Citation
SBE Notícias

Material Information

Title:
SBE Notícias
Series Title:
SBE Notícias
Alternate Title:
SBE Notícias: Boletím Eletrônico da Sociedade Brasileira de Espeleologia
Publisher:
Sociedade Brasileira de Espeleologia
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
serial ( sobekcm )

Notes

General Note:
Jornada de estudos das cavernas de Naica - Cristais gigantes e cavernas de Naica - Parque do Sumidouro depende de apoio dinamarquês - Morcegos fazem chuva de sementes - Morreu Edmund Hillary, primeiro homem a conquistar o Everest - Jornal Hoje divulga o PETAR - Chapada Diamantina em alerta vermelho - Texto: Águas Subterrâneas - Foto do Leitor: Gruta dos Paiva (SP-42).
Restriction:
Open Access - Permission by Publisher
Original Version:
Vol. 3, no. 75 (2008)
General Note:
See Extended description for more information.

Record Information

Source Institution:
University of South Florida Library
Holding Location:
University of South Florida
Rights Management:
All applicable rights reserved by the source institution and holding location.
Resource Identifier:
K26-03465 ( USFLDC DOI )
k26.3465 ( USFLDC Handle )
8719 ( karstportal - original NodeID )
1809-3213 ( ISSN )

USFLDC Membership

Aggregations:
Karst Information Portal

Postcard Information

Format:
Serial

Downloads

This item has the following downloads:


Full Text
Description
Jornada de estudos das
cavernas de Naica Cristais gigantes e cavernas de Naica -
Parque do Sumidouro depende de apoio dinamarqus Morcegos
fazem chuva de sementes Morreu Edmund Hillary, primeiro homem
a conquistar o Everest Jornal Hoje divulga o PETAR Chapada
Diamantina em alerta vermelho Texto: guas Subterrneas -
Foto do Leitor: Gruta dos Paiva (SP-42).



PAGE 1

SBE SBE ISSN 1809-3213 R SBE SBE c s N o t i a c s N o t i a c s N o t i a c s N o t i a Boletim Eletrnico da Sociedade Br asileir a de Espeleologia 1 t s N o c ia t s N o c ia Ano 3 N 75 21/01/2008 dncia das atuais expedies srias no exterior) est dando certo. F oi apr esentada uma vasta gama de disciplinas, tanto tericas quanto prticas: da ao mapeamento com tcnicas de laser escaner ; da fisiologia humana em ambientes extr emos (a caverna apr esenta uma temperatura de mais de 45C e umidade prxima dos 100%) mineralogia; da climatologia espeleognese; da hidr ogeologia astr obiologia; da geoqumica tecnologia de imagens; e assim por diante. AS PESQUISAS Apesar das pesquisas ter em apenas comeado, alguns r esultados j podem ser considerados extr emamente importantes e valiosos. Conseguiu-se extrair dos cristais gigantes, polens to bem conser vados que, pela primeira vez no mundo, podero ser utili-zados em estudos de P aleoclima e P aleoambiente, permitindo a comparao dos dados obtidos com os coletados em outr os estudos cientficos. No campo da mineralogia, foram