SBE Notícias

Citation
SBE Notícias

Material Information

Title:
SBE Notícias
Series Title:
SBE Notícias
Alternate Title:
SBE Notícias: Boletím Eletrônico da Sociedade Brasileira de Espeleologia
Publisher:
Sociedade Brasileira de Espeleologia
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
serial ( sobekcm )

Notes

General Note:
CAP comemora cinquentenário com palestra de Peter Slavec - Palestra sobre trabalho em altura - AKAKOR ajuda as vítimas do terremoto de Abruzzo na Itália - Claude Chabert morre aos 80 anos - Bioespeleologia tem nova publicação - Maior caverna de Rondônia pode ser destruída - Catão é paraíso desconhecido - Cavernas do Atacama são usadas para simular viajem tripulada à Marte - Congresso Internacional de Espeleologia cancela visita à cavernas - Foto do Leitor: Gruta do Janelão (MG-199).
Restriction:
Open Access - Permission by Publisher
Original Version:
Vol. 4, no. 123 (2009)
General Note:
See Extended description for more information.

Record Information

Source Institution:
University of South Florida Library
Holding Location:
University of South Florida
Rights Management:
All applicable rights reserved by the source institution and holding location.
Resource Identifier:
K26-03504 ( USFLDC DOI )
k26.3504 ( USFLDC Handle )
8758 ( karstportal - original NodeID )
1809-3213 ( ISSN )

USFLDC Membership

Aggregations:
Added automatically
Karst Information Portal

Postcard Information

Format:
serial

Downloads

This item has the following downloads:


Full Text
Description
CAP comemora
cinquentenrio com palestra de Peter Slavec Palestra sobre
trabalho em altura AKAKOR ajuda as vtimas do terremoto de
Abruzzo na Itlia Claude Chabert morre aos 80 anos -
Bioespeleologia tem nova publicao Maior caverna de Rondnia
pode ser destruda Cato paraso desconhecido Cavernas do
Atacama so usadas para simular viajem tripulada Marte -
Congresso Internacional de Espeleologia cancela visita
cavernas Foto do Leitor: Gruta do Janelo (MG-199).



PAGE 1

ISSN 1809-3213 R SBE SBE c s N o t i a c s N o t i a c s N o t i a c s N o t i a Boletm Eletrnico da Sociedade Br asileir a de Espeleologia 1 t s N o c ia t s N o c ia Ano 4 N 123 21/05/2009 Por Luiz Afonso Figueiredo (SBE 0161) Membro da Seo de Histria da Espeleologia No ltimo dia 13, o Clube Alpino P aulista CAP pr omoveu em sua sede uma palestra com P eter Slavec (SBE 0013) sobr e a histria do departamento de espeleologia do Clube como parte das comemoraes dos seus 50 anos. Em sua apr esentao Slavec, um dos fundador es do CAP e tambm da SBE, r esgatou imagens desses pioneir os das atividades de escalada e cavernismo, destacando as expedies e pr ogramaes espeleolgicas. As fotos escolhidas demonstravam aspectos de vrios momen-tos histricos, destacando as atividades entr e a dcada de 1950 e 1970, com nfase para as exploraes do grupo na r egio de Caboclos (PET AR) e na