Citation
SBE Notícias

Material Information

Title:
SBE Notícias
Series Title:
SBE Notícias
Alternate Title:
SBE Notícias: Boletím Eletrônico da Sociedade Brasileira de Espeleologia
Publisher:
Sociedade Brasileira de Espeleologia
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
serial ( sobekcm )

Notes

General Note:
Aurora é destaque do Projeto SBE-Tocantins - Novo livro: Cavernas - Técnicas verticais e auto-resgate - Cientistas sugerem início de novo período geológico, o antropoceno - Gotas sobre rochas e sombras - Mapa geomorfológico do carste da Serra da Bodoquena - Serra da Capivara pode entrar na lista de patrimônios em risco - Nota de falecimento: Pedro Comério - Eternizar teu brilho - Foto do Leitor: Gruta Bela Vista (TO).
Restriction:
Open Access - Permission by Publisher
Original Version:
Vol. 3, no. 77 (2008)
General Note:
See Extended description for more information.

Record Information

Source Institution:
University of South Florida Library
Holding Location:
University of South Florida
Rights Management:
All applicable rights reserved by the source institution and holding location.
Resource Identifier:
K26-03467 ( USFLDC DOI )
k26.3467 ( USFLDC Handle )
8721 ( karstportal - original NodeID )
1809-3213 ( ISSN )

USFLDC Membership

Aggregations:
Karst Information Portal

Postcard Information

Format:
Serial

Downloads

This item has the following downloads:


Full Text
Description
Aurora destaque do
Projeto SBE-Tocantins Novo livro: Cavernas Tcnicas
verticais e auto-resgate Cientistas sugerem incio de novo
perodo geolgico, o antropoceno Gotas sobre rochas e sombras
- Mapa geomorfolgico do carste da Serra da Bodoquena Serra
da Capivara pode entrar na lista de patrimnios em risco Nota
de falecimento: Pedro Comrio Eternizar teu brilho Foto do
Leitor: Gruta Bela Vista (TO).