descobertos sete minerais novos dentr o do ambiente de cavernas, sendo que um desses ainda pode ser confirmado como um novo mineral para a Cincia. No campo climtico foi instalada uma palinologia Por Soraya Ayub (SBE 0528) Correspondente da SBE na Europa Aps pouco mais de um ano do incio das pesquisas sistemticas que vem desen-volvendo na Caverna dos Cristais Gigantes de Naica, em Chihuahua, Mxico, a Associao La V enta or ganizou uma primeira jornada de estudos onde foram apr esentados os r esultados obtidos at o momento JORNADA O evento foi r ealizado dia 15 de dezembr o de 2007 no Departamento de Cincias da T erra e Geologia Ambiental da Universidade de Bologna, Itlia, contando com a participao de 150 pessoas, uma tima ocasio para r ealizar um balano das pesquisas em andamento, iniciadas pela La V enta em maio de 2007, e tambm para planejar uma pr ogramao para 2008. A ONG Akak or Geographical Exploring (SBE G116) este-ve pr esente ao evento e pde constatar o excelente trabalho que a La V enta est r ealizando em Naica, confirmando o empe-nho de sempr e na espeleologia italiana e mundial. F oram apr esentados vinte trabalhos de pesquisador es pr ovenientes de doze universidades e da V irtualgeo Sociedade Italiana, englobando seis pases (Espanha, EU A, Itlia, Mxico, Noruega e Sua). Mais uma vez La V enta demonstr ou que o seu staff multidisciplinar com pesqui-sador es de vrios pases do mundo (tenakakor@tin.it JORNADA DE ESTUDOS DAS CAVERNAS DE NAICA estao hipgea de medidas de temperatura, uma das mais pr ecisas do mundo, com err o inferior a 4 mili No campo da topografia foi r ealizado um teste que demonstr ou a possibilidade de se utilizar um escaner a laser para os mapeamentos da caverna e dos cristais e, a partir do softwar e CloudCube 2008 desenvolvido pela V irtualgeo em A utoCAD, desenhar o modelo tridimensional. P orm, foi no campo da biologia que os r esultados foram os mais impr essionantes, pois existe a possibilida-de da descoberta de novos or ganismos. Nesse aspecto, vale destacar que, durante a jornada de Naica, a NASA entr ou com o pedido oficial de experimentar novos apa-r elhos de pesquisa cientfica na caverna que, se tiver em xito, podem ser utilizados para a pesquisa de vida em Marte. A jornada, coor denada pelo pr ofessor P aolo F orti da Universidade de Bologna, foi um grande sucesso, princi-palmente pela or ganizao impecvel. O mais importan-te, porm, foi a contribuio cientfica que o evento levou aos participantes, que puderam verificar trabalhos excepcionais e que levam a Espe-leologia a grandes r esultados. Mais informaes em: k elvins naica.laventa.it P a o l o C o s t a Apresentao de T ulio Barnabei dur ante a Jornada Os macr o-cristais na Cueva de Los Cris tales (Naica) Mxico Equipe La V enta realiza es tudos na caverna L a V e n t a L a V e n t a

