Citation
SBE Notícias

Material Information

Title:
SBE Notícias
Series Title:
SBE Notícias
Alternate Title:
SBE Notícias: Boletím Eletrônico da Sociedade Brasileira de Espeleologia
Publisher:
Sociedade Brasileira de Espeleologia
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
serial ( sobekcm )

Notes

General Note:
Comissão de Espeleoinclusão realiza visita técnica no Parque da Caverna do Diabo - Operação Pá de Cal fecha mineradoras irregulares em Pains MG - Lapa do Ballet será aberta a visitação - Guano Speleo UFMG realiza curso de introdução à espeleologia - Apa Carste sofre com despejo de entulho - Assembléia Geral: prestação de contas SBE 2009 - Foto do Leitor: Lapa do Angélica (GO-3).
Restriction:
Open Access - Permission by Publisher
Original Version:
Vol. 5, no. 152 (2010)
General Note:
See Extended description for more information.

Record Information

Source Institution:
University of South Florida Library
Holding Location:
University of South Florida
Rights Management:
All applicable rights reserved by the source institution and holding location.
Resource Identifier:
K26-03533 ( USFLDC DOI )
k26.3533 ( USFLDC Handle )
8787 ( karstportal - original NodeID )
1809-3213 ( ISSN )

USFLDC Membership

Aggregations:
Karst Information Portal

Postcard Information

Format:
Serial

Downloads

This item has the following downloads:


Full Text
Description
Comisso de
Espeleoincluso realiza visita tcnica no Parque da Caverna do
Diabo Operao P de Cal fecha mineradoras irregulares em
Pains MG Lapa do Ballet ser aberta a visitao Guano
Speleo UFMG realiza curso de introduo espeleologia Apa
Carste sofre com despejo de entulho Assemblia Geral:
prestao de contas SBE 2009 Foto do Leitor: Lapa do Anglica
(GO-3).



