Citation
SBE Notícias

Material Information

Title:
SBE Notícias
Series Title:
SBE Notícias
Alternate Title:
SBE Notícias: Boletím Eletrônico da Sociedade Brasileira de Espeleologia
Publisher:
Sociedade Brasileira de Espeleologia
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
serial ( sobekcm )

Notes

General Note:
V Jornada de Cursos Brasil-Espanha - SIGEP publica artigo sobre tanques fossilíferos de Itapipoca-CE - IJS disponibiliza artigos em PDF - Mudança na legislção deve ser nefasta para nossas cavernas - O Eco divulga matéria sobre a intenção de abrandar a legislação espeleológica - IANTD divulga artigo sobre a Lagoa Misteriosa - Plongeesout Mag número 6 - Terra se abre em Lapão na Bahia - Site mostra animações sobre nós - Comissão aprova Projeto de Lei para proteger o rio Ribeira de Iguape - Foto do Leitor: Caverna Cristal (SP-531).
Restriction:
Open Access - Permission by Publisher
Original Version:
Vol. 3, no. 102 (2008)
General Note:
See Extended description for more information.

Record Information

Source Institution:
University of South Florida Library
Holding Location:
University of South Florida
Rights Management:
All applicable rights reserved by the source institution and holding location.
Resource Identifier:
K26-03456 ( USFLDC DOI )
k26.3456 ( USFLDC Handle )
8710 ( karstportal - original NodeID )
1809-3213 ( ISSN )

USFLDC Membership

Aggregations:
Karst Information Portal

Postcard Information

Format:
Serial

Downloads

This item has the following downloads:


Full Text
Description
V Jornada de Cursos
Brasil-Espanha SIGEP publica artigo sobre tanques
fossilferos de Itapipoca-CE IJS disponibiliza artigos em PDF
- Mudana na legislo deve ser nefasta para nossas cavernas -
O Eco divulga matria sobre a inteno de abrandar a legislao
espeleolgica IANTD divulga artigo sobre a Lagoa Misteriosa -
Plongeesout Mag nmero 6 Terra se abre em Lapo na Bahia -
Site mostra animaes sobre ns Comisso aprova Projeto de
Lei para proteger o rio Ribeira de Iguape Foto do Leitor:
Caverna Cristal (SP-531).