Gruta de So V icente, em Gois. Esse material no r esgatou apenas a histria da espeleologia do CAP mas tambm os primr dios da espeleologia brasileira. Aps essa extensa trajetria, na dcada de 1990, de comum acor do entr e integrantes do Clube que se destacavam nos estu-dos espeleolgicos r esolveram fundar uma outra entidade, congr egando membr os do CAP e de outr os grupos, sur gindo ento a Unio P aulista de Espeleologia UPE. A palestra tambm contou com a participao de Gabriela Slavec (filha do ilustr e espelelogo) e Fbio Kok Geribello (Corin-ga), ambos membr os ativos da UPE. As pr ojees demonstraram os trabalhos feitos na Gruta do Ar eado, comparando os mapas elaborados na dcada de 1960 e os atuais, quando os r ecursos de informtica favor eceram um melhor mapeamento dos condu-tos e sales da caverna, mas que r eforam a importncia dos pioneir os. A palestra teve um momento emocionante, quando P eter Slavec, solicitado por mim a r efletir sobr e a r elao entr e as suas peripcias do passado e a mensagem para os novatos, per deu completamente a fala e aps alguns soluos, destacou a importn-cia de mantermos a unio e incentivarmos os iniciantes a ir em em fr ente, independente de grupos, polticas, mas sempr e com muita amizade. O evento contou com a participao de mais de 60 pessoas, entr e membr os de diversos grupos como o CAP UPE, GPME e GESMAR alm da SBE e R edespeleo. Na sada festiva todos ficaram muito satisfeitos com esse momento de camaradagem, com-panheirismo e ensinamento, fazendo -nos r efletir sobr e esses que deveriam ser sempr e os princpios norteador es para o conhecimento e a pr oteo do patrimnio espeleolgico. CAP COMEMORA CINQUENTENRIO COM PALESTRA DE PETER SLAVEC Dia 23 de Maio (sbado) a SBE r ealizar em sua sede o “36 SBE de P ortas Abertas” com a palestra: T rabalhos em altura: esportivo e pr ofissional ministrada por Eduar do L uis P edr oso, instrutor e consultor de trabalhos em altura, socor-rista habilitado para r esgate em altura e em ambientes confinados. A palestra tem como tema o trabalho em altura, abor dando as difer enas sobr e atividades de carter pr ofissional e esportivo, comparando equipamentos e tcnicas, difer enas e semelhanas, as normatizaes no Brasil e em outr os pases, os principais err os, alm da necessidade de formao de equipes de salvamento industrial e de grupos voluntrios de busca e salvamento em ambientes naturais. L ocal: P ar que T aquaral P orto 2 Campinas SPData: 23/05/2009Horrio: 10 horasEntrada: gratuita Saiba mais sobr e o pr ojeto em: Sede da SBE www .sbe.com.br/aberta.asp PALESTRA SOBRE TRABALHO EM ALTURA T rabalho em altura com segurana E d u a r d o P e d r o s o Expedio Gois Longas distncias e muitas aventuras pelas estradas do pas Explorao na regio de Areias V ale do Ribeira Companheirismo marcante A c e r v o P S l a v e c A c e r v o P S l a v e c A c e r v o P S l a v e c

