SBE Antropoespeleologia

Citation
SBE Antropoespeleologia

Material Information

Title:
SBE Antropoespeleologia
Series Title:
SBE Antropoespeleologia
Alternate Title:
SBE Antropoespeleologia: Boletim Eletrônico da Seção de História da Espeleologia da SBE
Publisher:
Sociedade Brasileira de Espeleologia
Publication Date:
Language:
Portuguese

Subjects

Genre:
serial ( sobekcm )

Notes

General Note:
A lenda da Gruta das Encantadas e as sereias - Ilha dos Franceses: encanto e beleza - Diversidade cultural - Armas em cavernas - A aura mística de Gyeongju - Lenda na Ilha do Mel - Armas do tráfico em caverna - Antigas habitações subterrâneas na China - Os caminhos de São Francisco de Assis pela Umbria, Itália - Arte de Da Vinci guardada em caverna na Inglaterra - Hotel caverna - Pinturas rupestres do Namibe - Homem vive dentro de caverna desde 1997 - Gruta da Santinha - Mosteiro de Jerusalém revela mistérios sobre cruz de Cristo.
Restriction:
Open Access - Permission by Publisher
Original Version:
Vol. 2, no. 17 (2009)
General Note:
See Extended description for more information.

Record Information

Source Institution:
University of South Florida Library
Holding Location:
University of South Florida
Rights Management:
All applicable rights reserved by the source institution and holding location.
Resource Identifier:
K26-03362 ( USFLDC DOI )
k26.3362 ( USFLDC Handle )
8616 ( karstportal - original NodeID )
1982-3630 ( ISSN )

USFLDC Membership

Aggregations:
Added automatically
Karst Information Portal

Postcard Information

Format:
serial

Downloads

This item has the following downloads:


Full Text
Description
A lenda da Gruta das
Encantadas e as sereias Ilha dos Franceses: encanto e beleza
- Diversidade cultural Armas em cavernas A aura mstica de
Gyeongju Lenda na Ilha do Mel Armas do trfico em caverna -
Antigas habitaes subterrneas na China Os caminhos de So
Francisco de Assis pela Umbria, Itlia Arte de Da Vinci
guardada em caverna na Inglaterra Hotel caverna Pinturas
rupestres do Namibe Homem vive dentro de caverna desde 1997 -
Gruta da Santinha Mosteiro de Jerusalm revela mistrios
sobre cruz de Cristo.