PAGE 1

ISSN 1809-3213 R SBE SBE c s N o t i a c s N o t i a c s N o t i a c s N o t i a Boletm Eletrnico da Sociedade Br asileir a de Espeleologia 1 t s N o c ia t s N o c ia Ano 3 N 102 21/10/2008 A Comisso Brasileira de Stios Geolgicos e P aleontolgicos or ganizao ligada a UNESCO que conta com a participao da SBE e outras instituies, acaba de publicar o artigo "T anques F ossilfer os de Itapipoca, CE: Bebedour os e cemitrios de megafauna pr-histrica". O pedido de inscrio do stio na SIGEP divulgado no foi uma iniciativa do pesquisador Celso Lira Ximenes (SBE 0392) que tambm o autor do artigo. O r econhecimento como um stio apr ovado pela SIGEP d notoriedade ao local, ajudando sua pr eser vao. Os inter essados podem acessar o texto na ntegra em PDF clicando em: SIGEP SBE Notcias n 51 www .unb.br/ig/sigep/ sitio014/sitio014.pdf SIGEP PUBLICA ARTIGO SOBRE TANQUES FOSSILFEROS DE ITAPIPOCA-CE IJS DISPONIBILIZA ARTIGOS EM PDF O International Journal of Speleology (IJS), publicao da Unio Internacional de Espeleologia (UIS), congratula-se em infor-mar que cinco artigos da Edio Especial sobr e P aleoclima (volume 37(3) 2008), dirigida por Dominique Genty j esto disponveis para consulta e impr esso em PDF Os ttulos e autor es so: Report of a thr ee-year monitoring pr ogramme at Heshang Cave, Central China de C. HU; G.M. HENDERSON; J. HU ANG, Z. CHEN; e K.R JOHNSON. The envir onmental featur es of the Monte Cor chia cave system (Apuan Alps, central Italy) and their effects on speleothems gr owth, de L. PICCINI; G.ZANCHET T A; R DRYSD ALE; J. HELLSTROM; I. ISOLA; A.E. F ALLICK; G. LEONE; M. DO VERI; M. MUSSI; F MANTELLI; G. MOLLI; L. L OT TI; A. RONCIONI; E. REGA T TIERI; M. MECCHERI; E L. V ASELLI. P alaeoclimate Resear ch in V illars Cave (Dor dogne, SW-F rance) de D. GENTY Annually L aminated Speleothems: a Review de A. BAKER ; L. FULLER ; D. GENTY ; I. F AIRCHILD; C. JEX; E C.L. SMITH. Envir onmental Monitoring in the Mechara caves, Southeastern Ethiopia: Implications for Speleothem P alaeoclimate Studies de A. ASR A T ; A. BAKER ; M.J. LENG; J. GUNN; E M. UMER Outr os artigos sero disponibilizados em br eve. V eja os artigos e as r egras de submisso: www .ijs.speleo .it Lenis-BA 12 a 22 de dezembro de 2008 V J o r n a d a d e C u r s o s B r a s i l E s p a n h a V J o r n a d a d e C u r s o s B r a s i l E s p a n h a R Sociedade Br asileir a de Espeleologia F eder ao Espanhola de Espeleologia Escola Espanhola de Espeleologia Atravs do convnio da Sociedade Brasileira de Espeleologia (SBE) c om a F ederao Espanhola de Espeleologia (FEE) e Escola Espanhola de Espeleologia (EEE) R ealizar emos em dezembr o deste ano a V Jornada de Cursos de espeleovertical, desta vez com cursos avanados sob a coor denao dos instrutor es da EEE: CURSO DE SEGURANA DESPORTIV A E AUT O SOCORRO 13 e 14 de dezembr o de 2008 (16 horas/aula) CURSO DE CHEFE DE EQUIPE 15 a 20 de dezembr o de 2008 (25 horas/aula) So apenas 10 vagas por curso. Mais informaes e a ficha de inscrio na pgina: www .sbe.com.br/5eee.asp T anques eram armadilha natural para a megafauna C L X i m e n e s