PAGE 1

SBE SBE ISSN 1809-3213 R SBE SBE c s N o t i a c s N o t i a c s N o t i a c s N o t i a Boletm Eletrnico da Sociedade Br asileir a de Espeleologia 1 t s N o c ia t s N o c ia Ano 5 N 152 21/03/2010 CA VERNA A trilha de acesso Caverna do Diabo, com apr o ximadamente 500 metr os, foi limpa com a r etirada do excesso de barr o, vegetao e pedr egulhos que haviam no paraleleppedo, facilitando a caminhada e o deslo-camento com cadeira de r odas. Na metade do per curso h banheir o adaptado (somam dois no par que) e seguindo at a entrada da caverna h duas pontes de fcil acesso. A visita dentr o da caverna contou com oito parti-cipantes que foram orientados por Sibe-le e rica quanto manipulao da cadeira de r odas. O contato com a caverna e a trans-posio dos lances de escadaria deram uma boa idia da dificuldade a ser superada. Alm da experimentao prtica, a equipe tambm aplicou um estudo sobr e indicador es de acessibilidade que est sendo desenvolvido pela comisso e fez a docu-mentao fotogrfica da atividade. J no primeir o salo foi possvel contemplar diversos espeleotemas. Avanando mais alguns lances de escadaria com pou-cos pontos de descanso e degraus irr egular es, a equipe alcanou o salo da Catedral. Este salo de grande extenso e ricamente ornamentado, permitindo maior mobilida-de da cadeira de r odas. A visita continuou por escadarias estr eiras onde o cuidado com a movimentao teve de ser r edobrado, dando acesso ao “ ring”, tr echo final da visitao turstica onde foi possivel manobrar a cadeira e obser var a imagem do “grito”. Durante todo o per curso foi possvel contemplar a pr ofuso de espeleotemas, tr ocar informaes sobr e as facilidades e dificuldades encontradas para a visitao com cadeirantes e portador es de outr os tipos de necessidades. Por rica Nunes (SBE 1651) Coordenadora da Comisso de Espeleoincluso da SBE A Comisso de Espeleoincluso da SBE r ealizou nos dias 06 e 07 de maro uma visita tcnica ao P ar que Estadual da Caverna do Diabo (PECD), sul do Estado de So P aulo, para avaliao da caverna e do novo centr o de visitantes quanto a acessibilidade aos P ortador es de Necessidades Especiais (PNE's). A atividade foi planejada em uma r eunio com a participao de rica Nunes, Jovenil F err eira Souza, Daniela dos Anjos, membr os da Comisso de Espeleoincluso da SBE, a enfermeira Sibele Sanches da Seo de Espeleo V ertical da SBE, Josenei Gabriel Cara, dir etor do par que, Llis Ribeir o, dir etor do Departamento de T urismo de Eldorado, Moiss Mor eira, vice-pr esidente do Grupo P no Mato e Odaclio P er eira da Associao de Monitor es Ambientais do Municpio de Eldorado (AMAMEL). Josenei e Llis destacaram a inaugurao das novas dependncias do par que no dia anterior j com adaptaes para faciliatar o acesso de PNE’s, tais como: estacio-namento, banheir os adaptados ao lado do r estaurante, loja de convenincia, Centr o de Interao Ambiental, rampa de acesso para o hall de entrada. Odaclio e Moises falaram sobr e o papel dos monitor es ambientais e na visitao no par que e cavernas, levantando a possibilidade de r ealizar um curso de aperfeioamento para os monito-r es abor dando a visitao com PNE’s. COMISSO DE ESPELEOINCLUSO REALIZA VISITA TCNICA NO PARQUE DA CAVERNA DO DIABO CACHOEIRA DO ARA Atendendo a solicitao do dir etor do par que, no dia seguinte a equipe avaliou a trilha de acesso Cachoeira do Ara com a participao do monitor Daniel Martinho F rana que pela primeira vez participava de uma atividade com PNE. A trilha possui apr o ximadamente 400 metr os com obstculos naturais como razes de r vor es, tr oncos cados, uma ponte com escadas e um riacho que foi atravessado com a suspenso da cadeira tombando e molhando apenas as r odas traseiras. J no final do acesso cachoeira foi feito de “cavalinho” com a cadeirante carr egada nas costas de outra pessoa. O visual da cacheira magnfico, com uma queda de apr o ximadamente 7 metr os e formao de piscinas naturais, onde a aquipe pode descansar contemplar a beleza do lugar e iniciar as discusses sobr e a possibilidade de visitao de PNE's nesse local, o que ainda no feito. A Comisso de Espeleoincluso agradece a participao, envolvimento e serie-dade de todos na atividade. evidente a von-tade dos envolvidos em pr eparar o par que para r eceber PNEs e acr editamos estar iniciando um trabalho srio e transpar ente para poder atingir este objetivo num futur o prximo. Esperamos que a cidade de Eldora-do, seus hotis, r estaurantes e outr os lo cais de inter esse turstico tambm se pr epar em para r eceber este pblico. As pr opostas levantadas durante a r eunio e visita tcnica no par que, caverna, trilha e cachoeira do Ara sero enviadas a todos que participaram da atividade e deve-ro ser apr esentadas em br eve na forma de artigo. Clique para ver mais fotos no site do grupo P no Mato aqui A gora o par que cont a com banheiros adaptados p e n o m a t o o r g b r p e n o m a t o o r g b r