PAGE 1

R S B E S B E Antropoespeleologia 1 S B E S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a Boletim Eletrnico da Seo de Histria da Espeleologia da SBE Ano 2 N 17 15/02/2009 ISSN 1982-3630 DIVERSID ADE CUL TURAL News.sohu.com D e a c o r d o c o m o D e c e m b e r M c C l a t c h y N e w s p a p e r s, c e r c a d e v i n t e milhes de chineses moram em cavernas Em adio s bvias v a n t a g e n s ( s e m a l u g u e l e p r e s t a e s ) a m a i o r i a d a s cavernas esto na famlia por geraes P ossuem iluminao eltrica gua potvel e TV a c a b o P e s q u i s a d o r e s a f i r m a m que a temperatura constante em seu interior favorece esse tipo de uso JournalNow .com – JournalNow A LEND A D A GRUT A D A S ENCANT AD A S E A S SEREIA S ARMA S EM CA VERNA F o r a s d e s e g u r a n a a f i r m a r a q u e r e c u p e r a r a m armamento e munio em uma caverna natural prxima Rudbug Magam in Budgam distrito de Jammu K ashimira I n f o r m a n t e s a v i s a r a m a Agncia de Notcias da K ashimira sobre a presena de armas e munies em uma caverna A busca foi realizada na caverna o n d e f o r a s p a r a m i l i t a r e s s e escondiam Entretanto nenhum guerrilheiro foi preso A apreenso continha um rifle de preciso de fabricao Australiana (calibre 7.62 mm), um silenciador 98 cartuchos para o rifle de preciso e 236 cartuchos de AK 47. Adaptado de News Agency of K ashmir O litoral do P aran tambm teve o seu R omeu e Julieta F ilhos de duas tribos inimigas a ndia Jurema e o ndio Cau se avistaram na praia A paixo foi primeira vista P ara fugir da guerra se encontravam no esconderijo da bruxa Maribel L o romance floresceu e l mesmo se casaram em segredo com as bnos da feiticeira Mas o segredo no foi eterno As famlias descobriram O pai da ndia Jurema tambm tinha seus poderes de feiticeiro Ao descobrir o romance e percebendo que era tarde para impedir o casamento lanou uma maldio : “ As filhas de Jurema no podero se casar Depois de nascer vo se transformar em sereias com sede de sangue e mataro todos os homens que se aproximarem”. Jurema e Cau caram em profunda tristeza sabendo dos poderes da maldio Durante trs noites clamaram pela piedade de T up. O Deus bondoso se compadeceu da tristeza do casal “ V ocs no tiveram uma L ua de Mel mas eu lhes darei uma Ilha de Mel ”, respondeu T up, atravs de pensamentos O presente porm no livrou o casal da maldio Suas sete filhas nasceram muito belas Mas ao chegarem adolescncia transformavamse em sereias sanguinrias Cau e Jurema tentaram esconder as filhas em uma gruta no sul da ilha Alguns marinheiros contam que at hoje aqueles que se a p r o x i m a m d a G r u t a d a s E n c a n t a d a s d u r a n t e a s m a d r u g a d a s conseguem ouvir o canto traioeira das filhas de Cau e Jurema http://jornale.com.br/wicca/?home=1 F ica a 4 km da praia de Itaca em Itapemirim O percurso leva 20 minutos de barco que pode ser alugado com pescadores locais o ponto mais perto para se chegar a esse paraso que excelene para mergulho Do da Barra so 12 km e de P ima 8 km Na Ilha existe um antigo farol de origem francesa movida energia solar L possui uma raridade entre os morcegos O cientista Augusto Ruschi descobriu o morcego-pescador s encontrado ali A Gruta do Judeu tambm conhecida como Buraco do Judeu envolta de histria e lendas Apesar da conscincia ecolgica que o monumento martimo j propicia se v a insanidade de visitantes com as pichaes e lixo deixado na ilha alm de fogueiras O significado do nome ainda um mistrio Entre 1558 a 1581 os franceses tentaram sem xito invadir o Estado Bucaneros tambm atracavam no local De difcil acesso bom visitar com um pescador experiente pois s existe um ponto de atracao numa prainha O resto aproveitar com segurana e conscincia ecolgica Maratimba.com P orto ILHA DOS FRANCESES: ENCANTO E BELEZA