PAGE 2

2 t s N o c ia t s N o c ia CRISTAIS GIGANTES E CAVERNAS DE NAICA Por Jos Ayrton Labegalini (SBE 01 10) Membro da SERI/SBE No mundo espeleolgico dos dias de hoje, quando se fala em cristais gigantes o pensamento r emetido ao Mxico para as Grutas de Naica. Em r egio calcria situada no norte do territrio mexicano, em uma estrutura geolgica denominada de Serra de Naica, foi aberta a minerao subterr-nea que leva o mesmo nome. A abertura dos tneis descendentes da Mina de Naica acabou esbarrando em cavidades naturais (cavernas) at ento lacradas e desconhecidas. A prime-ira delas, situada a 130 metr os abaix o da entrada da mina e ao nvel do lenol fr etico atual da r egio, a Cueva de las Espadas, onde se encontr ou cristais de selenita, de at dois metr os. P ara a explorao dos veios de min-rio abaix o do lenol fr etico obrigou-se a pr omover o r ebaixamento deste. Atual-mente o cone de depr esso (nome tcnico dado ao formato induzido do lenol fr etico) est com o vrtice r ebaixado de 630 metr os (760 metr os abaix o da entrada da PARQUE DO SUMIDOURO DEPENDE DE APOIO DINAMARQUS Embora rpida, a visita da ministra do T urismo, Marta Suplicy Gruta da Lapinha, em Lagoa Santa, na R egio Metr opolitana de Belo Horizonte, comea a surtir efeito. Como garantira, dia 09 de janeir o, ao pr efeito em exer ccio L enidas Arajo V ieira (PP), ela mar cou para o dia 21, s 11h, em Braslia (DF), um encontr o dele com o embaixador da Dinamar ca, Christian Konigsfeldt. Em pauta, est a busca de financiamento para a implantao de dois pr ojetos, orados em R$ 3,5 milhes, no P ar que Estadual do Sumidour o, que inclui o municpio de P edr o L eopoldo. Embora maravilhada com a beleza da Lapinha e seu entorno, Marta adiantou que o governo no dispe dos r ecursos necessrios para valorizar ainda mais a r ea de 2 mil hectar es, dona de cavernas, stios ar queolgicos e paleontolgicos. O contato com a Dinamar ca est r elacionado ao naturalista P eter L und (1801-1880), que nasceu nesse pas escandinavo, conside-rado o “pai da paleontologia brasileira” e inaugur ou as pesquisas ar queolgicas que puseram a r egio entr e as mais importantes do mundo para a pesquisa cientfica. Os pr ojetos pleiteados so o P ar que dos P rimeir os Americanos, em P edr o L eopoldo, que vai mostrar os primr dios do povoamento na r egio, h mais de 11 mil anos, e o Centr o de R eferncia Espeleolgica Dr L und, pr evisto para funcionar perto da Gruta da Lapinha, em Lagoa Santa. O cen-tr o ter uma r ea de 2,4 mil metr os quadrados e est orado em R$ 2,5 milhes. “Esta-mos esperanosos com essa visita a Bras-lia”, disse o ger ente do P ar que do Sumidour o, unidade de conser vao estadual, R ogrio T avar es, que far parte da comitiva. O P ar que dos P rimeir os Brasileir os, pr oposto pelo pr ofessor W alter Neves, do Laboratrio de Estudos Evolutivos Huma-nos do Instituto de Biocincias da Universi-dade de So P aulo (USP), teve apr ovao unnime no Frum Estadual de T urismo e ser implantado numa r ea de 600 metr os, adquirida pela P r efeitura de P edr o L eopoldo, entr e a Casa de F erno Dias e a Lagoa do Sumidour o. Seu custo R$ 1 milho. O pr ojeto do ar quiteto V itor Moura contempla uma srie de mdulos articulados que evidenciam a ocupao humana, desde a chegada at o modo de viver costumes etc. Segundo T avar es, no par que com concepo museogrfica, haver um mdulo especfico sobr e o P ovo de L uzia, numa r eferncia ossada da mulher encontrada na gruta de Lapa V ermelha, em Lagoa Santa. T rata-se do mais antigo esqueleto humano j achado nas Amricas, embora esteja em exposio no Rio de Janeir o. Ela viveu h 11,5 mil anos, sendo uma legtima r epr esentante do Homem de Lagoa Santa, como ficaram conhecidos, pela cincia, aqueles que habitaram a r egio no passado. Os estudos sobr e os primr dios da ocupao humana na Amrica continuam sendo conduzi-dos em r eas do par que. Os pr ojetos r ecebem aplausos do gestor da Associao do Cir cuito das Grutas, Thomas A urbach: “Ser um atrativo adicional para a r egio que tem grande potencial turstico. O centr o ser uma tima porta de entrada. Das 19 cavernas que esto em ope-rao no pas, trs esto aqui, r ecebendo 105 mil turistas por ano”, afirma. Fonte: Port al Uai 14/01/2008 mina) e as galerias descendentes inter ceptaram mais trs cavernas no nvel -290 (em r elao entrada da mina), que so as Cuevas de los Cristales, de la R eina e de las V elas. T odas as grutas so r epletas de formaes cristalinas, mas destacam-se os crista-is da Cueva de los Cristales, alguns deles excedendo o comprimento de 8 metr os. Esses cristais gigantes, formados quando a caverna ainda estava inundada, j so conhecidas da comunidade espeleolgica mundial como Cristais de Naica. Alguns macr o-cristai s ultr apassam os 8 metr os de comprimento A tem peratura pode ultr apassar os 50C e obriga o uso de trages especiais L a V e n t a L a V e n t a