PAGE 2

2 t s N o c ia t s N o c ia GUANO SPELEO UFMG REALIZA CURSO DE INTRODUO ESPELEOLOGIA O Ministrio Pblico Estadual de Minas Gerais atuou em conjunto com o Ministrio Pblico F ederal para inter ditar 32 mineradoras que exploravam calcrio de forma ilegal. A operao P de Cal, encerrada dia 19 de maro, priorizou a cidade de P ains, municpio do Centr o Oeste de Minas Gerais que abriga uma das maior es concentraes de cavernas do Brasil. Alm da ausncia de licena para a minerao, a fiscalizao encon-tr ou irr egularidades nos contratos com os trabalhador es e a falta de condies de segurana. Seis pessoas foram detidas pela P olcia F ederal e liberadas aps pagar fiana. Elas vo r esponder em liber dade por crime ambiental. Aps lacrar em as minas, as autoridades apr eenderam 50 equipamentos utilizados na extrao do mineral, como compr essor es, caambas e veculos. Alm disso, foram r ecolhidos 30 toneladas de pedra calcria e 150 quilos de explosivos. Conforme o MP o principal objetivo da operao o de conciliar atividade eco-nmica e meio ambiente, buscando o desenvolvimento sustentvel. "O saldo da operao extr emamente positivo ao meio ambiente e ao trabalho legal", afirmou o pr omotor de Justia Fbio Galindo. Agora, a fiscalizao se estender por toda a r egio do calcrio, que abrange as cidades de Ar cos, Crr ego F undo, Iguatama e Dor espolis. Estudos do Ibama e do Centr o Nacional de Estudo, P r oteo e Manejo de Cavernas (Cecav), mostram que a gua do municpio poder esgotar -se em pouco tempo. Conforme as autoridades, a edio do decr eto n 6.640/08 s fez piorar a situao, pois classificou as cavernas pelo grau de r elevncia, permitindo atividades pr odutivas naquelas que no foram classificadas no grau mximo. Antes, todas eram conside-radas r eas de pr oteo especial e no podiam sofr er impactos ambientais irr eversveis. O decr eto objeto de uma Ao Dir eta de Inconstitucionalidade pr oposta pelo MPF no o Supr emo T ribunal F ederal. Conforme os integrantes da operao, o pr oblema mais grave na minerao feita por pequenos empr eendimentos que no tm planos de contr ole ambiental. Fonte: Est ado de Minas 16/03/2010 T erra Notcias 19/03/2010 O Guano Speleo UFMG est com inscries abertas para o curso de intr oduo Espeleologia de 2010. As disciplinas sero ministrados por pr ofissionais membr os do grupo e convidados competentes e especialistas de suas r eas que abrangero temas como: Biospeleologia, Tcnicas V erticais, T urismo, P aleontologia, Ar queologia, Geomorfologia, desenvolvimento e mapeamento de caver-nas. As aulas tericas sero dias 17 e 18 de abril e a sada de campo no dia 24. O evento est aberto para pesquisador es, estudantes e inter essados na r ea que pr ocuram conhecer mais sobr e a Espeleologia e suas singularidades. Mais informaes no blog: guanospeleoufmg.blogspot.com OPERAO P DE CAL FECHA MINERADORAS IRREGULARES EM PAINS MG Um acor do assinado no incio de maro entr e o Ministrio Pblico Estadual (MPE) e a empr esa de cimento Lafar ge pr ev a visitao sustentvel do stio ar queolgico conhecido como Lapa do Ballet, situado no Municpio de Matozinhos, a 46 quil-metr os de Belo Horizonte. Alm de abrir as portas a grupos de estudantes e de pessoas inter essadas no assunto, a empr esa assumiu o compr omisso de adotar medidas para a pr eser vao do local. No stio ar queolgico, os visitantes e pes-quisador es encontraro par edes e tetos com inscries rupestr es. Um desses desenhos r etrataria a fecundidade humana com gravuras indicando um poss-vel ritual de nascimento de uma criana. Ao r edor desse patrimnio natural, foram catalogadas 33 cavernas, 98 espcies vegetais, 102 aves, 26 mamfer os e tambm formaes espeleolgicas e rios subterrneos. P elo acor do, a empr esa Lafar ge concor dou em criar um sistema de vigilncia para evitar o vandalismo causado por inva-ses e pelo turismo pr edatrio. T ambm se compr ometeu a r eativar um viveir o de mudas, criar pr ocedimentos para visitao e estudos, implantar placas educativas e informativas e manter uma estrutura de apoio para as pesquisas ambientais. O acor do foi pr oposto pelo coor denador da P r omotoria de Defesa do P atrimnio Cultural de Minas Gerais (CPPC), Mar cos P aulo de Souza Miranda, e pelo pr omotor de Justia de Matozinhos Geraldo Magela L opes. O stio ar queolgico Lapa do Ballet est localizado num espao de R eser va P articular de P atrimnio Natural, tombado em 1989 pelo Instituto Estadual do P atrimnio Histrico e Artstico (Iepha) e inserida na r ea de P r oteo Ambiental Carste de Lagoa Santa. Os grupos inter essados em r ealizar as visitas educativas devero agendar data e horrio com a empr esa Lafar ge Fonte: MPMG 10/03/2010 APA CARSTE SOFRE COM O DESPEJO DE ENTULHO Na zona rural de P edr o L eopoldo, em Minas Gerais, possvel ver beira de uma estrada vicinal um terr eno pertencente pr efeitura transformado em bota-fora. Sem r espeito s leis e ao meio ambiente, caminhes descarr egam r ejeitos de pedra pr oveniente de 40 empr esas da r egio. Em alguns tr echos, para piorar eles no per doam nem a lateral das estradas o que leva o povo a caminhar no meio da rua. Como o bota-fora se tornou terra de nin-gum, morador es apr oveitam a deixa e tambm descartam lix o domstico. Sobr e uma das pilhas de r ejeitos, o chefe da AP A Carste de Lagoa Santa, engenheir o flor estal Ivson R odrigues, diz que a situao pr eocupa muito pois os terr enos alvo do descarte tm grande importncia ecolgica. “So r eas de dolinas ou de r ecar ga de gua para o aqufer o. As pessoas jogam os r ejeitos, os quais vedam essa absoro. S no sabemos ainda do nvel de contaminao para a natur eza”, diz Ivson, lembrando que o material descarr egado em pontos difer entes, de forma a confundir as au toridades. L eia a matria completa clicando aqui Fonte: Est ado de Minas 14/03/2010. LAPA DO BALLET SER ABERTA VISITAO 32 mineradoras foram fechadas D i v u l g a o M T E Antropomor fos na Lapa S I G E P