PAGE 2

2 S B E S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a A AURA MSTICA DE G YEONGJU F ilipe Serrano O Estado de S.P aulo Gyeongju destino obrigatrio para quem quer se aproximar da atmosfera mstica que envolve o pas A cidade quatro horas de nibus de Seul foi a capital da dinastia Silla um dos trs reinos da Coria h mais de 1.500 anos e rene dois importantes centros de adorao a Buda o T emplo Bulguksa e a Gruta Seokguram Na lista dos templos mais antigos o Bulguksa impressiona logo na entrada protegida das energias negativas por quatro guerreiros coloridos Um caminho muito arborizado leva ao templo principal onde h uma escada de pedra com 33 degraus Ela uma das poucas partes que permaneceram da construo original erguida entre os sculos 6 e 7. Destrudo durante as invases japonesas (1592-1598) e alvo de vandalismo e roubos em perodos posteriores o templo passou por diversas reformas at chegar s encantadoras feies atuais com telhados ornamentados espetando o cu Uma visita parte interna revela alguns dos principais pagodes da Coria e permite acompanhar os rituais budistas Outro local histrico de adorao a Gruta Seokguram lar de uma enorme esttua de Buda feita de pedra no sculo 8. O passeio requer razovel preparo fsico : a caverna fica no alto de uma montanha e preciso caminhar cerca de meia hora para alcan-la Na sada muitos turistas seguem a tradio de escrever um recado em uma telha preta que fica exposto na loja de souvenir H recados do mundo todo do Brasil inclusive P erto do centro dessa cidade de 300 mil habitantes esto dois parques antigos Nodong e Noseo-dong com extensa rea gramada e pequenas colinas definidas onde as pessoas param para descansar e fazer piquenique L embre-se : os montes so na realidade antigos tmulos da poca da dinastia Silla Quem tem mais tempo por l deve seguir para o leste com vrias atraes tursticas o caso do L ago P omun que ganhou empreendimentos hoteleiros em nmero suficiente para merecer o apelido de L ak e R esort P omun tambm cercado de um parque com timas trilhas para passear principalmente noite quando a caminhada ganha um ar romntico Casais de mos dadas circulam por ali ou sentam-se nos bancos com vista para o lago Outros passeios interessantes em Gyeongju so o Museu Nacional que abriga objetos da dinastia Silla e o P arque Nacional e o Cheomseongdae um dos mais antigos obser vatrios astronmicos da sia do sculo 7. LEND A NA ILHA DO MEL Uma das mais famosas a do V L avnio Morador da ilha ele se encantou por uma sereia que conheceu na gruta da P raia de Encantadas Como prova de amor ela lhe deu um saquinho contendo alguns diamantes pedindo apenas que guardasse segredo sobre o r o m a n c e e t a m b m s o b r e a s u a existncia O enlace durou muito tempo a t q u e n u m d e t e r m i n a d o d i a p r e s s i o n a d o s o b r e s e u s s u m i o s repentinos V L avnio se viu obrigado a contar aonde ia todos os dias R evelado o segredo decidiu mostrar tambm os diamantes que para sua surpresa se transformaram em pedras de car vo Hoje na Ilha do Mel diz -se que ningum g u a r d a s e g r e d o e q u e i s s o t e r i a comeado justamente por causa do V L avnio O mais curioso que alguns moradores possuem at fotos do V, que jurava ser verdade a sua histria P aran@shop ARMA S DO TRFICO EM CA VERNA Um arsenal foi encontrado nesta quinta-feira em uma caverna de Miguel P ereira no sul fluminense e pode pertencer a traficantes do morro Dona Marta em Botafogo zona sul do Rio segundo denncia feita a policiais da 96 DP (Miguel P ereira). A comunidade foi a primeira a receber policiamento comunitrio da Secretaria de Segurana e a dar por encerrada a presena do trfico no comando das aes no morro As armas foram encontradas a 300 metros da Estrada das Saibreiras no Centro de Miguel P ereira Entre o material est uma metralhadora .30 com trip, trs fuzis 7.62 e uma escopeta de calibre 12. Segundo os policiais as armas podem ter sido escondidas na regio depois da ocupao do morro em Botafogo Os agentes tentam localizar os criminosos Editora O DIA S.A .; O Globo.com Arquelogos Chineses descobriram na provncia de Shaanxi o mais antigo complexo residencial caverncola at hoje Esse antigo grande complexo mostra a histria de pessoas que habitavam o local h cerca de 5.500 anos atrs R ecentemente o Instituto de Arqueologia P rovincial de Shaanxi P rovincial organizou um grande escavao onde foram descobertas cerca de 17 cavernas com indcios da habitao humana Uma nica caverna possui uma rea de 10 metros quadrados e consiste em um quarto frontal conectado a outro na parte de trs Alm das habitaes os arquelogos tambm encontraram cermicas e ferramentas Adaptado do P eople's Daily Online ANTIGA S HABIT A'ES SUBTERRNEA S NA CHINA