PAGE 1

SBE SBE ISSN 1809-3213 R SBE SBE c s N o t i a c s N o t i a c s N o t i a c s N o t i a Boletm Eletrnico da Sociedade Br asileir a de Espeleologia 1 t s N o c ia t s N o c ia Ano 3 N 77 1 1/02/2008 ca do volume de gua cir culante, causando o r essecamento de riachos e crr egos da r egio. Segundo r elatos de morador es lo cais alguns desses crr egos eram per enes at 2 anos atrs. F oram topografadas 3 cavernas (Gruta do Mistrio, Gruta do Culto I e II) e inician-do a topografia da Gruta do Culto III, totali-zando cer ca de 1.000 m. Os levantamentos fotogrficos tem sido sistemticos e de fundamental impor tncia, no s para a elaborao dos r elatrios, mas para a divul-gao do potencial turstico da r egio, haja vista o calendrio de 2008, feito pela pr efeitura local e Grupo Dolina, que traz as cavernas como tema central. P ALESTRA E OFICINA No dia 12 de janeir o foi r ealizada s 20h no Colgio Estadual P r ofa. Ranulfa uma palestra sobr e Espeleologia e Ecoturismo, ministrada por L uiz Afonso F igueir edo, vice-pr esidente da SBE e pr ofessor de Espeleologia da PUCSP P articiparam do evento cer ca de 40 pessoas, entr e membr os da comunidade local, sendo discutido o potencial e os cami-nhos para o desen-volvimento tursti-co do municpio. Atendendo uma necessidade do Grupo Dolina foi pr omovida no dia seguinte uma oficina de topogra-fia para jovens da cidade, parte teri-ca, parte tr einamento prtico no prprio espao do colgio. O municpio continuou mos trando que tem um enorme potencial espeleolgico, tenPor Luiz Afonso Figueiredo (SBE 0161) Ren de SouzaJovenil Ferreira de SouzaAnselmo Rodrigues Dando continuidade s atividades iniciadas em janeir o 2007, o municpio de A ur ora do T ocantins r ecebeu no perodo de 06 a 15 de janeir o de 2008 a equipe da 6. Expedio do pr ojeto SBET ocantins. P articiparam, ao longo dos 10 dias de trabalhos de pr ospeco e topografia, 18 explorador es integrantes dos grupos GDE (Grupo Dolina de Espeleologia) GESCAMP (Grupo Espeleolgico de Campinas); GESMAR (Grupo de Estudos Ambientais da Serra do Mar) e TRUPE (T rupe V ertical). As atividades de pr ospeco concentraram-se nas seguintes r egies: V ale do Urucum, Morr o da Cangalha, V ale do Canabrava e Imburuu, onde foram localizadas 35 novas cavernas. Na r egio da F azenda Angical, no Morr o da Cangalha e no V ale do Imburuu foram localizadas cavernas e abri-gos com material ar queolgico (cacos de cermica, ferramentas lticas e pinturas rupestr es). Constatou-se que a pr oblemtica da falta de chuvas na r egio associada s questes ambientais r esultou na r eduo drstiAURORA DESTAQUE DO PROJETO SBE-TOCANTINS do em vista a quantidade de r eas que ainda pr ecisam ser exploradas. Em prximas expedies deve-se priorizar r egies j estudadas que demonstra ainda grande potencia-lidade de existncias de novas cavernas, sendo necessrio continuar checando as dr enagens. importante r essaltar o avano nos trabalhos de formao espeleolgica de jovens da cidade e a participao dos mes-mos nas atividades de campo, demonstran-do que uma ao conjunta entr e SBE, grupos de espeleologia e pr efeituras locais, pode pr omover o desenvolvimento r egional e ao mesmo tempo pr oteger esse fantstico patrimnio espeleolgico do estado de T ocantins. P ara a efetivao da expedio foram fundamentais os seguintes apoios logsti-cos, os quais gostaramos de agradecer : Anselmo R odrigues (GDE), Dional V ieira de Sena (pr efeito), Geraldo T ozetti, Alex Gama, Clvis Oliveira (F az. Guarir oba), Aldir Mor eira Carmo (F az. So Geraldo), Jos Guilherme de Men-dona (F az. Asa Branca), Ivonio da Costa Rgis (F az. Jabuti), Otaclio (Morr o da Cangalha), Rita L opes da Silva (F az. Laje), R enilda(F az. Timb), T erpando P aiva Car doso (F az. Santa Helena), Nilton de Almeida T avar es (F az. Angical), Jos Emlio e Divino (F az. Estiva) e P r of Diracy Santana Gandara, dir etor do Colgio P r ofa. Ranulfa Vist a da cidade de Aur ora circundada de mogotes Inscries rupes tres no A brigo da Cangalha Raiz em oldura resurgncia na Faz So Domingos Palestra desper ta o interesse da comunidade F e r n a n d a B e r g o A l a n S a n t o s Luiz Afonso Figueiredo L u i z A f o n s o F i g u e i r e d o