PAGE 2

2 t s N o c ia t s N o c ia Por Marcelo Augusto Rasteiro (SBE 1089) Conforme divulgado no setor es do governo tm a inteno de abrandar a legislao espeleolgica, alte-rando o e permitindo a destruio de cavernas. Mas a situao par ecia feia por que ela ainda pior Uma nova minuta de decr eto, ainda no divulgada, alm de permitir a supr esso de cavernas com grau de r elevncia alto, mdio e baix o, diminui e at isenta os empr eendedor es da devida compensao ambiental. CRITRIOS DE RELEVNCIA A legislao em vigor considera que todas as cavernas so importantes, inde-pendente de seus atributos. Esta viso tem auxiliado a pr eser var o ambiente subterrneo e at par celas importantes da superfcie acima destas cavidades. O que deveria ser bem visto por toda sociedade, mas que tem atrapalhado os inter esses de alguns empr eendedor es, j que inviabilizam alguns empr eendimentos, principalmente na r ea mineral e ener gtica. Assim, h algum tempo comeou ser difundida a idia de que pequenas cavida-des, sem grandes atributos, no poderiam atrapalhar o desenvolvimento de um gran-de empr eendimento, o que par ece bastante razovel, e que com critrios clar os, poderamos definir o que r ealmente pr ecisa ser pr eser vado. Alm disso, os r ecursos gerados com compensao ambiental poderiam ser utilizados na conser vao das cavernas mais importantes. Ainda que a idia par ea bastante justa, vale r essaltar que no existem estudos compr ovando que as cavernas estejam de alguma forma atrapalhando o desenvolvi-mento do pas, alm disso, os difer entes aspectos ser em considerados para avaliar o grau de r elevncia das cavidades, torna este tipo de avaliao pouco pr eciso. SBE Notcias n90 Decr eto 99.556/1990 V ale sempr e lembrar que o pr ocesso de licenciamento ambiental no pas envolve a contratao dir eta dos estudos pelo empr eendedor inter essado e a avaliao pelo r go ambiental competente. No garantida uma ver dadeira participao dir eta da sociedade ou dos inter essados. MEDIDAS COMPENSA T"RIAS V AMOS LIQUIDAR NOSSAS CA VERNAS? Esta nova pr oposta no podia ser mais nefasta, alm de incentivar a destruio de cavernas, o que inconcebvel, ainda tenta colocar algumas medidas que supostamen-te diminuiriam o estrago causado. No caso se destruio irr eversvel em cavidades consideradas de alto grau de r elevncia, o empr eendedor dever como contrapartida adotar “medidas e aes para assegurar a pr eser vao, em carter permanente, de duas cavidades naturais subterr-neas, com o mesmo grau de r elevncia, de mesma litologia e com atributos similar es que sofr eu o impacto, que sero consideradas cavidades testemunho”, ou seja, esta-mos nos dispondo de um tero das caver-nas que o r go ambiental considerar muito importante. As cavidades que for em consideradas de mdio grau de r elevncia podero ser destrudas se o empr eendedor “adotar medidas e financiar aes, nos termos definidos pelo r go ambiental competente, que contribuam para a conser vao e o uso adequado do patrimnio espeleolgico brasileir o”, ou seja, no h limite para destruio destas cavernas, desde que o empr eendedor financie uma compensao satisfatria aos olhos do governo. J as consideradas de baix o grau de r elevncia podero ser destrudas e, pasmem, “o empr eendedor NO estar obrigado a adotar medidas e aes para assegu-rar a pr eser vao de outras cavidades naturais subterrneas”. Sem comentrios... MUDANA NA LEGISLAO DEVE SER NEFASTA PARA NOSSAS CAVERNAS PLONGEESOUT' MAG NMERO 6 Est disponvel para download a r evista.de espeleomer gu lho Plongeesout' Mag n6 (junho -2008). Este e outr os nmer os podem ser acessados em PDF na pgina abaix o: www .plongeesout.com Est disponvel no site da International Association of Nitr o x and T echnical Divers (IANTD) um inter essante artigo escrito pelo explorador brasileir o Gilberto Menezes de Oliveira (SBE 1295) e publicado na Nitr o x Diver Magazine volume 96-4 (nov/96Jan/97). O artigo “ Explorations at mysterious lagoon Brazil ” r elata pontos importantes da histria do mer gulho em cavernas no Brasil, em especial na Lagoa Misteriosa (MS-43), localizada no municpio de Jar dim-MS, onde o mer gulhador atingiu 151metr os de pr ofundidade em Junho de 1996, usando uma mistura r espiratria chamada “trimix”. L eia o artigo (em ingls) clicando em: www .iantd.com/mysterious.html IANTD DIVULGA ARTIGO SOBRE A LAGOA MISTERIOSA Sondagens indicam que a Lagoa Misteriosa passa dos 220 metros de profundidade. S r g i o V i e g a s O ECO DIVULGA MATRIA SOBRE A INTEO DE ABRANDAR A LEGISLAO ESPELEOL"GICA O site O ECO acaba de divulgar uma importante matria colocando de forma cla-ra e franca a inteno de abrandar a legisla-o espeleolgica. Ao que tudo indica, a r ea ambiental per de fora neste pr ocesso e setor es como o de minas e ener gia contam com o apoio da Casa Civil, desequilibrando as negociaes e empobr ecendo qualquer sada menos destrutiva. Se dentr o do governo o pr ocesso no tm sido participativo, a participao da sociedade civil praticamente nula. Alm disso, a nova minuta de decr eto, ignorando a dificuldade de se criar crit-rios de r elevncia para as cavernas, diz claramente que a metodologia ficar pr onta em 60 dias. L eia a matria clicando na fonte. Fonte: O Eco 17/10/2008