PAGE 3

3 S B E S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a OS CAMINHOS DE SO FRANCISCO DE A SSIS PEL A UMBRIA ITLIA Umbria absolutamente verde Corao verde da Itlia A definio que mescla geografia e uma pitada de lirismo sintetiza bem a Umbria regio italiana que congrega poucas cidades grandes (P eruggia a maior com 560 mil habitantes seguida de T erni com 230 mil), porm abriga recantos buclicos que atraem a contemplao de turistas das mais variadas partes do mundo Os roteiros tursticos pela Umbria passam necessariamente por mosteiros conventos abadias igrejas e uma srie de outros templos religiosos nos quais a liturgia se associa ao verde do campo e desfralda a bandeira da f, sob a cumplicidade da paz So F rancisco de Assis andava muito por l. E deixou um belo legado que resultou nos "Caminhos de So F rancisco de Assis". Engana-se quem imaginar algo parecido com os caminhos de Santiago de Compostela cujo trecho principal comea no norte da F rana e segue at cidade espanhola A rota de So F rancisco de Assis tambm exibe misticismo e f, bem verdade porm troca o asfalto das estradas por trilhas acidentadas e s vezes acentuadamente montanhosas Os quatro santurios que integram oficialmente os caminhos de So F rancisco de Assis pela Umbria so Greccio L a F oresta P oggio Bustone e F onte Colombo Constituem-se nos principais pontos de interesse turstico da rota franciscana apesar de haver igrejas e conventos tambm bastante pitorescos e representativos O santurio de Greccio um dos mais visitados tanto por turistas como por missionrios do mundo todo So F rancisco de Assis chegou pela primeira vez ao local em 1209. F icou fascinado com a paisagem j que o santurio fica estrategicamente situado numa montanha e logo se encantou com a devoo de seus habitantes O habitat preferido de So F rancisco de Assis naquela atmosfera de religiosidade era uma gruta Sim uma mera gruta de Greccio O lema do missionrio que s calava sandlias era "conforto zero". Um rpido exemplo : dormia sentado com seu 1,55 metro em meio umidade da gruta e com a cabea sobre uma pedra Curiosamente F rancisco garantia que sentia contato fsico com o Cristo justamente atravs da pedra Dizem at que o missionrio ganhou um travesseiro e certa vez o usou em Greccio porm declarou que nunca dormira to mal Sentiu a presena do mal no travesseiro Dos tradicionais conventos franciscanos que integram os caminhos de Assis consta que o de Greccio era realmente o preferido pelo santo que dizia que o local "era rico em pobreza". Outra curiosidade histrico-religiosa de Greccio reside no fato de ter sido o bero do prespio que teve sua origem nas celebraes dos rituais litrgicos ligados ao Natal F oram encenados pela primeira vez no sculo XIII na Itlia por idealizao de So F rancisco de Assis e com autorizao do P apa Honrio III F oi em 1223, na Igreja de So Damio em Greccio que essa devoo se manifestou sob a forma de "presepe", palavra Italiana da qual originou-se "prespio" na lngua portuguesa R epresenta de forma cenogrfica o local e os personagens que segundo a narrativa dos evangelistas assistiram ao nascimento de Jesus Cristo Ainda no circuito da f pela Umbria o Santurio de Santa Maria de L a F oresta remete aos ltimos dias de So F rancisco F oi l onde o cardeal Ugolino percebendo os problemas de viso do missionrio que viajava pela Umbria ordenou sem sucesso uma inter veno cirrgica nos olhos do abnegado andarilho F rancisco porm achou que o sofrimento lapidava a alma P referiu se esconder dos fiis na Igreja de So F abiano para simplesmente descansar do tormento causado pela doena na vista No quis operar A pequena igreja alis tambm ficou marcada por um fato louvvel j que foi l que F rancisco comps o Cntico das Criaturas Ao contrrio de L a F oresta o santurio de P oggio Bustone foi o primeiro lugar que F rancisco visitou em 1208, quando decidiu sair de sua cidade natal O santurio de F onte Colombo por sua vez recebeu este nome devido ao manancial visto por S F rancisco de Assis em 1217. F oi l, alis que o missionrio aceitou finalmente fazer uma dolorosa operao na vista Distncias entre os santurios: F onte Colombo Greccio : 20,8 Km Greccio P oggio Bustone : 18,6 Km P oggio Bustone L a F oresta: 12,6 Km Antonio R oberto R ocha Da equipe do DIRIO