PAGE 2

2 t s N o c ia t s N o c ia NOVO LIVRO: CAVERNAS –TCNICAS VERTICAIS E AUTO-RESGATE Por W alker Gomes Figueira Autor do livro As tcnicas verticais e auto -r esgate em cavernas passaram por enormes modifi-caes e grande evoluo nos ltimos anos. Esta obra trata de orientar espelelogos nos mais atuais conceitos tcnicos de seguran-a para esta atividade. F eita tanto para iniciantes quanto para experientes, apr esenta uma viso ampla sobr e equipamentos, tcnicas de explorao e tcnicas de auto -r esgate vertical, algumas delas inditas. Com 148 pginas e 187 fotos (pr eto e branco), este livr o demonstra, didaticamente, desde simples confeces de ns ao desenvolvimento de tcnicas mais avana-das, contribuindo para uma explorao cada vez mais segura. Adquira j o seu em www .sbe.com.br GOTAS SOBRE ROCHAS E SOMBRAS guas per colam, pr ocuram, perfuram, P er didas, esvaem-se. P elas camadas sobr epostas Da histria geolgica,Determinam uma paisagem,Corr oda, surpr eendente. Nos estratos carbonticos, V ez por outra discor dncias, Registr o ruiniforme de tempos r emotos, To distante do pensamento,To perto do r elacionamento humano. Gotas escoam, tmidas, L entamente deixam-se levar T omam coragem, Mer gulhando gravidade abaix o, Esborrachando-se,Em cho dur o. Borrifam displicentes, T odos os cantos, Deixando mar cas, mensagens, At a ltima lgrima,Exaurindo-se, certas,Como se nunca tivessem e xistido. Nesse conflito aquoso, Entr e o e xistir ou no, F ica uma lembrana viva, mineral, Em formas infindveis,Cor es deslumbrantes, Estr elas luminosas dos subterrneos. Mensagens r ochosas, Decodificadas pelas guas cir culantes, Em seus espritos, humor es, Convivem pacificas.Entr e sombras e luzes, Sussurram o inusitado,Nos prazer es indelveis De mais uma descoberta. Luiz Afonso Figueiredo (SBE 0161) Base Chu, Santo Andr-SP 01 fevereiro 2008. Gotas sonoras de uma idia iniciada em 15 out 2007, completada e concluda somente agora. CIENTISTAS SUGEREM INCIO DE NOVO PERODO GEOL"GICO, O ANTROPOCENO Cientistas britnicos suger em que a T erra pode estar passando por um perodo de transformao pr ofunda e estaria entrando em um novo perodo geolgica, o Antr opoceno, mar cado pela influncia do homem. Oficialmente, a Comisso Internacional sobr e Estratigrafia estabelece que a T erra continua no perodo Holoceno, iniciado com o fim da ltima era glacial. No entanto, em um artigo publicado na edio de fever eir o da r evista cientfica Geological Society of America (GSA), os cientistas Jan Zalasiewicz e Mark W illiams afirmam que "h pr ovas geolgicas suficientes para r econhecer um novo perodo". A transio entr e pocas geolgicas normalmente atribuda transformaes como r egistr os de fsseis, mudanas no padro das r ochas e sedimentos. No entanto, no caso do Antr opoceno, os cientistas acr editam que o impacto dos ser es humanos no planeta o principal r esponsvel pela transio. "As atividades humanas excedem os pr ocessos naturais de muitas maneiras", diz Zalasiewicz. "P or exemplo, os humanos emitem mais CO2 que os vulces; movem materiais e elementos pela superfcie da T erra mais do que os rios, desabamentos de ter-ra e enchentes", explica o cientista. O artigo cita ainda o aumento nas temperaturas e a acidez dos oceanos como possveis mudanas para compr ovar o novo perodo. Segundo os cientistas, as transformaes deixaro traos nas camadas de sedi-mentos terr estr es e iro r efletir na identificao do Antr opoceno no futur o. MUDANAS De acor do com os cientistas, o impacto dos ser es humanos poder ser per cebido de diversas formas. "P ara comear deixar emos uma quantidade enorme de concr eto", diz Zalasiewicz. O artigo indica ainda que haver uma transformao grande nos r egistr os fsseis, causada pela extino em massa e pelos r esduos de corpos humanos. Os cientistas apontam ainda que o aumento da acidez dos oceanos poder pr ovocar o fim dos r ecifes de corais. "Geologicamente, esta srie de eventos est aconte-cendo muito depr essa", diz o cientista. "No acr edito que as mudanas sero sutis, estes sinais sero muito evidentes", escla-r ece. "Ns estamos mudando o planeta de forma significativa. E possvel que esteja-mos comeando um novo perodo geolgi-co, que poder ser o perodo Antr opoceno", afirma o estudo. L eia o artigo “ ” publicado na edio de fever eir o da GSA T oday Fonte: BBC Brasil 02/02/2008 Ar e we now living in the Anthr opocene