PAGE 2

2 t s N o c ia t s N o c ia CLAUDE CHABERT MORRE AOS 80 ANOS Por Jos A yrton Labegalini (SBE 01 10) Espeleo Grupo Monte Sio EGMS muito pr ovvel que a grande maioria da populao espeleolgica brasileira jovem (e mesmo mundial) nunca tenha ouvido falar ou tenha conhecimento sobr e Claude Chabert. Ele nasceu em 1939, pr ofessor de filosofia por pr ofisso e espelelogo por paixo. Integr ou o Espeleo Clube de P aris em 1961, da qual foi pr esidente entr e 1975 e 1980; nas suas andanas espeleolgicas pelo mundo, dentr e outr os pases fez expedies para a T ur quia, Afeganisto, ndia, Lbano, Indonsia, Borneo, Mxico, mas se apaix onou pelo carste brasileir o V ale do P eruau (Januria-Itacarambi-MG). Claude Chabert foi eleito pr esidente da Comisso de Grandes Cavernas da UIS na assemblia geral do 6 Congr esso Internacional de Espeleologia CIE, em Olomouc, na T checoslovquia, em 1973. Muito embora tenha solicitado sua subs-tituio por ocasio 12 CIE (La Chaux des F ondes Sua, 1997), que foi “ignorada”, ele permaneceu oficialmente no car go at o 13 CIE (Braslia, 2001), quando a coor denao da comisso se tornou vaga. F oram 28 anos de colaborao com a UIS e pr esena em oito Congr essos Internacionais de Espeleolgia. Entr e os inmer os trabalhos desenvolvidos na sua vida espeleolgica, foi r ecor dista de publicaes na r evista do seu grupo em P aris “Gr ottes & Gouffr es” e brindou a espeleologia mundial com trs obras inesquecveis. Em coautoria com P aul Courbon, durante o 9 CIE (Bar celona Espanha, 1986), apr esentou ao mundo AKAKOR AJUDA AS VTIMAS DO TERREMO DE ABRUZZO NA ITLIA Por Dra. Soraya A yub (SBE 0528) Akakor Geographical Exploring (AKAKOR) eSeo de Relaes Internacionais (SERI/SBE) Durante o feriado de 1 de maio uma equipe da AK AK OR (SBE G116) composta por L or enzo Epis, Soraya A yub e P aolo Costa e da P r oteo Civil de Susio (Ber gamo) visitou algumas localidades de montanha da r egio do Abruzzo, na Itlia, abaladas por terr emotos desde o incio de abril. F oram levados donativos r ecolhidos durante duas semanas de atividades or ganizadas pelo pr esidente da AK AK OR L or enzo Epis, e por ngelo, da P r oteo Civil de Susio. Ao encontrar com a populao de R occa di Mezzo, apr o ximadamente 1.300 metr os de altitude e a cer ca de 10 km da cidade de Aquila (guia em portugus), a equipe r ecebeu bons comentrios sobr e a mensagem de solidariedade do povo brasi-leir o pr oferida pelo pr esidente da SBE, Emerson Gomes P edr o, durante a assinatura do A situao, depois de um ms, melhor ou significativamente, mesmo com os contnuos tr emor es dirios. Aquila, a capital da pr ovncia da qual todas as pequenas localidades dependiam, foi bastante destruda. O pior foi o desmor onamento de prdios pblicos, como a pr efeitura, hospital, universidade e bancos. Agora as pequenas localidades esto para-lisadas, esperando uma definio do governo sobr e quais outras pr ovncias podero alojar essas comu-nidades considerando suas dife-r entes necessidades. Apesar de tudo, os aquilanos esto r ecomeando a “voar ”, tentando r econstruir o tecido social local com muita pacincia, fora de vontade e ser enidade. No final deste ms o grupo voltar r egio para levar mais donativos e outr os materiais r ecolhidos pelas associaes do acor do de colaborao entr e a SBE e a Sociedade Espeleolgica Italiana (SSI) espeleolgico o “ Atlas das grandes cavidades mundiais”; a comunidade espeleolgica internacional foi novamente agraciada, pela mesma dupla no 12 CIE (La Chaux des F ondes Sua, 1997) com a publicao do “ Atlas das cavidades no calcrias do mundo”, ambos atlas publicados sob os auspci-os da UIS. Em 2003, em estr eita colaborao com alguns amigos do Grupo Bambu de P esquisas Espeleolgicas, depois de oito expedies ao V ale do P eruau em oito viagens de P aris ao Janelo, disponibilizou ao mundo espeleolgico o “ Atlas do Janelo”, que muito mais que um livr o uma obra de arte r epr oduzida em tr ezentos exemplar es numerados. H cinco anos Claude foi acometido pelo mal da Alzheimer depois de muitos congr essos no compar eceu no 14 CIE (K alamosAtenas Grcia, 2005). No ltimo dia 4 de maio, uma segunda feira s 17H30 (P aris), Claude se foi desta vida terr ena, mas, certamente, cada vez que passarmos pelas ar eias P eruau, depois da primeira clarabia e da primeira travessia do rio na Gruta do Janelo, l estar ele, no alto e nos contemplando. Lago de Como, que se uniram em pr ol dos atingidos pelo terr emoto. A AK AK OR est em continua comunicao com a pr efeitura de R occa di Mezzo e compartilhou de momentos importantes com seus habitantes que, embora por pou-cos dias, est sendo uma experincia tocan-te, pr ofunda e altamente motivadora. V isitando esses lugar es pode-se ver de perto o fantstico trabalho da Defesa Civil Italiana e de todos os diversos r gos do estado envolvidos na operao de ajuda s pessoas. Sem dvida alguma, a Itlia est entr e os primeir os pases do mundo em or ganizao da Defesa Civil, com a melhor capa-cidade de r esgate e ajuda voluntria aos flagelados. Akakor levou donativos regio montanhosa de A bruzzo Construes histricas tambm foram atingidas A K A K O R A K A K O R Julho de 1994, noite de lua cheia, Claude prepara a tradicional caipirinha na primeira clarabia do Janelo aps um longo dia de topograf ia. Da esquerda para a direita: Paul Courbon, Jos Ayr ton Labegalini, Michel Le Bret, Nicole Boullier (Nicky) e Claude Chaber t J A L a b e g a l i n i