PAGE 4

4 S B E S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a ARTE DE D A VINCI GUARD AD A EM CA VERNA NA INGL A TERRA A s m a i s d e d u a s c e n t e n a s d e d e s e n h o s d e T chitunduhulo retratam o dia a dia dos “artistas ” de mais de 2.000 anos que gravavam nas r o c h a s f i g u r a s g e o m t r i c a s representando o sol animais e instrumentos de trabalho para descrever o seu quotidiano Essas pinturas gravadas n a s r o c h a s e s t o s e degradando devido ao do tempo sobretudo as que se encontram expostas ao sol chuva e vento como explicou o diretor provincial do Ministrio da Cultura no Namibe Martinho Jamba Nganga S e g u n d o J a m b a Nganga do grupo de pinturas e x i s t e n t e s c o n h e c i d a s p o r T chitunduhulo o conjunto de Muk ai localizado no interior de u m a g r u t a e s t o b e m c o n s e r v a d a s A s q u e necessitam de proteo so as d e T u n d u h u l o e M u l u m e expostas ao ar livre “ preciso criar uma estrutura do tipo de um alpendre para se evitar que as chuvas o sol e o vento batam diretamente nas rochas e assim se proteger as pinturas", disse o responsvel do Ministrio da Cultura Martinho Nganga disse n o e n t a n t o q u e a m a i o r p r e o c u p a o c o m a s p e s s o a s q u e i n v a d e m e vandalizam o local escrevendo por cima das pinturas e at levam pedaos para casa “ Muitas pessoas vo l sem o nosso conhecimento e acabam por vandalizar o local Isso preocupante”, frisou SIC Online Alm da existncia de vrios acessos ao local no h guardas PINTURA S RUPESTRES DO NAMIBE Desenhos de L eonardo da Vinci que esto expostos na National Librar y of W ales foram anteriormente guardados em uma caverna durante a Segunda Guerra Mundial Alm das obras de da Vinci a caverna tambm guardou autgrafos e cartas de reis e rainhas da Inglaterra Sir W alter R aleigh Sir F rancis Drak e F rancis Bacon e Oliver Cromwell por exemplo Outros tesouros incluem autgrafos de William Shak espeare e pinturas de JMW T urner e Michelangelo Um portavoz da biblioteca nacional disse que “a histria da evacuao teve incio em 1933 (...) os diretores das maiores instituies culturais museus bibliotecas e galerias de arte decidiram elaborar um esquema de armazenamento seguro de suas mais valiosas colees em caso de uma outra guerra na Europa .” BBC.com HOTEL CA VERNA Apesar do estilo rstico, hotel tambm conta com banheira.(Foto: Divulgao/Oarkcave) V ista do quarto do hotelcaverna. A diria padro US$ 1 mil por noite (at dez pessoas), com o mnimo de duas noites nos fins de semana. (Foto: Divulgao/Oarkcave) Hotel 'Beckham Cr eek Cave Haven' est localizado em Springdale, no estado do Arkansas (EUA). (Foto: Divulgao/Oarkcave) Do G1, em So Paulo