PAGE 3

3 N ot c ia s N ot c ia s MORCEGOS FAZEM CHUVA DE SEMENTES Espcies de trs gner os de mor cegos frugvor os so os ator es principais de uma tcnica inovadora para o r eflor estamento de r eas degradadas, desenvolvida por bilogos da Universidade Estadual P aulista (Unesp) e da Embrapa Flor estas, unidade da Empr esa Brasileira de P esquisa Agr opecuria em Colombo (PR). Os mor cegos, que voam por grandes dis-tncias e se alimentam de frutas, carr egam no intestino sementes de espcies pioneiras, con-sideradas as mais impor-tantes na r edefinio da estrutura vegetal de uma flor esta e que, por isso, devem ser planta-das antes de qualquer outra espcie. Ao defecar durante o vo eles fazem o plantio natural das sementes. A tcnica funciona com base na atrao dos mor cegos por meio de leos essenciais isolados a partir de frutos usualmente consumidos por eles, em especial dos gner os F icus Solanum e P iper acelerando a disperso de sementes em r egies que pr ecisam ser convertidas em flor estas novamente para atender legislao ambiental, como r eas de agricultura e pastagem abandonadas. O estudo, desenvolvido em par ceria com a pesquisadora Sandra Bos Mikich, da Emprapa Flor estas, trabalhou com mor cegos frugvor os de trs gner os: Artibeus Car ollia e Sturnira comuns em matas bra-sileiras e em outr os pases das Amricas do Sul e Central. O trabalho ficou em primeir o lugar na 11 edio do P rmio F or d Motor Company na categoria Iniciativa do Ano em Conser vao, concedido pela F or d Brasil e pela Conser vao Internacional do Brasil. Fonte: Agncia Fapesp 09/01/2008 MORREU EDMUND HILLARY, PRIMEIRO HOMEM A CONQUISTAR O EVEREST Sir Edmund Hillar y o primeir o homem a chegar ao pico do Ever est, a montanha mais alta do planeta, morr eu dia 11 de janeir o, aos 88 anos. Ao lado do sherpa T enzing Nor gay Hillar y conquistou o Ever est, de 8.848 metr os, em 1953. "F oi uma figura herica que no conquistou apenas o Ever est, mas teve uma vida de determinao, humildade e gener osidade", destacou a primeira-ministra da Nova Zelndia, Helen Clark. Nascido em A uckland em 20 de julho de 1919, Edmund Hillar y j escalava as montanhas geladas da Nova Zelndia aos 12 anos. Com 1,90 metr o e 7 litr os de capacidade pulmonar quando a mdia de 5 litr os, a r econhecida tcnica de alpinismo de Hillar y o colocou na primeira expedio neozelandesa ao Himalaia, em 1951, e em uma equipe de r econhecimento britnica enviada ao Ever est, em 1952. Aos 33 anos e membr o da expedio britnica do cor onel John Hunt, Hillar y e T enzing Nor gay partiram na manh do dia 29 de maio de 1953 de um acampamento a 8.500 metr os de altitude e s 11h30 local entraram para a histria como os primeir os homens a chegar ao topo do mundo. "Sabia que a comunidade do alpinismo apr eciaria a nossa conquista, mas jamais imaginei uma tal r eao da impr ensa e do pblico", disse Hillar y aps o feito. Edmund Hillar y participou de vrias outras expedies, incluindo uma ao polo sul, mas ficou conhecido por seu trabalho para ajudar a populao sherpa e pr eser var o Himalaia. Fonte: AFP 1 1/01/2008 JORNAL HOJE DIVULGA O PETAR O Jornal Hoje, transmitido em todo o Brasil pela R ede Globo de T eleviso, exibiu na ultima semana duas matrias de quatr o minutos sobr e o P ar que Estadual T urstico do Alto Ribeira (PET AR). O par que fica em duas cidades ao sul do estado de So P aulo, Apia e Iporanga. A r ea pr eser vada esconde mais de 200 cavernas e abriga cer ca de 35 mil hectar es de Mata Atlntica. Fonte: Jornal Hoje 17 e 18/01/2008 CHAPADA DIAMANTINA EM ALERTA VERMELHO Sr Edmund Hillar y e T enzing N orgay Everes t, 1953 R o l e x c o m Clique na imagem par a assis tir as repor tagems A Chapada Diamantina est em alerta vermelho desde o dia 11 de janeir o. O par que conta com 42 brigadistas contratados pelo P r evfogo, alm de 14 brigadas voluntrias no entorno. O P r evfogo Sede est articulando com a Coor denao Caatinga do ICMBio para viabilizar o envio de uma viatura com qua-tr o tcnicos experientes em operao de combate para o auxilio na gesto de pessoal e demais pr ovidncias r elativas ao combate do fogo. H incndio confirmado na r egio do entorno da unidade, prximo ao povoado de Campos de So Joo e Serra do povoado da Lavrinha, municpio de P almeiras, e prximo ao Pntano Marimbus, municpio de L enis. T ambm h r egistr o de incndio dentr o do par que na r egio da Chapadinha e perto do povoado de Igatu e na Serra do Sin-cor e Gerais do Rio P r eto, onde a situao do fogo a mais pr eocupante. A mobilizao do pessoal para o foco comeou no final do dia 14 de janeir o. Fonte: Ascom / Ibama 15/01/2008 Morcegos auxiliam no ref lorest amento D i v u l g a o