PAGE 3

3 t s N o c ia t s N o c ia Com o decr eto pr oposto pelo governo federal que permite a destruio de caver-nas, R ondnia pode per der sua maior gruta para a extrao de calcrio no municpio de P imenta Bueno. A gruta encontra-se em risco e teve parte destruda pela Empr esa de Minerao Aripuan (Emal). Segundo Rita de Cssia Medeir os, chefe do Centr o Nacional de Estudo, P r oteo e Manejo de Cavernas, do Instituto Chico Mendes de Conser vao da Biodiversidade (ICMBio/CECA V), a denncia de que a atividade de minerao estava afetando a caverna aconteceu no ano de 2001. Em mar-o de 2008, o Ibama embar gou a r ea e em setembr o o ICMBio vistoriou o local e constatou que a minerao havia compr ometido parte da gruta, mantendo o embar go. A Emal pr etende apr esentar ainda neste ms, um estudo mostrando que pode continuar a pr oduo de calcrio em um local mais afastado da gruta. P ara Rita, entr etanto, pouco pr ovvel que seja possvel continuar a atividade de minerao sem compr ometer essa caverna. Com o Decr eto 6.640/2008, a situao da Gruta da Lavra do Calcrio, como foi denominada, vai depender de um estudo que indique, a r elevncia que ela tem, assim que os critrios para se definir esta r elevncia for em publicados. "Se for definido que se trata de uma gruta de mxima r elevncia, ela no poder ser destruda", conclui Rita. O decr eto permite a destruio de cavernas e ger ou r evolta entr e ambientalistas e especialistas. O Ministrio Pblico F ederal e a Sociedade Brasileira de Espeleologia (SBE) entraram com aes para tentar suspender o decr eto. Fonte: Amaznia.org.br 20/05 /2009. CAVERNAS DO ATACAMA SO USADAS PARA SIMULAR VIAGEM TRIPULADA MARTE Um grupo de cientistas da Nasa e universidades associadas, liderado pelo bilo-go Judson W ynne, investigam cavernas de sal, gesso e sedimentos localizados na R eser va Nacional L os Flamencos, 10 km a oeste de San P edr o de Atacama, no Chile, com objetivo de analisar cenrios seme-lhantes a Marte e outr os planetas para uma eventual viagem tripulada. O ambiente seco, a alta radiao ultravioleta e os ventos associados s vio-lentas tempestades que podem degradar e decompor materiais or gnicos se assemelham superfcie mar ciana, segundo os cientistas que se encontram na r egio considerada a mais rida do planeta. O "P r ograma de deteco de cavernas T erra-Marte, expedio ao Deserto do Atacama" dividido em vrias fases, de 2008 a 2010, e com sensor es que medem temperatura, pr esso e umidade das cavernas, mostram que esses locais formam um laborat-rio natural, com cenrios comparveis aos que haveria na superfcie mar ciana. Guillermo Chong, lder de uma equipe de gelogos da Universidad Catlica do Nor-te que apoia os trabalhos dos americanos, explica que se pr ocura definir como sero feitas as misses e os instrumentos ade-quados para detectar cavernas em Marte e estudar indcios de vida. Segundo ele, isso permitir determinar se factvel instalar um assentamento permanente em Marte. Em uma primeira fase se usariam as cavernas como r efgios para depois instalar abrigos que suportem as condies meteor olgicas extr emas da superfcie, afirmou Chong. Fonte: El Mercurio 10/05 /2009. BIOESPELEOLOGIA TEM NOVA PUBLICAO Por Katharina Dittmar de la Cruz (SBE 1534) Editora do Speleobiology Notes / NABN A comisso editorial do peridico Speleobiology Notes or gulhosamente anuncia o lanamento de seu primeir o volume e convida os bioespelelogos a submeter em seus artigos. A publicao voltada bioespeleologia editada em ingls e traz nove artigos neste primeir o nmer o, entr e eles o trabalho “ P opulation decline in a Brazilian cave catfish, T richomycterus itacarambiensis T rajano & P inna, 1996 (Siluriformes): r educed flashflood as a pr obable cause ” de Eleonora T rajano, Sandr o Secutti e Maria E. Bichuette. Os artigos esto disponveis gratuitamente em PDF bastando um rpido r egistr o do leitor O acesso pode ser feito atravs do site North American Biospeleology Newsletter (NABN) que vinculado Seo de Bioespeleologia da National Speleological Society (NSS). www .nabn.info/Journal.html MAIOR CAVERNA DE RONDNIA PODE SER DESTRUDA Estima-se que 20 dos 400 metros da Gruta j foram destruidos D i v u l g a o / I b a m a CATO PARASO DESCONHECIDO O pr ograma V ia Brasil, da R ede Globo, exibiu uma r eportagem sobr e a Gruta do Cato, em So Desidrio na Bahia. P ar edes de r ocha desenhados pela chuva, rios que br otam da terra e lagos de guas cristalinas so algumas das atra-es do paraso, ainda pouco conhecido no oeste baiano. Clique na imagem ao lado para assistir a r eportagem. Fonte: V ia Brasil 15/05 /2009. Clique aqui para ler o ar tigo “ ” da Explorer s Club Flag Repor t. Ear th-Mar s Cave Detection Progr am, Phase 2 – 2008 Atacama Deser t Expedition E x p l o r e r s C l u b F l a g R e p o r t D i v u l g a o / I b a m a