PAGE 5

5 S B E S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a No Esprito Santo o P arque Estadual do F orno Grande em Castelo amplia as opes de lazer na regio P ossui trilhas at cachoeiras e a T rilha da Gruta da Santinha onde se obser va uma gruta natural com a imagem de Nossa Senhora Aparecida Adaptado de Folha do Esprito Santo GRUT A D A S ANTINHA HOMEM VIVE DENTRO DE GRUT A DESDE 1997 Marjorie A velar Bosque na regio do Morro do Mendanha Goinia com algumas indicaes de um policial militar para encontrar um homem que h 12 anos estaria vivendo no meio do mato No foi to difcil de localizar O mais angustiante foi a espera de 30 minutos no lugar sem saber o que ou quem encontraria pois ele no estava no momento da chegada da reportagem O policial disse que estaria junto mas um imprevisto fez com que a equipe do HOJE fosse solitria e at ento sem segurana Apesar de o PM dizer que a pessoa era “do bem”, nada estava garantido O cenrio era at assustador: latas de todo tipo e marcas espalhadas pelo cho urso de brinquedo em cima de um pedao de pau restos de peas de carros como se ser vissem de decorao para a “casa ” e centenas de pedras empilhadas ser viam para uma espcie de pequena caverna onde o policial contou que o referido homem dormia T rs gritos: “ Senhor Edson”. No ltimo ele surgiu no meio do mato E apareceu j com um sorriso largo no rosto como se tivesse convivido com aquelas pessoas h dcadas As boasvindas ser viram para “quebrar o gelo” e descontrair Sem muito rodeio ele comea a contar a vida e os motivos que o levaram a viver na mata desde 1997. “ Sou aposentado do antigo DNER hoje Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura e T ransportes), desde os 38 anos ”, informou Edson Guimares 62, que nasceu no Rio de Janeiro Segundo ele a opo de vida surgiu de repente sem planejamento Na poca em que era vigia noturno do DNER no Rio de Janeiro (depois em Braslia e em outros lugares), ele ouvia os colegas denunciando-o para os patres afirmando que tinha feito “corpo mole” e dormido naquela noite Uma escapadela para ir ao “cabar das meninas ”, ele no nega que tenha feito por vrias vezes mas garantiu que nunca encontrou “ trs testemunhas ” que afirmassem que ele havia furtado um objeto sequer do Departamento “ As pessoas falavam mal de mim achavam que eu era doido P or isso fui transferido vrias vezes at me aposentarem”, contou “ De certa forma foi bom porque rodei o mundo Morei por muito tempo no Amazonas na regio de Manaus e do P ar, onde tive duas duplas de meninos gmeos com duas ndias munducuru ”, revelou com uma risada “gostosa ”. Atualmente segundo o portal Ambiente Brasil os munducuru vivem na aldeia Sai Cinza no municpio de Jacareacanga oeste paraense Ele no chegou a conhecer nenhum dos filhos “ O cacique pediu que eu deixasse uma foto 5 por 7, para que fosse mostrada aos bebs quando crescessem Assim saberiam quem era o pai deles ”, recorda-se “ Depois disso ele me liberou para o mundo porque sabia que um ser vidor federal vivia viajando”, disse E foram mesmo muitas viagens at no avio Bandeirante que de acordo com ele seria de propriedade do DNER “ Os grandes do Departamento sempre me convidavam para viajar de jato Acho que sentiam segurana por causa da minha energia positiva ”, salientou Ao lado da despensa existe um fogo improvisado com pedras onde Edson faz uma fogueira para cozinhar “ T udo que meu tenho de mocozar porque j fui vtima de furto vrias vezes O povo sabe que tenho algumas coisinhas e vem aqui para me roubar ”, reclamou “ T ambm escondo o lcool que uso para fazer comida porque alguns amigos vm aqui com a desculpa de me ver mas querem beb-lo com gua e acar ”, relatou o aposentado Dentro da “casa ”, a tal caverna feita de pedras alm da Bblia Edson tem mais de 60 livros que so trocados por outros em sebos assim que termina a leitura de todos Os preferidos so aqueles que contam histrias policiais No entanto o autor de que mais gosta Willian Shak espeare Um rdio de pilha velho o mximo de tecnologia que tem dentro de casa Jornal Hoje Goinia Gois Cachoeira escondida no entorno do P arque Estadual do F orno Grande (F oto : P al Zupani http ://www .oeco .com .br )