PAGE 3

3 sbe@sbe.com.br : www .sbe.com.br SBE Notcias Comisso Editorial uma publicao eletrnica da SBE-Sociedade Brasileira de Espeleologia T elefone/fax. (19) 3296-5421 Contato: Marcelo A. R asteiro e Delci K.Ishida T odas as edies esto disponveis em A reproduo deste permitida, desde que citada a fonte. Antes de imprimir pense na suaresponsabilidadecom o meioambiente Apoio: V i s i t e C a m p i n a s e c o n h e a a B i b l i o t e c a G u y C h r i s t i a n C o l l e t S e d e d a S B E Filie-se SBE S o c i e d a d e B r a s i l e i r a d e E s p e l e o l o g i a C l i q u e a q u i p a r a s a b e r c o m o s e t o r n a r s c i o d a S B E T e l ( 1 9 ) 3 2 9 6 5 4 2 1 Filiada t s N o c ia t s N o c ia R Unio Internacional de Espeleologia FEALC-Federao Espeleolgica da Amrica Latina e Caribe C A M P I N A S P R I M E I R O O S Q U E M A I S P R E C I S A M P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E VENHA P ARA O MUNDO DAS CA VERNAS VENHA P ARA O MUNDO DAS CA VERNAS F ormao de cristais ... Data: 01/2010 Autor: Alexandre Jos F elizardo (SBE 1597) BEC (SBE G119) Lapa do Anglica (GO -3) P rojeo Horizontal: 14.100 m. Desnvel 124 m. P arque Estadul de T erra R onca So Domingos GO Man de sua f oto com n ome data e local par a: sbe@sbe .com.br As edies i m p r e s s a s esto disponveis para consulta na Biblioteca da SBE Os arquivos eletrnicos podem ser solicitados via e-mail. N ovas Aquisies Boletim NSS News N 2, National Speleological Society : F ev/2010. Boletim The Journal of the Sydney Speleological Society N 2, SSS: F ev/2010. Boletim eletrnico DOLINinforme N 4, Grupo Universitrio de P es quisas Espeleolgicas: Mar/2010. Boletim eletrnico GEA N 49, Gru po Espeleolgico Argentino: Mar/2010. ASSEMBLIA GERAL PRESTAO DE CONTAS SBE 2009 Cir cular SBE 001/2010 Campinas, 18 de maro de 2010 P r ezados conselheir os, dir etor es, scios ativos e delegados de grupos afilia-dos SBE, Atendendo ao artigo 24, §6 dos Estatutos da SBE, convocamos todos os conselheir os e convidamos os scios a participar de Assemblia Geral para pr estao de contas r efer ente ao ano de 2009. A Assemblia se r ealizar dia 21 de abril de 2010, feriado de Tiradentes, partir das 10 horas, em nossa sede na Av Dr Heitor P enteado, P ar que T aquaral, P orto 2, em Campinas SP R ogrio Henr y B. Magalhes P r esidente do Conselho Deliberativo da Sociedade Brasileira de Espeleologia Gesto 2009-2011 conselho@sbe.com.br 18/04/2010 Palestra da Comisso de Espeleoincluso na ReaT ech Imigrantes So Paulo SP www .feirasnacip a.com.br 22 a 25/07/2010 2 Simpsio Sul-brasileiro de espeleologia UEPB Pont a Grossa PR www .sbe.com.br/2ssbe.asp 09 a 12/07/2010 5 Encontro Mineiro de Espeleologia C. RecreativoIt acarambi MG Informaes em breve A l e x a n d r e J o s F e l i z a r d o