PAGE 3

3 t s N o c ia t s N o c ia Os morador es de Lapo, no interior da Bahia, esto assustados. Na ultima semana comearam a apar ecer fissuras nas ruas do municpio. A cidade cr esceu em cima de uma caverna, localizada bem no centr o da localidade. Aps um estr ondo muito forte, fissuras sur giram cortando ruas, pisos e par edes das casas. Em um bairr o, seis famlias tiveram de deixar os imveis. O mistrio tambm se espalhou pelo campo. Uma fenda que chega a dez cent-metr os de lar gura e tem pr ofundidade desconhecida est deixando fazendeir os apavorados. O gelogo do Instituto de P esquisa T ecnolgica em So P aulo, Adalberto Menezes, foi chamado para avaliar o fenmeno. Ele constatou que h movimentos de r ochas no subsolo. “ O indcio clar o de que est mexendo”, afirma Menezes. O gelogo tambm descobriu que a r egio concentra uma imensa r eser va de gua embaix o da terra, e h um exager o de poos artesianos explorando o local. So mais de 11 mil poos artesianos alimentan-do r eas irrigadas. Como no h contr ole na utilizao da gua, o grande manancial subterrneo est secando, segundo os tcnicos. Enquanto o nvel da gua diminui, a terra vai ocupando os espaos vazios e cedendo na superfcie. “ A terra e a superfcie esto se adequando nova condio que est sendo imposta pelo bombeamento. P odem ocorr er mais afundamentos. A velocidade, ns no sabemos, vai depender dos estudos que estamos conduzindo”, diz Menezes. Fonte: G1 17/10/2008. A Comisso de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentvel apr ovou, dia 08 deste ms, o P r ojeto de L ei (PL) 3436/08, do deputado Ivan V alente (P sol-SP), que torna o rio Ribeira de Iguape patrimnio hist-rico, cultural e ambiental do Brasil. L ocalizado nas r egies Sul e Sudeste, o V ale do Ribeira possui o maior e mais contnuo r emanescente da Mata Atlntica, com mais de 2,1 milhes de hectar es de flor esta. Ivan V alente lembra que a conser vao dessa flor esta e a sobr evivncia da populao local dependem do rio Ribeira de Igua-pe. A populao local composta princi-palmente por comunidades quilombolas, caiaras, ndios, pescador es e pequenos pr odutor es rurais. Os caiaras, por exemplo, sobr evivem da pesca, r ealizada de modo primitivo e com baix o impacto ambiental. P or isso, explica o parlamentar qualquer alterao significativa na vazo ou na qualidade das guas do rio podem gerar um grande impacto populao. O parlamentar r essalta ainda que a pr eser vao do rio importante para o turismo local, que se encontra em expan-so. O V ale do Ribeira abriga um dos maior es complex os de cavernas do Brasil. So 273 cavidades naturais cadastradas pela COMISSO APROVA PROJETO DE LEI PARA PROTEGER O RIO RIBEIRA DE IGUAPE TERRA SE ABRE EM LAPO NA BAHIA O site Animated Knots by Gr og disponibiliza uma srie de animaes mos-trando como se confeccionam diversos ns, para uso em escalada, pesca, bar co, etc. As animaes esto acompanhadas de um texto (em ingls) explicando passo a-passo como se faz cada n. O acesso a algumas animaes gratuito e podem ser bastante teis, mas cabe r essaltar que a pratica de atividades de aventura, como escalada e espeleologia envolve risco e deve sempr e ser pr ecedida de muito tr einamento e instruo com pessoal qualificado. Assista as animaes clicando na pgina abaix o: www .animatedknots.com SITE MOSTRA ANIMA'ES SOBRE N"S Rechaduras cor tam o solo da regio Clique na imagem para assistir a matria do JN F e r n a n d o V i v a s / A T a r d e Sociedade Brasileira de Espeleologia. "Boa parte do turismo nos municpios de Iporan-ga e Apia se deve a existncia dessas caver-nas", explica V alente. Ao sugerir a apr ovao da matria, o r elator deputado P aulo T eixeira (PT -SP), lembr ou que o pr ojeto pr obe a instalao de obras ou empr eendimentos que venham alterar significativamente as condies natu-rais do rio. TRAMIT AO A pr oposta, que tramita em carter conclusivo, ainda ser analisada pelas comisses de Educao e Cultura; e de Cons-tituio e Justia e de Cidadania. L eia o texto integral do PL 3436/08 e acompanhe seu andamento na pgina: Fonte: Agncia Cmara 14/10/2008. www2.camara.gov .br Barragens so grande ameaa ao rio Ribeira D i v u l g a o N oito duplo um dos mais usados A n i m a t e d k n o t s c o m

