestra e demonstrao: F otografia na Natureza Sede SBE Campinas-SP www .sbe.com.br/aber ta.asp 07 a 10/06/2007 29 Congresso Brasileiro de Espeleologia (CBE) Ouro P reto -MG www .sbe.com.br/29cbe.asp C A M P I N A S P R I M E I R O O S Q U E M A I S P R E C I S A M P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E VENHA P ARA O MUNDO D A S CA VERNA S VENHA P ARA O MUNDO D A S CA VERNA S 29/07 a 04/08/2007 5 Congresso FEALC e 1 Congresso FEPUR Aguadilla, P or to Rico www .speleocongreso2007.org As edies i m p r e s s a s esto disponveis para consulta na Biblioteca da SBE Os arquivos eletrnicos podem ser solicitados via e-mail. Boletim Info -SSF N84, Fdration F ranaise de Splologie: Dez/2006. R evista Scientific American Brasil N59, Duetto: Abr/2007. Boletim eletrnico Cone xo Subterr nea N48, R edespeleo Brasil: Mar/2007. Boletim eletrnico El Explorador N35, GEDA/SEC: F ev/2007. Boletim eletrnico Boletim Informati vo da Sociedade P araibana de Arque ologia N4, SP A: Mar/2007. N ovas Aquisies Cav erna das Andorinhas Data: 09/1995 Autor: Jos Mrio Budny (SBE 0230) Gruta das Andorinhas (PR -52): P rojeo Horizontal 161 m, Desnvel 58 m P onta Grossa-PR Na foto Osmar e Moiss, devidamente equipados, obser vam a entrada da caverna. V eja mais fotos da cavernas do P aran em: http://fotos.terra.com.br/album.cgi/*863992 Jos Mrio Budny 2 9 C O N G R E S S O B R A S I L E I R O D E E S P E L E O L O G I A N o v o p ra zo p a ra e n v io d e tr a b a lh o s e i n sc ri e s c o m p re o s re d u zi d o s : 3 0 /0 4 /2 0 0 7 O u r o P r e t oM G 0 7 a 1 0 / 0 6 / 2 0 0 7 MAIS INFORMA'ES : www .sbe.com.br/29cbe.asp Man de sua f oto com n ome data e local par a: sbe@sbe .com.br


printinsert_linkshareget_appmore_horiz

Download Options

close
Choose Size
Choose file type
Cite this item close

APA

Cras ut cursus ante, a fringilla nunc. Mauris lorem nunc, cursus sit amet enim ac, vehicula vestibulum mi. Mauris viverra nisl vel enim faucibus porta. Praesent sit amet ornare diam, non finibus nulla.

MLA

Cras efficitur magna et sapien varius, luctus ullamcorper dolor convallis. Orci varius natoque penatibus et magnis dis parturient montes, nascetur ridiculus mus. Fusce sit amet justo ut erat laoreet congue sed a ante.

CHICAGO

Phasellus ornare in augue eu imperdiet. Donec malesuada sapien ante, at vehicula orci tempor molestie. Proin vitae urna elit. Pellentesque vitae nisi et diam euismod malesuada aliquet non erat.

WIKIPEDIA

Nunc fringilla dolor ut dictum placerat. Proin ac neque rutrum, consectetur ligula id, laoreet ligula. Nulla lorem massa, consectetur vitae consequat in, lobortis at dolor. Nunc sed leo odio.