PAGE 3

3 N ot c ia s N ot c ia s MAPA GEOMORFOL"GICO DO CARSTE DA SERRA DA BODOQUENA O Journal of Maps Journal of Maps publicou r ecentemente um artigo e mapa geomorfolgico do Cars-te da Serra da Bodoquena de autoria dos pesquisador es brasileir os W illiam Sallun F ilho (SBE 1434) e Ivo K arman. Baseado na T ese de Doutoramento (USP) de Sallun F ilho, o trabalho identifica uma srie de feies crsticas encon-tradas na r egio como cavernas, dolinas, sumidour os e nascentes, alm disso, ser vir de subsdio aos estudos e gesto do P ar que Nacional da Serra da Bodoquena no estado do Mato Gr osso do Sul. O mapa e artigo “ Geomorphological map of the Serra da Bodoquena karst, west-central Brazil ” (em ingls) pode ser acessado gratuitamente no site do bastando pr eecher um pequeno formulrio (on-line) de r egistr o. Fonte: Journal of Map s 02/02/2008 www .journalofmaps.com SERRA DA CAPIVARA PODE ENTRAR NA LISTA DE PATRIMNIOS EM RISCO Caso o governo brasileir o no se compr ometa a enviar r ecursos para a manuteno e pr eser vao do P ar que Nacional da Serra da Capivara, o local poder entrar na lista dos patrimnios mundiais da humani-dade da Or ganizao das Naes Unidas para a Educao, a Cincia e a Cultura (Unesco) em risco. O alerta do r epr esentante da Unesco no Brasil, V incent Defourny L ocalizada no municpio de So Raimundo Nonato (PI) e com o maior acer vo de pinturas rupestr es (feitas pelo homem pr-histrico em cavernas) das Amricas, o P ar que Nacional da Serra da Capivara r ecebeu o ttulo de P atrimnio Mundial pela Unesco em 1991. P ara conseguir a honraria, o Brasil se compr ometeu internacionalmente a pr eser var o par que e todo o seu patrimnio. “ muito importante entender que o mecanismo da Conveno Internacional de 1972 (que criou os patrimnios mundiais) um compr omisso do pas quando apr esenta uma candidatura ao Comit Internacional de dizer que o seu stio tem um valor excepcional e quer er que seja r econhecido atravs do mecanismo do patrimnio mundial, se compr ometendo a pr eser var e pr omover aquele lugar ”, afirma Defourny O r epr esentante da Unesco r ecebeu, dia 30 de janeir o, a dir etora-geral da F undao Museu do Homem Americano (F umdham) e r esponsvel pelo par que, a ar queloga Nide Guidon. Ela foi Braslia pedir ao governo federal um oramento mensal fix o de R$ 400 mil, para os prximos cinco anos, para pagar os funcionrios que trabalham nas 28 guaritas do par que. Defourny explicou que no cabe Unesco encontrar as solues de gesto do par que, mas sim ao governo federal. Apesar disso, o r epr esentante se compr ometeu a tentar conversar com a ministra da Casa Civil, Dilma R oussef e com o ministr o da Cultura, Gilberto Gil, pedindo que o governo elabor e um pr ojeto para o r epasse de r ecursos pelos prximos cinco anos. Ele tambm se compr ometeu a comunicar a situao r elatada por Nide ao Centr o de P atrimnio Mundial da Unesco, em P aris. FUTURO AUT O-SUSTENTVEL O P ar que poder se tornar auto sustentvel depois que os investimentos na r ea de turismo for em feitos na r egio. Essa a opinio da dir etora-geral da F undao Museu do Homem Americano (F umdham) e r esponsvel pelo par que, a ar queloga Nide Guidon. De acor do com a ar queloga, prximo ao par que j est sendo construdo um aer oporto internacional. As obras, que contam com r ecursos da or dem de R$ 18 milhes do Ministrio do T urismo, esto pr evistas para ser em concludas na metade de 2009. Segundo Nide, algumas empr esas hoteleiras internacionais j manifestaram inter esse em se instalar na r egio. Aps esse perodo, ela acr edita que o local conseguir se tornar auto -sustentvel, obtendo r ecursos por meio do turismo. Fonte: Agncia Brasil 30/01/2008 NOTA DE FALECIMENTO: PEDRO COMRIO com grande pesar que comunicamos o falecimento do nosso scio benem-rito P edr o P acchiella Comrio (SBE 0033) no dia de hoje (11/02/2008), aos 88 anos de idade. P edr o Comrio, funcionrio aposentado do Instituto Geolgico de So P aulo, iniciou suas atividades espeleolgicas ainda na dcada de 50, tendo participao decisiva na implantao do P ar que Estadual T urstico do Alto Ribeira (PET AR) e no desenvolvimento da espeleologia nacional. O velrio r ealizado hoje (11/02) at s 16 horas no Cemitrio de Santana (Cho-ra Menino) Rua Nova dos P ortuguses, 85 Chcara Menino, So P aulo SP (11) 6256-7944. O ltimo adeus ser amanh (12/02) s 16 horas no Cr ematrio da V ila Alpina Av F rancisco F alconi, 437 V ila Alpina So P aulo SP (11) 6345-5937. Nossas sinceras condolncias aos familiar es e amigos. S ociedade B rasileira de E speleologia Nide se rene com representantes da Unesco W i l s o n D i a s / A B r O mapa list a as principais f eies cr sticas da regio e deve ser vir de subsdio aos estudos da Serr a da Bodoquena