PAGE 6

F oto do leitor F oto do leitor 6 S B E S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a Antes de imprimir pense na sua responsabilidade com o meio ambiente S B E A n t r o p o e s p e l e o l o g i a u m a p u b l i c a o e l e t r n i c a d a SBE Sociedade Brasileira de Espeleologia. T elefone/fax (19) 3296-5421. Contato : A reproduo deste per mitida, desde que citada a fonte. historia@sbe .com .br Comisso Editorial: L uiz Eduardo P T ravassos (Coordenador), Isabela Dalle V arela e R ose L ane Guimares R eviso : Delci Kimie Ishida T odas as edies esto disponveis em www .sbe .com .br L uiz T ravassos Filie-se SBE Sociedade Brasileira de Espeleologia Clique aqui para saber como se tor nar scio da SBE T el. (19) 3296-5421 Filiada R Unio Inter nacional de Espeleologia FEALC -Federao Espeleolgica da Amrica L atina e Caribe VENHA P ARA O MUNDO D A S CA VERNA S VENHA P ARA O MUNDO D A S CA VERNA S Daniela Brik Da EFE Apenas dois quilmetros da Cidade Antiga de Jerusalm h um mosteiro desconhecido para muitos aldees e peregrinos construdo onde se acredita que cresceu a r vore da qual foi extrada a madeira para a cruz de Cristo T rata-se de um robusto edifcio de pedra rosada que se assemelha a uma fortificao localizado no chamado V ale da Cruz onde h muita vegetao e a poucos metros do Knesset (P arlamento) e do Museu de Israel "Sobre uma montanha perto de Jerusalm h um vale muito frtil e bem cultivado no qual se situa uma igreja nobre (...). Ali em um altar pouco profundo se faz reverncia ao lugar em que se ergueu o tronco" do qual a cruz foi feita relatava em seu guia um peregrino do tempo das Cruzadas No h provas cientficas que confirmem de qual madeira foi construda a cruz de Jesus mas a tradio diz que foi de uma oliveira tpica da regio desde pocas bblicas e que a r vore foi plantada h cerca de 35 sculos Construdo entre os sculos V e VI no vale que segundo algumas fontes j havia sido descoberto por Santa Elena me do imperador romano Constantino o edifcio foi reconstrudo por um rei georgiano no sculo XI e ao longo de sua histria foi parcialmente saqueado embora nunca destrudo O mosteiro como o conhecemos hoje de estilo bizantino e pertence Igreja Greco-Ortodoxa desde o sculo XVII Uma porta de pequenas dimenses de madeira chapada em metal conduz ao interior do recinto que da mesma forma que a Baslica da Natividade de Belm obriga o visitante a se agachar Deixando para trs alguns ptios com r vores frutferas e cantos de pssaros chega-se parte principal da igreja ante-sala de um pequeno santurio sob uma abside O altar repousa sobre uma pequena gruta relacionada a uma lendria tradio que se manteve atravs dos sculos Segundo a lenda nesse local o patriarca Abrao plantou para seu sobrinho L ot trs bculos que lhe foram deixados por trs anjos que o visitaram antes do fatdico desenlace de Sodoma e Gomorra Aps a destruio das cidades bblicas foi ordenado a L ot que os regasse com a gua do rio Jordo como penitncia por seus pecados EFE MOSTEIRO EM JERUS ALM REVEL A MISTRIOS SOBRE CRUZ DE CRISTO Esperamos sua contribuio


printinsert_linkshareget_appmore_horiz

Download Options

close
Choose Size
Choose file type
Cite this item close

APA

Cras ut cursus ante, a fringilla nunc. Mauris lorem nunc, cursus sit amet enim ac, vehicula vestibulum mi. Mauris viverra nisl vel enim faucibus porta. Praesent sit amet ornare diam, non finibus nulla.

MLA

Cras efficitur magna et sapien varius, luctus ullamcorper dolor convallis. Orci varius natoque penatibus et magnis dis parturient montes, nascetur ridiculus mus. Fusce sit amet justo ut erat laoreet congue sed a ante.

CHICAGO

Phasellus ornare in augue eu imperdiet. Donec malesuada sapien ante, at vehicula orci tempor molestie. Proin vitae urna elit. Pellentesque vitae nisi et diam euismod malesuada aliquet non erat.

WIKIPEDIA

Nunc fringilla dolor ut dictum placerat. Proin ac neque rutrum, consectetur ligula id, laoreet ligula. Nulla lorem massa, consectetur vitae consequat in, lobortis at dolor. Nunc sed leo odio.