PAGE 4

4 sbe@sbe.com.br : www .sbe.com.br SBE Notcias Comisso Editorial uma publicao eletrnica da SBE-Sociedade Brasileira de Espeleologia T elefone/fax. (19) 3296-5421 Contato: Marcelo A. R asteiro e Delci K.Ishida T odas as edies esto disponveis em A reproduo deste permitida, desde que citada a fonte. Antes de imprimir pense na suaresponsabilidadecom o meioambiente Apoio: Visite Campinas e conhea a Biblioteca Guy-Christian Collet Sede da SBE. Filie-se SBE S o c i e d a d e B r a s i l e i r a d e E s p e l e o l o g i a C l i q u e a q u i p a r a s a b e r c o m o s e t o r n a r s c i o d a S B E T e l ( 1 9 ) 3 2 9 6 5 4 2 1 Filiada t s N o c ia t s N o c ia R Unio Internacional de Espeleologia FEALC-Federao Espeleolgica da Amrica Latina e Caribe 23/05/2009 P alestra: T rabalhos em altura espor tivo e profissional Sede da SBE Campinas-SP www .sbe.com.br/aber ta.asp C A M P I N A S P R I M E I R O O S Q U E M A I S P R E C I S A M P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E VENHA P ARA O MUNDO D A S CA VERNA S VENHA P ARA O MUNDO D A S CA VERNA S Man de sua f oto com n ome data e local par a: sbe@sbe .com.br N ovas Aquisies Boletim R ede P ela Mata N4, R ede de ONGs da Mata Atlntica: Dez/2008. Boletim eletrnico Informativo da Sociedade P araibana de Arqueolo gia N33, SP A: Abr/2009. NEAL, B.W (Org). A Mata Atlnti ca e sua biodiversidade no conte x to da mitigao das mudanas cli mticas: a contribuio da socie dade civil. Braslia: R ede de ONGs da Mata Atntica (RMA), 2008. As edies impressas esto disponveis para consulta na Biblioteca da SBE. Os arquivos eletrnicos podem ser solicitados via e-mail. 09 a 12/07/2009 30 CBE Congresso Brasileiro de Espeleologia Montes Claros-MG www .sbe.com.br/30cbe.asp 19 a 26/07/2009 15 ICS Congresso Internacional de Espeleologia K err ville, T exas USA www .ics2009.us Por Jefferson Esteves Xavier (SBE 1358) Espeleo Grupo de Braslia EGB F oram canceladas, at o pr esente momento, cer ca de metade das excurses e sadas de campo pr ogramadas para o 15 Congr esso Internacional de Espeleologia de (ICS 2009), a ser r ealizado em julho prximo na cidade de Kerr ville, T exas, USA. O motivo principal a mortande de mor cegos com a Sndr ome do Nariz Branco (White Nose Syndr ome), razo do governo americano ter colocado em quar entena as cavernas de, at agora, 17 estados princi-palmente do nor deste daquele pas. P articipantes do ICS 2009 poderiam levar a doena para outr os continentes em suas r oupas, razo pela qual os or ganizador es suspenderam as visitas. Os mor cegos mortos ou portador es da sndr ome apr esentam fungos brancos no nariz e, fr equentemente, nas asas. Mais informaes em: www .ics2009.us/wns.html Cad o macaco??? Data: 03/2000 Autor: Delci Kimie Ishida (SBE 0842) T rupe V er tical (SBE G083) Gruta do Janelo (MG -199) P roj. Horizontal: 4.740 m. Desnvel: 176 m. P arque Nacional Cavernas do P erua Itacaramb / Januria MG V aldete, Silvia, Cleide e Emik o integrantes da TRUPE, no mirante do Buraco dos Macacos CONGRESSO INTERNACIONAL DE ESPELEOLOGIA CANCELA VISITA CAVERNAS Delci Kimie Ishida


printinsert_linkshareget_appmore_horiz

Download Options

close
Choose Size
Choose file type
Cite this item close

APA

Cras ut cursus ante, a fringilla nunc. Mauris lorem nunc, cursus sit amet enim ac, vehicula vestibulum mi. Mauris viverra nisl vel enim faucibus porta. Praesent sit amet ornare diam, non finibus nulla.

MLA

Cras efficitur magna et sapien varius, luctus ullamcorper dolor convallis. Orci varius natoque penatibus et magnis dis parturient montes, nascetur ridiculus mus. Fusce sit amet justo ut erat laoreet congue sed a ante.

CHICAGO

Phasellus ornare in augue eu imperdiet. Donec malesuada sapien ante, at vehicula orci tempor molestie. Proin vitae urna elit. Pellentesque vitae nisi et diam euismod malesuada aliquet non erat.

WIKIPEDIA

Nunc fringilla dolor ut dictum placerat. Proin ac neque rutrum, consectetur ligula id, laoreet ligula. Nulla lorem massa, consectetur vitae consequat in, lobortis at dolor. Nunc sed leo odio.