PAGE 4

4 sbe@sbe.com.br : www .sbe.com.br SBE Notcias Comisso Editorial uma publicao eletrnica da SBE-Sociedade Brasileira de Espeleologia T elefone/fax. (19) 3296-5421 Contato: Marcelo A. R asteiro e Delci K.Ishida T odas as edies esto disponveis em A reproduo deste permitida, desde que citada a fonte. Antes de imprimir pense na suaresponsabilidadecom o meioambiente Apoio: Visite Campinas e conhea a Biblioteca Guy-Christian Collet Sede da SBE. Filie-se SBE S o c i e d a d e B r a s i l e i r a d e E s p e l e o l o g i a C l i q u e a q u i p a r a s a b e r c o m o s e t o r n a r s c i o d a S B E T e l ( 1 9 ) 3 2 9 6 5 4 2 1 Filiada t s N o c ia t s N o c ia R Unio Internacional de Espeleologia FEALC-Federao Espeleolgica da Amrica Latina e Caribe 21/10/2008 VI SBE vai Escola P alestra sobre espeleologia IG/Unicamp Campinas-SP www .sbe.com.br/vai.asp C A M P I N A S P R I M E I R O O S Q U E M A I S P R E C I S A M P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E VENHA P ARA O MUNDO D A S CA VERNA S VENHA P ARA O MUNDO D A S CA VERNA S Flores Presente para a Alma! Data: 09/2007 Autor: F ernanda Cristina Loureno Bergo (SBE 1654).GESMAR (SBE G027) Caverna Cristal (SP -531) P rojeo Horizontal: 1430 m. Desnvel 36 m. Iporanga-SP Na foto Flores de Aragonita pendem do teto da caverna. Man de sua f oto com n ome data e local par a: sbe@sbe .com.br N ovas Aquisies Boletim Compte R endu DÂ’Activits N16, Fdration F ranaise de Sp lologie: 2007. Boletim eletrnico Cone xo Sub terrnea N69, R edespeleo Brasil: Out/2008. Boletim eletrnico Informativo da Sociedade P araibana de Arqueolo gia N26, SP A: Out/2008. Boletim eletrnico Plongeesout' Mag N6, Plongeesout: Jun/2008. 19 a 26/07/2009 15 ICS Congresso Internacional de Espeleologia K err ville, T exas USA www .ics2009.us As edies impressas esto disponveis para consulta na Biblioteca da SBE. Os arquivos eletrnicos podem ser solicitados via e-mail. 12 a 22/12/2008 V Jornada de Cursos Brasil-Espanha Salvador -BA www .sbe.com.br/5eee.asp I n f o r m e P u b l i c i t r i o www .dolomit as.com.br So Paulo, SP Petzl Blue W ater Omega PacificBRC Black DiamondMaha PowerexGarminSeattle S port s Headlamp s FreiosMosquetesCap acetes PoliasAscensoresDescensores fit as tubulares de 15 e 25mm Mosquetes 10% de desconto p ara scios ativos da SBE Fernanda Cristina Loureno Bergo