PAGE 4

4 sbe@sbe.com.br : www .sbe.com.br SBE Notcias Comisso Editorial uma publicao eletrnica da SBE-Sociedade Brasileira de Espeleologia T elefone/fax. (19) 3296-5421 Contato: Marcelo A. R asteiro e Delci K.Ishida T odas as edies esto disponveis em A reproduo deste permitida, desde que citada a fonte. Antes de imprimir pense na suaresponsabilidadecom o meioambiente Apoio: Visite Campinas e conhea a Biblioteca Guy-Christian Collet Sede da SBE. Filie-se SBE S o c i e d a d e B r a s i l e i r a d e E s p e l e o l o g i a C l i q u e a q u i p a r a s a b e r c o m o s e t o r n a r s c i o d a S B E T e l ( 1 9 ) 3 2 9 6 5 4 2 1 Filiada t s N o c ia t s N o c ia R Unio Internacional de Espeleologia FEALC-Federao Espeleolgica da Amrica Latina e Caribe C A M P I N A S P R I M E I R O O S Q U E M A I S P R E C I S A M P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E VENHA P ARA O MUNDO D A S CA VERNA S VENHA P ARA O MUNDO D A S CA VERNA S Man de sua f oto com n ome data e local par a: sbe@sbe .com.br 19 a 26/07/2009 15 Congresso Internacional de Espeleologia UIS K err ville, T exas, EU A www .ics2009.us 19 a 23/05/2008 IV SAP Simpsio de reas P rotegidas Canela-RS sap.ucpel.tche.br 03 a 08/02/2008 III CONAE Congresso Argentino de Espeleologia Mallarge, Mendoza, Argentina conae3.blogspot.com As edies i m p r e s s a s esto disponveis para consulta na Biblioteca da SBE Os arquivos eletrnicos podem ser solicitados via e-mail. N ovas Aquisies Boletim The Journal of the Sydney Speleological Society N12, SSS:Dez/2007. Boletim Compte rendu dÂ’activits N15, CREI/Fdration F ranaise de Splologie:2006. Boletim eletrnico Informativo da Sociedade P araibana de Arqueo logia N16, SP A: Dez/2007. CLEARY R ober t W guas Subter rneas (eletrnico) Campinas: Cleam, 2007. TEXTO: GUAS SUBTERRNEAS Clean Envir onment Brasil e P rinceton Gr oundwater Inc. disponibilizam para distribuio gratuita, o texto integral sobr e guas Subterrneas do Dr R obert W Clear y (F ormato PDF 39MB). O material um dos poucos disponveis em lngua portuguesa sobr e o tema, sendo utilizado h quase duas dcadas em pr ogramas de graduao e ps-graduao no Brasil. O texto est disponvel no link: Fonte: CleanT ech 04/01/2008 www .clean.com.br/clear y .pdf Entrada T riunfante Data: 12/2007 Autor: Sergio Amaral R esende (SBE 1551) Gruta dos P aiva (SP -42) P rojeo Horizontal: 3.692 m Desnvel: 51 m Iporanga SP P arque Estadual de Inter vales (PEI) S e r g i o A m a r a l R e s e n d e