PAGE 4

4 sbe@sbe.com.br : www .sbe.com.br SBE Notcias Comisso Editorial uma publicao eletrnica da SBE-Sociedade Brasileira de Espeleologia T elefone/fax. (19) 3296-5421 Contato: Marcelo A. R asteiro e Delci K.Ishida T odas as edies esto disponveis em A reproduo deste permitida, desde que citada a fonte. Antes de imprimir pense na suaresponsabilidadecom o meioambiente Apoio: Visite Campinas e conhea a Biblioteca Guy-Christian Collet Sede da SBE. Filie-se SBE S o c i e d a d e B r a s i l e i r a d e E s p e l e o l o g i a C l i q u e a q u i p a r a s a b e r c o m o s e t o r n a r s c i o d a S B E T e l ( 1 9 ) 3 2 9 6 5 4 2 1 Filiada t s N o c ia t s N o c ia R Unio Internacional de Espeleologia FEALC-Federao Espeleolgica da Amrica Latina e Caribe C A M P I N A S P R I M E I R O O S Q U E M A I S P R E C I S A M P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E VENHA P ARA O MUNDO D A S CA VERNA S VENHA P ARA O MUNDO D A S CA VERNA S Momento de Contemplao Data: 01/2008 Autor: Luiz Afonso V az de F igueiredo (SBE 0161) Gruta Bela Vista (TO -00) P rojeo Horizontal: 40 m. Desnvel: 5 m. (Estimado) V ale do Urucum Aurora do T ocantinsTO Grande fenda encontrada meia encosta do Macio do Culto descober ta durante a 6 Expedio SBET ocantins. Uma bela vista ao entardecer momento de contemplao Man de sua f oto com n ome data e local par a: sbe@sbe .com.br As edies i m p r e s s a s esto disponveis para consulta na Biblioteca da SBE Os arquivos eletrnicos podem ser solicitados via e-mail. N ovas Aquisies Boletim Speleologia N57, Societ Speleologica Italiana: Dez/2007. Boletim eletrnico Espeleo Infor me Costa Rica N13, Grupo Espe leolgico Anthros: Jan/2008. Boletim eletrnico El Explorador N45, GEDA / Sociedad Espeleol gica de Cuba: Jan/2008. FIGUEIRA, W .G.. Cavernas Tc nicas V er ticais e Auto R esgate P iracicaba: do autor 2007. Luiz V az de Figueiredo Afonso Manh acor da ensolarada, Clama pela aur ora, Rompendo o dia,Mas transbor da tristeza, Ao invs de alegria. V entos intempestivos, Arrancam inclumes,De forma inesperada,T ua agradvel convivncia, A fora de tua sabedoria. Sem ao, pr ostrados, P ensamos em voc, vivo, Que via companheir os, Como seus livr os, Em sua eterna amada,O brilho dos olhos,Que falta fazia. Uma pr esena mar cante, P oesia em cada gesto, palavra, Estr ela irradiante de vida, Motivador incansvel,P or um despertar espeleolgico. Na pr ofunda riqueza de sua linguagem, Seu cotidiano e terapia. Brisa cativante por onde passava, Dono de fala mpar ampla, Olhar calmo, apaix onado, V ivncia intensa na potica de suas atividades, Sempr e algo a descobrir divulgar Nos mapas, r ochas e na fotografia. Quer o lembrar com ternura, Algum que cultivou em mimA paixo pelas cavernas, te xturas calcticas. Na tua quintessncia,E teus incrveis ensinamentos,O deslumbrar de jovens pela natur eza, Como se no houvesse mais nenhum dia. Luiz Afonso Figueiredo (SBE 0161) Base Chu, Santo Andr-SP 1 1 fevereiro 2008. Uma triste notcia nessa manh roubou a possibilidade de um encontro e de uma nova entre-vista, pr-marcada para incio desse ano, com essa ilustre figura que era Pedro Comrio, na fora dos seus 88 anos, um dos mentores da criao do Parque Estadual T urstico do Alto Ribeira (PET AR), divulgador da espeleologia paulista e ex-diretor do Museu Geolgico de So Paulo. ETERNIZAR TEU BRILHO